Muçulmano que doou sangue para vítimas da tragédia em Orlando manda mensagem contra o ódio

O massacre de 50 pessoas em uma boate gay, em Orlando, na Flórida, no último domingo (12), chocou o mundo pela sua crueldade. Um dia triste que entrou para a história dos Estados Unidos como o mais violento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O autor da barbárie, Omar Mateen, também feriu outras 53 pessoas. Segundo o pai do americano de ascendência afegã, uma vez ele ficou furioso quando viu dois homens se beijando em Miami, meses atrás. Já era possível perceber que Omar não aceitava a união de pessoas do mesmo sexo.

Episódios como esse fazem a gente querer desacreditar na humanidade. Mas, é nessas horas também que nossas esperanças são renovadas. Mais de 35 mil americanos, de todo o país, já doaram sangue para os feridos desde domingo, numa clara demonstração de que o amor vencerá o ódio!

Um dos doadores merece uma atenção especial: o muçulmano Mahmoud EIAwadi, que vive em Orlando. Mahmoud publicou no Facebook a foto dele doando sangue com uma mensagem que diz “juntos nós podemos resistir ao ódio, terrorismo, extremismo e racismo”. O post já recebeu mais de 300 mil curtidas e mais de 130 mil compartilhamentos.

-Yes my name is Mahmoud a proud Muslim American .-Yes I donated blood even though I can't eat or drink anything cause I…

Posted by Mahmoud ElAwadi on Sunday, June 12, 2016

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em tradução livre, o texto diz:

Sim, meu nome é Mahmoud, um orgulhoso muçulmano americano.

Sim, eu doei sangue ainda que não possa comer nem beber nada por conta do mês do Ramadã, assim como outras centenas de muçulmanos que doaram sangue hoje aqui em Orlando.

Sim, eu estou furioso com o que aconteceu ontem à noite e por todas as vidas inocentes perdidas.

Sim, estou triste… frustrado e inconformado que um louco que afirma ser muçulmano tenha feito algo tão vergonhoso.

Sim, eu testemunhei a grandeza desse país ao ver milhares de pessoas de pé sob um sol forte esperando sua vez para doar sangue, mesmo depois de serem avisados de que a espera seria de 5 a 7 horas.

Sim, essa é a maior nação do mundo diante de pessoas de diferentes idades, incluindo crianças e veteranos vindo doar água, suco, comida, guarda-chuvas, protetor solar, velhos veteranos vindo doar ao lado de mulheres muçulmanas de hijab carregando comida e água para serem doados, nas filas.

Sim, juntos nós podemos resistir ao ódio, terrorismo, extremismo e racismo. Sim, nosso sangue é igual, então venham doar sangue pois nossos companheiros americanos estão feridos e precisam de sangue.

Sim, nossa comunidade na Flórida Central é com o coração parido, mas vamos colocar nossas cores, religiões, etnias, orientações sexuais e posições políticas de lado para nos UNIRMOS contra os que querem nos machucar.”

[UPDATE]

Coincidentemente, lançamos ontem nosso vídeo que fala sobre o amor em todas as suas formas, não podia ser um momento mais propício para compartilharmos nosso projeto:

Toda Forma de Amar

Mais importante que a forma é o amor. Assista, compartilhe e contribua. http://bit.ly/todaformadeamar

Posted by Razões Para Acreditar on Sunday, June 12, 2016

DOAÇÃO2

DOAÇÃO1

DOAÇÃO3

Com informações do Hypeness

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,750FãsCurtir
1,764,109SeguidoresSeguir
8,643SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram