Motorista que arrastou idosa é condenado à pena de 5 anos de reclusão no DF

O motorista que arrastou a dona Marina pelo asfalto foi condenado à pena de cinco anos e quatro meses de reclusão, além de multa pelo crime de roubo pela 3º Vara Criminal de Taguatinga (DF).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em junho do ano passado, a diarista vendia balões em uma festa junina quando Willian Weslei Lelis Vieira e uma amiga que estava com ele, Larissa Alves, agarraram os balões e arrancaram com a Mercedes-Benz, levando a idosa junto por mais de 100 metros.

O tempo que a idosa ficou presa ao veículo foi traumático e marcou para sempre a vida dela.

“Eu pensei que estaria dentro de um caixão. Eu estou toda machucada, mas estou bem”, disse a diarista ao Correio Braziliense. “Quando me lembro do que passei, só agradeço a Deus pelo livramento. Foi a pior coisa que passei na minha vida. Ao fim de tudo, só me vi rodeada de gente”, disse ao Correio Braziliense na época da barbárie.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Motorista que arrastou idosa é condenado à pena de 5 anos de reclusão no DF 1
“Foi a pior coisa que passei na minha vida”. Foto: Reprodução

Vaquinha para dona Marina bateu meta em 24h

Ficamos comovidos com a agressão que dona Marina sofreu e lançamos sua vaquinha na VOAA, uma das nossas primeiras vaquinhas, para custear os cuidados médicos e uma vida melhor à diarista. Veja como está a vida de Marina hoje clicando aqui.

Motorista que arrastou idosa é condenado à pena de 5 anos de reclusão no DF 2
Foto: Reprodução

Assim que recebeu alta do hospital, a diarista procurou a 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) para registrar um boletim de ocorrência por lesão corporal.

Decisão do juiz

Segundo apurou o site METRÓPOLES, Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) ofereceu denúncia em desfavor dos acusados pela prática do crime de latrocínio.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Willian também foi denunciado pelo crime de direção perigosa. Porém, o juiz desclassificou o crime de latrocínio para o delito de roubo. Já em relação ao crime de direção perigosa, ficou provado que ele não concorreu para a infração penal. Portanto, absolvido.

O empresário e a amiga devem cumprir a pena em regime semiaberto e poderão recorrer da sentença ainda em liberdade.

A redação entrou em contato com dona Marina para saber como ela recebeu a notícia da condenação dos seus agressores, mas não obteve retorno até a publicação deste texto. Assim que conseguirmos, informaremos vocês.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,271,435SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Criança desenvolve síndrome rara com Covid-19, recebe apoio e se recupera milagrosamente

A história de José Neto é uma razão para sempre acreditarmos. Depois de passar vários dias internado, de desenvolver uma inflamação em todo o...

Servidora publica faz ‘declaração de amor’ em processo de prisão

A funcionária colou sem querer o texto na movimentação de um processo no sistema online do tribunal.

Menina de 10 anos usa Google Tradutor para acolher amigo mexicano na escola

É normal se sentir um tanto deslocado quando inicia o ano letivo, mas a situação fica mais tensa ainda quando a pessoa está em...

Desafio do Cachorro Sorridente: 20 cães que mostram que sorrir pra foto não é coisa só de humanos

Aquela hora do "sorria", que a gente sempre ouve quando vai tirar fotos, também vale pros doguinhos mais que simpáticos desse mundo! Essa característica tão...

Agente penitenciário transforma a vida de filhos de detentos através do basquete (MS)

O basquete foi para ele um esporte que abriu portas, o levou para conhecer o mundo, um jeito de se manter disciplinado e atento, mas...

Instagram

Motorista que arrastou idosa é condenado à pena de 5 anos de reclusão no DF 4