“Não poderia deixá-lo para trás”, diz mulher que resgatou cãozinho de alagamento em Minas

Eu não poderia deixar ele para trás, é meu companheiro. Tenho muito amor por ele, ele faz parte da família, onde eu vou ele vai atrás”. Assim resume Camila Marques após resgatar seu cãozinho de um alagamento em Governador Valadares (MG).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fortes chuvas tomaram a região no início deste mês, causando enchentes e alagamentos severos.

Em meio à agua sem fim, o fotógrafo Juninho Nogueira conseguiu registrar o momento em que Camila salvou o cachorro, batizado de “Fumo”. A imagem gerou comoção nacional e viralizou nas redes sociais.

“Eu vinha acompanhando as enchentes e no dia desta foto me despertou para ir para essa comunidade no bairro (São Tarcísio). Eu vi várias pessoas retirando seus móveis. Foi quando essa moça me chamou a atenção porque ela já tinha entrado e saído uma vez da casa, mas ela retornou, andando por uns 50 metros com a água nesta altura da foto, e voltou para a residência e depois veio com o cachorro no colo, com celular na boca e documento na sacola. Nessa hora ali eu vi que tinha esperança, ela voltou para pegar seu pet. Então eu parei por um instante e captei a foto”, disse Juninho ao portal “O Tempo”.

Camila precisou atravessar um alagamento que chegava à altura do seu peito para fazer o resgate de fumo. Ela ainda conseguiu salvar seus documentos pessoais mais importantes e o celular, levado na boca para manter o cãozinho nas mãos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

"Não poderia deixá-lo para trás", diz mulher que resgatou cãozinho de alagamento em Minas 2
Foto: Juninho Nogueira / Divulgação

Não demorou muito para a fotografia viralizar na cidade e alcançar os noticiários e redes sociais.

“Eu não esperava que ela tivesse esse alcance todo e fiquei surpreso. Recebi muitos elogios e também recebi críticas de gente que disse que eu preferi fazer a foto que socorrer a moça, mas analisando o contexto do bairro e ela já tinha transitado ali, então eu sabia que ela estava segura. Claro que se eu percebesse algum risco, eu entraria na água e a socorreria, mas a gente precisa documentar e mostrar a realidade das pessoas”, destacou o fotógrafo.

Camila tem 32 anos e trabalha como técnica de enfermagem. Para ela, seria inadmissível deixar seu fiel companheiro para trás.

O cãozinho Fumo está com a família dela há cerca de três anos. Durante o resgate, ela afirma não ter sentido medo de voltar para casa para pegar o companheiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu sempre morei ali e sempre enfrentamos essas enchentes. Eu já me acostumei com a questão das águas. Mesmo que eu corri perigo, porque tem lixo no caminho e tem perigo de cair em buraco, mas eu precisava ir lá pegar ele”, lembrou.

Fonte: Antena Love

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,806,528SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Projeto Peito Aberto leva auto estima à mulheres com câncer de mama

Nesse dia 8 de Março com tantas tragédias nos noticiários envolvendo mulheres, venho te trazer uma história linda de superação, amor e empoderamento. Andrea Valle,...

Razões Para Acreditar é pauta em novo quadro do programa Saia Justa do GNT

Além da entrevista, o Razões fará a curadoria de algumas pautas do novo quadro do Saia Justa do GNT.

Ensaio em terreiro de Umbanda com pais grávidos celebra o amor pelo bebê e pede respeito

Natasha e Gabriel são praticantes da Umbanda, religião que mistura crenças e rituais africanos, indígenas e europeus, e, por isso, decidiram registrar a comemoração...

Nicole, jovem carateca vítima de racismo na internet, ganha lindo ensaio fotográfico

Nicole Cristina, 15 anos, foi vítima de ataques racistas na internet nas últimas semanas. A sinceridade da jovem ao responder as ofensas viralizou e...

Técnico de enfermagem não se intimida e atravessa rio para vacinar idosa contra Covid-19 (PB)

De um a dois meses para o nível do rio baixar. O técnico de enfermagem João Bezerra da Silva, de 34 anos, não quis...

Instagram

"Não poderia deixá-lo para trás", diz mulher que resgatou cãozinho de alagamento em Minas 4