Mulher com câncer de mama recupera autoestima e cuidados com a saúde ao sair de relacionamento abusivo

“Fiquei com o exame na gaveta por seis anos, sem levar para o médico. Para falar a verdade, eu não queria viver mais.” A frase é de Patrícia Dias, 44. Ela viveu em um relacionamento abusivo durante 20 anos. O ex-marido controlava até o tamanho do corte de cabelo de Patrícia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A violência sofrida, psicológica, na maioria das vezes, prejudicou bastante a sua autoestima e, consequentemente, o autocuidado. Uma prova disso, senão a maior, é que Patrícia demorou seis anos para mostrar a um médico mastologista uma mamografia que já dava sinais da presença do câncer de mama no seio direito.

No fim de 2017, Patrícia, que mora no Rio de Janeiro, resolveu se divorciar do ex-marido. Ela conseguiu recuperar o controle da própria vida e começou a se dedicar mais ao autocuidado. Em março de 2018, Patrícia levou ao médico a mamografia – principal exame capaz de detectar o câncer de mama – que havia feito em 2013, um ano e meio depois de parar de amamentar a filha, que antes do fim da amamentação já não estava mais mamando na mama direita.

foto mulher espelho cabeça raspada tratamento câncer de mama
Patrícia engavetou a mamografia por seis anos devido à baixa autoestima. Foto: arquivo pessoal

Corrida após o diagnóstico

Aconteceu tudo muito rápido. Patrícia levou a mamografia para o médico, junto com outros exames mais recentes que sua ginecologista havia pedido. Vinte dias depois, já passou por cirurgia para a retirada da mama direita. “A biópsia foi feita a partir da própria cirurgia. Nunca corri tanto na minha vida, porque nesse meio tempo, eu também estava me divorciando.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Segundo Patrícia, ela contou com a “sorte”, mesmo não concluindo o diagnóstico de forma precoce anos antes. “O tumor ficou concentrado na axila e no próprio seio. Perdi muito tecido, mas podia ser muito pior.”

Infelizmente, o diagnóstico tardio é uma realidade. É o que dizem os dados do estudo Amazona III, publicado pelo Grupo Brasileiro de Estudos do Câncer de Mama (CBECAM) em 2020. Apenas 34% das mulheres brasileiras foram diagnosticadas por meio de exames de triagem, como a mamografia – destes, 53,2% na rede privada e 22,9% na saúde pública. Todas as demais chegaram ao diagnóstico já com sintomas, reforçando a tendência de doença avançada.

“Eu acho que quando a gente fala, enfrenta melhor a doença”

Por experiência própria, Patrícia reconhece a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama para aumentar as chances de cura e controle da doença. Fazer isso é nada mais do que praticar o autocuidado. Este é o convite feito pelo movimento Vem Falar de Vida, uma coalizão idealizada pela Roche, que visa disseminar a importância dos cuidados com a saúde da mulher.

Mas o convite vai além, estendendo-se ao cuidado com o outro diante do câncer de mama. Patrícia teve o incentivo de sua melhor amiga para buscar tratamento para a doença. “Minha melhor amiga, que é enfermeira, por acaso, falou: ‘você tem que ir no médico!’. Ela me ligava todos os dias. O apoio dela também foi fundamental para eu me cuidar. Agora eu que sou a ‘chata’ que fala: ‘já fez o seu exame?’.”

Patrícia inspira outras mulheres a se cuidar e o cuidado com o próximo diante do câncer de mama. Foto: arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em muitos casos, o que acontece é a mulher ter vergonha da doença e não comunicar à família e a pessoas mais próximas. Por isso, são tão importantes movimentos como o Vem Falar de Vida para mostrar a realidade de quem passa pelo câncer de mama e que não há motivo nenhum para se sentir envergonhada, compartilhando histórias, ações e iniciativas que despertam atitudes para que este seja um tema de interesse de toda a sociedade.

Cuide-se e deixe cuidar!

Neste Dia Internacional da Mulher, visite o site, informe-se sobre o câncer de mama e conheça todas as iniciativas conectadas ao propósito do movimento, que já reúne mais de 100 empresas e instituições. Use também as redes sociais para compartilhar a sua experiência com a #vemfalardevida.

Branded Content – Roche (M-BR-00003420)

banner patrocinado

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,637,823SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Coala sem patinha anda novamente graças à prótese sob medida feita por um dentista

Foi em 2017 que a enfermeira Marley Christian encontrou o coala Triumph ao lado da mãe, morta, em Nova Gales do Sul, Austrália. O...

Adolescente de 14 anos faz uma casa sustentável gastando apenas 10 mil dólares

“La Petite Maison” - uma história especial. Para construir uma casa, mesmo que pequena é necessário o mínimo de habilidade e noção de arquitetura.  Bem,...

18 crianças que são exatamente iguais à suas bonecas

São as crianças que se parecem com suas bonecas ou são bonecas que parecem com elas? Bom, enquanto não sabemos a respostas correta para...

O mundo ainda vai precisar de carros? Sim, mas não do jeito que estamos acostumados a usar

O automóvel sempre vai fazer parte das soluções de mobilidade, mas não podemos pensá-lo como única solução.

Ele comprou o produto que idosa cadeirante havia desistido devido um mal atendimento em loja

O que você faria se presenciasse uma cena de injustiça e desrespeito, ainda mais envolvendo uma idosa cadeirante? O jovem Kaio Gabriiel presenciou e...

Instagram