Mulher sobrevivente do desastre de Chernobyl cria sistema que gera energia através das ondas do mar

Inna Braverman é uma empreendedora ucraniana que decidiu criar uma forma de obter energia limpa e segura anos após ter vivenciado, quando bebê, um dos maiores desastres ambientais da história: o acidente de Chernobyl, em 26 de abril de 1986.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quando Inna tinha apenas duas semanas de vida, a usina nuclear de Chernobyl explodiu, afetando milhões de pessoas na Europa e na América do Norte, incluindo sua família que vivia nos arredores de Kiev e a própria Inna, que chegou a ter problemas respiratórios decorrentes da inalação de ar com poeira radioativa.

mulher sobrevivente desastre chernobyl cria sistema gera energia limpa ondas do mar

Embora ela tenha sobrevivido sem sequelas, a empreendedora conta que o acidente de Chernobyl continuou a fazer parte de sua vida e foi o que a inspirou a criar um dispositivo capaz de gerar energia limpa e segura, diferente da energia nuclear.

“Eu ganhei uma segunda chance na vida. Cresci sabendo que precisava fazer algo diferente e relevante da minha vida. Se Chernobyl se tratava de algo para produzir energia de uma forma insegura, eu me perguntava se haveria uma maneira mais limpa de aproveitar a energia”, disse Inna.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mulher sobrevivente desastre chernobyl cria sistema gera energia limpa ondas do mar

Foi assim que depois de se formar na Universidade de Haifa em Israel, Inna começou a analisar empresas em várias partes do mundo que trabalhavam com energia solar, eólica e hidrelétrica – e percebendo que ninguém estava usando as ondas do mar como alternativa, Inna decidiu que seria o seu caminho.

No entanto, a empreendedora de 35 anos enfrentou vários inconvenientes: primeiro transformar as ondas de choque em eletricidade é uma tarefa difícil porque uma onda muito forte pode destruir o equipamento de conversão rapidamente, como aconteceu com as empresas Pelamis na Europa e Oceanlinx na Austrália, que atualmente encerraram as operações.

Por outro lado, a instalação de uma infraestrutura no alto-mar é muito cara e as ondas  mais fortes também podem destruir o equipamento com relativa facilidade, por isso as seguradoras não estavam dispostas a cobrir essas despesas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Depois de analisar todas as alternativas, a Inna optou por uma forma mais segura e menos cara: instalar ‘flutuadores’ nas estruturas artificiais existentes, como píeres e quebra-mares, e colocar geradores e computadores em terra para reduzir os riscos e potenciais efeitos nos dispositivos.

Dessa forma, a ucraniana desenvolveu a Eco Wave Power, uma empresa geradora de energia limpa através das ondas do mar.

Ao contrário das usinas hidrelétricas, as ondas não giram uma turbina, mas movimenta flutuadores adaptados para subir e descer de acordo com a altura das ondas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Isso cria uma pressão nos pistões hidráulicos, que dá força aos geradores, responsáveis pela produção de energia.

Por fim, Inna explicou que todo o sistema é sustentável, pois logo após a realização do primeiro processo, o fluído gerador retorna para a tubulação e pode ser reaproveitado pelos pistões.

E ele também especificou que o sistema da Eco Wave Power pode funcionar adequadamente em qualquer lugar que tenha ondas de pelo menos meio metro de altura, ou seja, em todos os países com litoral do mundo!

Graças à eficiência da Eco Wave Power, Inna recebeu vários reconhecimentos e premiações internacionais.

Seu projeto foi descrito como uma forma de ‘tecnologia pioneira’ pelo cientista do Ministério de Energia de Israel e também recebeu o rótulo de ‘Solução Eficiente’ da Fundação Solar Impulse, enquanto a Organização das Nações Unidas deu à ela o prêmio Global Climate Action, que reconhece ações pelo fim do aquecimento global.

Veja também:

Fonte: Sydney Morning Herald
Fotos: Wolter Peeters / Reprodução

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,780,571SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

‘Quero ajudar a universidade a quebrar paradigmas’, diz primeira professora trans da UFRJ

Dani Balbi foi admitida recentemente como professora na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), se tornando a primeira docente trans da instituição de...

Adidas já vendeu 6 milhões de tênis feitos com plástico retirado do oceano

A empresa planeja produzir todos os seus produtos com plástico reciclado até 2020!

Esse homem trata o urso polar como um pet, e é correspondido

Mark Dumas tem um "bichinho" de estimação um pouco diferente, trata-se de um urso polar chamado Agee. No qual fazem tudo que um dono...

Cobertor inovador reduz a ansiedade e melhora a qualidade do seu sono

Está com dificuldades na hora de dormir? Então fique de olho nessa novidade. O Gravity é um cobertor inovador que promete reduzir a ansiedade...

Se todo mundo é gay, o Mix Brasil é pra todo mundo

Novo comercial do 22º Festival de Cultura da Diversidade Mix Brasil retrata o ponto a que chegou o preconceito de gênero na sociedade. Com...

Instagram