Mulher larga emprego “chato” para abrir seu negócio dos sonhos: babá de gatos

Cuidar com amor e carinho de gatinhos virou mais do que um hábito ou um hobby para Amanda Santos, mas um negócio.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A empreendedora fundou o Cattitude, empresa que oferece serviços de “cat sitter”, ou babá de gatos, focando em tutores ocupados ou que precisam viajar por longos períodos.

Ciente de que as famílias dos mais de 24 milhões de gatos de estimação estão mais exigentes nos cuidados com seus bichanos, Amanda uniu a alta demanda à sua experiência com gatos para alavancar a empresa.

Com o alcance e poder de viralização do Instagram, o Cattitude virou um sucesso.

Mulher larga emprego "chato" para abrir seu negócio dos sonhos: babá de gatos

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Troca de carreira

Desde 2011, Amanda conciliava seu trabalho como publicitária com o trabalho voluntário, onde resgatava e cuidava de gatinhos abandonados nas ruas.

Nesse meio-tempo, não era incomum que colegas da publicitária a procurassem antes de viajar para que ela cuidasse dos pets.

Amanda ficava com os pets por amor, e não cobrava nada em troca.

Nos anos seguintes, ela começou a se sentir desmotivada com o mercado publicitário. Na véspera do Natal de 2017, foi demitida na agência em que trabalhava e decidiu recomeçar do zero.

Foi aí que em 2018 a jovem encarou o hobby com os pets como profissão. Não demorou muito para conseguir mais de 30 clientes pagantes, que viajariam no início daquele ano e não tinham quem cuidasse de seus gatos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dessa oportunidade, surgiu sua empresa.

Mulher larga emprego "chato" para abrir seu negócio dos sonhos: babá de gatos

Cuidando com amor

Ser uma babá de gatos é mais do que apenas garantir a segurança do animal enquanto seu tutor está fora: é brincar com ele, trocar a caixa de areia, alimentá-lo adequadamente, cortar suas unhas e, se necessário, levá-lo ao veterinário.

Conta a favor de Amanda o fato de ter feito um intensivo de quase três meses como auxiliar veterinária, quando voluntariava na ONG.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Além disso, sua experiência resgatando e cuidando de gatos extremamente negligenciados foi fundamental para que o Cattitude ganhasse mais credibilidade.

Hoje, a empreendedora também atende cachorros e chega a fazer 8 visitas ao dia – cujo serviço varia de R$ 70 a R$ 85 por hora.

Para Amanda, conseguir sobreviver apenas do que era seu antigo hobby, ser bem remunerada por isso e, principalmente, ser feliz enquanto faz os animais felizes, é um verdadeiro privilégio.

Com o sucesso do negócio, a empreendedora não tem vontade de voltar ao mercado publicitário. Pelo contrário: vai expandir suas estratégias e seguir crescendo dentro do disputado setor de cuidados aos pets.

Se ela continuar com o mesmo amor e zelo que mantém desde a época em que atuava na ONG, as empresas concorrentes que lutem… E os gatos agradecem!

Fonte: Catioro Reflexivo

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM










Mulher larga emprego "chato" para abrir seu negócio dos sonhos: babá de gatos 3

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
5,145,534SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Rio de Janeiro ganha 1º terminal de ônibus equipado com telhado verde e ervas medicinais

O espaço é totalmente autônomo, ou seja, não precisa de cuidados dos moradores, já que possui um sistema de regra automático a partir da água da chuva.

Modelo surdo abre instituto para empoderar crianças surdas através da língua de sinais

Sabia que existem mais de 650 milhões de pessoas com alguma deficiência no mundo? Querendo deixá-lo mais inclusivo, especialmente para as crianças, o modelo...

“eu sou bonita”, “eu sou forte”: mãe e filha de 3 anos viralizam com vídeos de afirmação de autoestima

Scarlett Gray Smith, tem apenas 3 anos e uma autoestima encantadora! A menina de Myrtle Beach, na Carolina do Sul (EUA), publica vídeos diariamente junto...

Gari que estudava com livros achados no lixo agora é doutor!

Dedicado à limpeza pública há mais de duas décadas, o gari Cícero Rodrigues Ferreira, 39 anos, encontrou no lixo uma oportunidade para mudar de...

Após sofrer com racismo, menina de 10 anos cria linha de roupas para ganhar mais autoconfiança

Kheris Rogers, de apenas 10 anos, já enfrenta o preconceito das pessoas apenas pela cor da sua pele. Ela sofreu ataques racistas na escola apenas pela...

Instagram

Mulher larga emprego "chato" para abrir seu negócio dos sonhos: babá de gatos 4