Aos 21 anos, ela tem a própria empresa de polimentos em Rondônia e lidera equipe de homens

Toda mulher merece celebrar sua individualidade e originalidade.
Para isso, é fundamental que elas tenham consciência de sua força e do seu poder. A autoestima e a identificação são as ferramentas que fazem com que as mulheres ocupem os lugares que sempre mereceram. E é por isso que o Razões Para Acreditar e o Quebrando o Tabu, em parceria com Dove e Refinery29, estão juntos nessa missão de ajudar as mulheres a verem ainda mais o que podem conquistar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para oferecer essa experiência de beleza positiva a todas as mulheres e para incentivá-las a ver seu poder, contaremos histórias de mulheres e meninas que são exemplos inspiradores de como a construção da autoestima pode ajudar a nos dar a confiança necessária para atingirmos nosso pleno potencial. É uma ótima viagem pelo mundo feminino e empoderado, que constrói, quebra paradigmas e barreiras.

Andressa Silva de Souza nos ajuda a quebrar um monte de paradigmas ultrapassados. Ela é uma moça de 21 anos de Rondônia e uma das melhores em polir caminhões.

Ela arrasa no trabalho pesado que exerce com muita dedicação e, apesar de tão jovem, já comanda uma equipe quase toda formada por homens.

Os caminhoneiros que cruzam a BR-364, em direção à Amazônia, fazem parada obrigatória no quilômetro 507 por causa do excelente serviço de Andressa e seus funcionários.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Pode causar estranheza que uma mulher faça um trabalho tão duro num ambiente convencionalmente ocupado por homens, mas isso não é problema para ela, aliás, é motivo de muito orgulho.

Aos 21 anos, ela tem a própria empresa de polimentos em Rondônia e lidera equipe de homens 3
Andressa faz trabalho pesado, mas isso não abala sua feminilidade ou vaidade. Foto: Arquivo pessoal

Amanhã tem a Live do Dia de Doar! Clique no Facebook ou no YouTube para ativar o lembrete e se avisado quando começar!

Nunca disseram que eu era feminina demais pra fazer o meu trabalho, mas já duvidaram da minha força física, pois é bem pesado. Amo meu trabalho e ficar suja não afeta minha vaidade, muito pelo contrário provo pra mim todos os dias que sou capaz”, disse.

Apesar de colocar a mão literalmente na graxa, ela adora se cuidar normalmente, como muitas mulheres. O fato de ser mulher e trabalhar num barracão, e “limpando” caminhões nunca foi problema para ela.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Aos 21 anos, ela tem a própria empresa de polimentos em Rondônia e lidera equipe de homens 4
Andressa quer incentivar outras mulheres a também serem independentes. Foto: Arquivo pessoal

Aos 21 anos, ela tem a própria empresa de polimentos em Rondônia e lidera equipe de homens 5

“Adoro me arrumar, acho que eleva a autoestima de qualquer mulher. Se olhar no espelho e se amar faz muito bem. Quanto a ficar suja no meu trabalho não me incomoda, na verdade nem lembro. A mulher pode que ser meiga ao mesmo tempo firme, sensível, independente financeiramente e se achar linda com todas as suas qualidades ou defeitos”, avalia.

Andressa começou ainda adolescente e quer incentivar outras mulheres a também serem independentes

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Andressa saiu de casa aos 15 anos para morar com uma tia e foi lá, num lava-jato, que ela descobriu essa habilidade de polir caminhões. Um dia, um caminhoneiro parou e perguntou quem poderia polir o tanque do seu caminhão. Nenhum homem topou, e Andressa, ainda adolescente, foi quem fez o trabalho.

Aos 21 anos, ela tem a própria empresa de polimentos em Rondônia e lidera equipe de homens 6
“Não preciso seguir nenhum padrão de beleza”. Foto: Arquivo pessoal

De lá pra cá, não parou mais de polir tanques de caminhões, até que um caminhoneiro postou o seu trabalho nas redes sociais e ela ganhou visibilidade. Recebeu convite de montadoras de caminhões, ganhou cursos e produtos. Hoje ela emprega três homens e uma mulher, Cléo, de 45 anos.

Em seis meses, ela conseguiu comprar a casa própria e está tirando a Carteira Nacional de Habilitação. Agora ela quer empregar mais mulheres no negócio para que elas consigam independência financeira.É apenas esse meu objetivo, fazer com que as mulheres entendam que podem ser independentes financeiramente”, relatou.

Para ela, isso é muito mais importante do que se incomodar com padrões de beleza e comportamentos de gênero. “Não é destruir, é desconstruir o estereótipo feminino. Pra ser feminina, não preciso seguir nenhum padrão de beleza. Sou uma mulher magrinha, miúda e me amo assim como sou. Não tenho paranoia, não luto contra nada no meu corpo sou feliz assim e não mudaria nada em mim”, finalizou.

Mandou o recado, hein, Andressa? É isso aí!

Mulheres, sejam como e o que quiserem! Vocês podem tudo!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,110,307SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Professora cria ‘cãodomínio’ para proteger cães de rua do frio em Buri (SP)

Graças à iniciativa de uma professora, água, ração e aconchego não faltam mais para os cães que viviam nas ruas de Buri, no interior...

“Netflix da educação”: brasileiro cria plataforma que oferece cursos com transmissão de vídeos por demanda

O IPED.TV oferece um serviço parecido com o da Netflix, que disponibiliza um catálogo de séries e filmes por demanda. Neste caso, são conteúdos profissionalizantes,...

Programa reforma casas em comunidades e promove transformação interior dos moradores

O Programa Vivenda nasceu do sonho de pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade de morarem com segurança e conforto. Já são mais de 1.600 reformas entregues em cinco anos de atuação!

Ben & Jerry’s muda nome e sabor de sorvete e chama atenção para ‘PL da Poluição’ em SP

A partir deste mês, o sabor Coffe Coffee BuzzBuzzBuzz passa a se chamar Cof Cof BusBusBus.

e-Estônia: um país inteiro como exemplo para as cidades inteligentes

Até o início dos anos 1990, o conceito de cidades inteligentes era mais uma discussão acadêmica do que uma prática do dia a dia....

Instagram

Aos 21 anos, ela tem a própria empresa de polimentos em Rondônia e lidera equipe de homens 8