Mulher desiste de cometer suicídio após conhecer aldeia com crianças carentes no Nepal

No início do ano passado, nada mais fazia sentido na vida de Kathryn Lowe, de 57 anos. Ela lutava contra alguns problemas de saúde e encarava um difícil divórcio. Mesmo assim, acompanhou sua irmã mais nova, Carol, que desejava viajar para o Nepal para fazer trekking (trilha).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


Ouça essa emocionante história! Clique no play acima!

Apesar de possuir um certo receio em visitar o país, que um ano antes tinha sido devastado por um terremoto e estava ambientalmente instável, Kathryn chegou ao aeroporto de Tenzing-Hillary, em um pequeno avião, no local de desembarque mais perigoso do mundo.

“Antes de partir, escrevi meu testamento”, ela disse. à Good News Network. Kathryn não esperava voltar. Para ela, nessa viagem, havia apenas duas opções: encontrar um sentido para sua existência ou se jogar de uma montanha.

Nos momentos mais difíceis das caminhadas, que levavam cerca de 10 horas, Kathryn olhava para os precipícios das montanhas e se perguntava se deveria terminar a trilha, assim como também pensava se acabaria com a própria vida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com a ajuda da irmã e de seu guia, ela conseguiu tomar a decisão certa, e se manteve firme e forte, na aldeia isolada de Lukla, no Nepal. A cidade serve como uma porta de entrada para a região Everest do Himalaia, a 2, 860 metros acima do nível do mar. Só é possível chegar a pé até a cidade, através de aviões leves, que pousam em um dos aeroportos mais perigosos do mundo. Isso limita os recursos disponíveis para o povo de Lukla, desde as coisas mais básicas, como alimentos e roupas, até coisas maiores, como materiais para construir uma casa.

Em um dos dias da viagem, Kathryn e Carol tiveram um pequeno imprevisto: ambas estavam com intoxicação alimentar.

A caminhada precisou ser adiada e ela e a irmã ficaram um tempo na aldeia, o que fez Kathryn conhecer um pouco mais os habitantes do local. Um deles, além de se tornar um grande amigo, ajudou Kathryn a descobrir o seu verdadeiro propósito da vida: ajudar os outros.

Ao conversar com Lhakpa, filho do dono do alojamento onde estava com sua irmã, Kathryn soube dos esforços filantrópicos da família dele e de sua iniciativa em melhorar as oportunidades de educação para as crianças carentes da comunidade.

“O que se tornou o principal motivo para eu decidir me envolver com a educação em Lukla, foi quando eu soube que não deixaram uma criança frequentar a escola porque ela não podia pagar $ 15 por mês”, explicou Kathryn. Nascia então a organização sem fins criativos “Learning for Lukla”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para começar,  Kathryn decidiu patrocinar as aulas para algumas das crianças mais carentes. Ela pediu para Lhakpa que procurasse as crianças mais pobres e as que tinham menos chances de terem uma boa educação. Mesmo assim, Kathryn percebeu que isso era pouco. Ao discutir isso com Lhakpa, os dois amigos decidiram que o mais necessário para a aldeia era uma estrutura permanente para os alunos.

Com suas economias, Kathryn comprou um terreno, e com seu próprio financiamento, doações de familiares e amigos, envolvimento da comunidade e, “muita oração”, uma nova escola de quatro salas surgiu na comunidade e tornou-se o centro para a educação na aldeia.

Nomeado de Lowe Institute, o local foi construído para que os alunos tenham mais recursos para uma melhoria no desempenho acadêmico, com aulas de reforço e ajuda.

“Alguns dizem que querem ser médicos, policiais, pilotos … outros dizem que querem ser pais que possam educar melhor seus próprios filhos”, explica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Learning for Lukla” atualmente apoia 28 crianças entre 5-18 anos de idade, e cada criança necessita de cerca de $ 15USD por mês para poder continuar com a sua educação.

Embora as crianças ainda tenham dúvida do que serão, uma coisa é certa: todas serão beneficiadas e agora possuem a oportunidade de construir um futuro melhor com essa ótima iniciativa.

Você pode visitar a página do projeto no Facebook aqui e ajudar aqui

Mulher desiste de cometer suicídio após conhecer aldeia com crianças carentes no Nepal 2 Mulher desiste de cometer suicídio após conhecer aldeia com crianças carentes no Nepal 3

Via

Fotos: Reprodução Facebook

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,274,824SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Startup doará 100% do seu faturamento para projetos sociais e vítimas da tragédia em Mariana (MG)

Essa é a proposta da startup mineira Risü, uma loja de compras online, com sede em Belo Horizonte, premiada como um dos cinco modelos de negócios mais sustentáveis do Brasil em 2015 pela Sustainable Brands Rio.

Projeto treina e encaminha gratuitamente cães de assistência à pessoas com deficiência

Ter um animal de estimação traz muitos benefícios para a saúde, como o alívio do estresse e a melhoria de humor. Indo além, eles...

Foi lá e fez: Homem monta academia ao ar livre que todos podem usar

Em Aracaju, no Sergipe, o Seu Enoque, 51 anos, montou uma academia ao ar livre. Os equipamentos que ele mesmo instalou podem ser usados...

Paramédica reencontra ex-dependente químico 14 anos após ajudá-lo a deixar o vício: promessa cumprida!

Will prometeu à Jeanah que não usaria mais heroína logo depois que viraram amigos e confidentes. 14 anos depois, a promessa continua de pé. Will está limpo!

Em vez de brinquedos, McLanche Feliz trará coleção de livros da Turma da Mônica no Brasil

Numa surpreendente parceria lançada em 2017 entre o McDonald's e a Maurício de Sousa Produções, crianças de todo o país tiveram acesso aos livros...

Instagram

Mulher desiste de cometer suicídio após conhecer aldeia com crianças carentes no Nepal 4