Pela 1ª vez, mulher comanda helicóptero ‘Gavião 01’ da Polícia Civil gaúcha [VIDEO]

Aos 30 anos – e voando desde os 18, – Camila Meggiolaro dos Santos fez história ao se tornar a primeira mulher piloto da Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bastante treinada e habilitada, a paulistana tem visão de águia: mantém um olho no painel de controle do helicóptero e outro no mar. Mais do que pilotar com inteligência, Camila precisa estar sempre atenta a possíveis situações de resgate e ocorrências.

Atuando na temporada atual da Operação Verão, conduzida pela Polícia Civil do estado, a piloto tem tido oportunidades de sobra para aprimorar seus conhecimentos.

Camila voa desde a adolescência, quando ingressou na faculdade de Aviação Civil, em São Paulo (SP). Ainda criança, já sabia qual profissão iria seguir, época em que passeou de helicóptero com a mãe e se apaixonou por voar.

Pela 1ª vez, mulher piloto comanda helicóptero 'Gavião 01' da Polícia Civil gaúcha [VIDEO]
Foto: Reprodução / Instagram: @gzhdigital
Agora, a piloto realiza seu sonho de menina todos os dias quando inicia a patrulha das praias do Litoral Norte gaúcho a bordo de um Gavião 01, aeronave preta da Polícia Civil, que cruza de Torres a Quintão a 200 pés (61 metros) do mar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Altura, para mim, não é problema. Tenho a sensação de grande liberdade. Olho e penso: faço o que quiser com essa máquina”, disse Camila em entrevista ao portal Gaúcha Zera Hora, pouco depois de pousar no heliponto de Imbé, ao lado do Rio Tramandaí.

Pela 1ª vez, mulher comanda helicóptero 'Gavião 01' da Polícia Civil gaúcha [VIDEO]
Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS
Camila sem dúvida está se divertindo com o trabalho, mas jamais perde o comedimento. Sempre focada, ela já tem uma formação em Aviação Civil e licença para fazer voos comerciais.

Alguns anos atrás, a jovem enfrentou um difícil processo de separação de seu ex-companheiro, tendo que se virar sozinha dali em diante. Em 2018, prestou concurso para escrivã da Polícia Civil, sendo admitida no ano seguinte para atuar na Delegacia da Mulher de Canoas (RS).

A admissão na delegacia virou uma fonte de aprendizado para Camila, que passou a ter contato com mulheres em situações de extrema vulnerabilidade. Com o passar dos anos, ela diz ter desenvolvido mais empatia e senso de resiliência.

“Tinha muita mulher que vinha do Interior e falava: “Eu sou sozinha”. E eu dizia: “Eu também sou sozinha, nunca tive nada, e tive que lutar sozinha para ser essa policial que está te atendendo”, relembrou ela ao Gaúcha Zero Hora.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A chance da sua vida veio em 2020, em plena pandemia, quando a Polícia Civil abriu vagas para formação de pilotos. Camila passou em segundo lugar e, após o curso, interessou-se sobre a parte técnica do Gavião 01, aeronave que comanda hoje.

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS

Para o comandante Eduardo Worm, que senta ao lado de Camila durante os voos sobre o Litoral, a dedicação que a piloto teve ao longo do curso de formação é resultado de uma cobrança excessiva que pouco se vê entre os homens.

“Ela é extremamente concentrada. Se cobra muito. Quando algo não sai como ela quer, fica chateada”, contou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De toda forma, essa vontade da piloto de fazer “tudo certo” lá no alto acaba servindo de inspiração para os demais policiais. “A partir disso, o pessoal começa a se empenhar mais também”, disse.

Quando está em serviço, Camila faz questão de se mostrar vaidosa: está sempre de cabelo solto, unha feita e usando brincos minimalistas, mas preciosos, como os de ouro com formato de helicópteros da imagem abaixo.

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS

Alguns comentários maldosos surgem aqui e ali, mas ela sabe ignorar. Afinal, pra que bater boca?

“Evito conflito. Nem me importo. O respeito vem muito mais pela minha postura de firmeza do que por causa da roupa que eu uso”, afirma.

Foto: Reprodução / Instagram: @gzhdigital

Hoje, Camila faz questão de incentivar que outras mulheres se tornem pilotos, confiando sempre em seu potencial.

No curto prazo, ela espera poder voar ao lado de outras colegas durante as operações da Polícia Civil.

“Já chegou uma menina para mim e falou: “Tia, eu nem sabia que mulher podia pilotar”. Eu não tive esse estímulo, era algo totalmente distante. Nunca tive instrutora mulher, nunca voei com mulher. É um ambiente muito masculino”, pontuou.

Camila é uma prova viva do quão alto as mulheres podem voar! 😉

Assista ao vídeo:

Fonte: Gaúcha ZH

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,253,471SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Após mais de 70 anos juntas, elas finalmente puderam se casar nos EUA

As norte-americanas Vivian Boyack, de 91 anos, e Alice “Nonie” Dubes, de 90, finalmente se casaram mais de 70 anos depois de começarem a...

Senado aprova regulamentação da terapia com cavalos como método de reabilitação

O Senado Federal aprovou na última terça-feira (9) a regulamentação da equoterapia, um tipo de terapia com cavalos que serve para estimular o desenvolvimento da...

Todos cantando o hino nacional no Metrô de SP

Lindo demais, vale a pena compartilhar com vocês o povo unido cantando em alto e bom som o nosso hino, que nunca foi tão...

Após 70 anos, livro ‘O Pequeno Príncipe’ ganha versão em braille

Lançado em 1943, O Pequeno Príncipe, do escritor, ilustrador e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry, é uma das obras literárias mais traduzidas no mundo:...

Inglaterra tem primeiro dia sem mortes por Covid em um ano e premiê incentiva população a se abraçar

O primeiro ministro da Grã-Bretanha, Boris Johnson, incentivou a volta dos abraços entre os britânicos após a Inglaterra não registrar nenhuma morte por Covid-19...

Instagram