Proteja pessoas em situação de rua do frio em SP levando cobertores. Saiba como ajudar!

O inverno tem sido extremamente rigoroso desde que chegou ao Brasil, em 21 de junho. E quem sofre mais com as baixas temperaturas é a população em situação de rua, que na grande maioria das vezes carece de um simples cobertor para se esquentar nas noites de relento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na cidade de São Paulo (SP), entre os dias 22 e 30 de junho, pelo menos 12 pessoas em situação de rua morreram de frio. De frio, gente! 😞 Para mudarmos essa realidade, estamos com vaquinha na Voaa. Clique aqui para doar cobertores!

voaa vaquinha cobertores moradores de rua proteção contra o frio

Na última quarta-feira (30), os termômetros registraram 6 °C – a menor temperatura dos últimos cinco anos – e a previsão para os próximos dias ainda é de muito frio! 😥

Não podemos ficar parados diante dessa triste realidade

Para aquecer e proteger essas pessoas, juntamente com o Instituto A Nossa Jornada e equipe do Padre Lancelotti, queremos entregar 4 mil cobertores e meias no centro de São Paulo. Você pode nos ajudar? Clique aqui e mude essa realidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

voaa vaquinha cobertores moradores de rua

As peças de roupas serão entregues em locais como: próximo ao Minhocão, Tiradentes, Estação Julio Prestes, Anhangabau, Santa Cecília e Barra Funda.

Vale ressaltar que só na cidade de São Paulo são mais de 24 mil pessoas em situação de rua! Portanto, quanto mais arrecadarmos, mais cobertores conseguiremos para atender essa população.

voaa vaquinha cobertores moradores de rua

Vamos juntos protegê-los desse frio tão intenso?! Clique aqui para ajudar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Acompanhe também o trabalho do Instituto a Nossa Jornada aqui e do Padre Lancelotti aqui.​

voaa vaquinha cobertores moradores de rua

ACEITAMOS PIX E SEM DOAÇÃO MÍNIMA!

Para pagamentos em boleto, cartão de crédito e Paypal, o valor mínimo da doação na plataforma é de R$25,00. Se você quiser, pode combinar com os amigos e dividir o valor entre vocês, que tal?

Seja um transformador, clique aqui!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sensibilidade com o próximo

Para Robson Mendonça, integrante do Movimento da População de Rua do Estado de São Paulo, a morte de moradores de rua em decorrência do frio é mais do que um motivo de revolta e de ultraje: escancara a negligência do poder público com uma população tão vulnerável.

Segundo o movimento, das 12 mortes registradas este ano, constam: cinco óbitos na Sé, um na Baixada do Glicério, um nas proximidades do terminal Tiradentes e um no Pátio do Colégio, no centro. Além disso, houve duas mortes na Mooca, na zona Leste e duas na Barra Funda, na zona Oeste da capital paulista.

voaa vaquinha cobertores moradores de rua

De acordo com um censo realizado pela Prefeitura de São Paulo (SP), a capital tem mais de 24 mil pessoas sem-teto.

Na opinião de Mendonça, há uma subnotificação desse número, reforçando que ele pode ser bem maior devido à pandemia de Covid-19. “Muita gente não conseguiu pagar o aluguel e foi para a rua“, comentou.

O Padre Júlio Lancelotti, da Pastoral do Povo de Rua, afirma que é preciso haver mais sensibilidade com o nosso próximo.

O povo da rua não é carro para ter vaga. É gente, precisa de um lugar. Tem questão de território, de pertences, do local. ‘Tem uma vaga em Itaquera’. Não adianta falar isso para alguém quem está na Brasilândia. No abrigo emergencial na Mooca, eles dormiram em uma quadra. Você dormiria em uma quadra em uma noite como esta?”, questionou o padre, que há décadas oferece auxílio a moradores de rua.

Mais do que nunca a solidariedade é central neste momento. Ajude agora!

Fotos: VOAA

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Até 2020, Londres vai banir os carros de sua principal rua

A Oxford Street, em Londres, é a rua comercial mais movimentada e famosa da cidade. Segundo o prefeito da capital, Sadiq Khan, até 2020 não...

Instrutor de Zumba com Down arrasa no gingado e diz: “Sou diferente, mas não incapaz”

Marcelo de Felipe rompe o estereótipo da pessoa com Down com muita ginga!

Estudante com tetraparesia aprende a ‘falar’ com os olhos e se forma em Medicina no Paraná

Em 2014, enquanto cursava o terceiro semestre de Medicina, a estudante universitária Elaine Luzia dos Santos, 33 anos, sofreu um AVC (acidente vascular cerebral)...

Universitários do Pará desenvolvem app que ajuda cegos a saberem que ônibus pegar

Pegar um ônibus pode até parecer uma tarefa simples do cotidiano, mas para quem é deficiente visual, não! Pensando nisso, alguns alunos que estudam...

Instagram

Proteja pessoas em situação de rua do frio em SP levando cobertores. Saiba como ajudar! 2