Mulher vence relacionamento abusivo com estudo e realiza sonho de trabalhar ajudando pessoas (MG)

A Natália Soares, 34, especialista em recolocação na área de Recursos Humanos, sempre quis trabalhar para realizar seus sonhos. Apesar de ter vivido momentos turbulentos com um relacionamento abusivo, o fim da sua história é recheado de sucesso e alegrias.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nascida e criada em Belo Horizonte (MG), Natália veio de família humilde. Seus pais moravam na roça e nunca concluíram os estudos, pois, na época, a prioridade era sustentar a família.

Na infância, sofreu muito bullying por causa de seus dentes encavalados. Morria de vergonha de aparecer e, até seus 27 anos de idade, não usava batom para não chamar a atenção de ninguém.

A paixão pelo trabalho

A família nunca teve incentivo para estudar, então, aos 13 anos, Natália começou a trabalhar como babá, cuidando do filho da vizinha. Recebia um salario de R$ 50 por mês, que, segundo ela, era bastante para a época.

“Comprei um patins com meu primeiro salário. Eu amava andar de patins, então aquilo foi um sonho para mim. Nesse momento descobri que através do trabalho eu poderia realizar meus sonhos, então nunca mais parei de trabalhar”, comenta Natália.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Natália no dia de seu batismo
Natália com seus pais no dia de seu batismo. Foto: arquivo pessoal

Aos 16 anos, conseguiu seu primeiro estágio na prefeitura, trabalhando em escolas municipais. Em 2 anos e meio de experiência, nasceu uma grande paixão pela área da educação e, principalmente, pelas pessoas.

Saindo do estágio, se viu desempregada, então, após alguns cursos, começou a trabalhar como cabeleireira e manicure em um mini salão na sala da sua própria sua casa. Logo depois, começou a trabalhar com telemarketing, deixando o cargo 6 anos depois.

auxiliar de RH
Natália em sua 1ª experiência como auxiliar de RH. Foto: arquivo pessoal

O relacionamento abusivo

No ano de 2011, iniciou o caos em sua vida: um relacionamento abusivo. Segunda ela, o primeiro ano de namoro foi tranquilo, mas, a partir do segundo, tudo começou a se desmoronar diante de seus olhos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por beber muito, o namorado acabava perdendo as estribeiras. Tudo era motivo de briga e a bebida só potencializada a raiva. Nunca houve agressão, mas a tortura psicológica era constante.

Quando saiu do emprego de telemarketing, ela decidiu passar as férias em Natal (RN), onde ele morava. Ficou 30 dias por lá e voltou para BH. Depois de um tempo, como não estava mais achando emprego, decidiu tentar a sorte em Natal e morar junto com o namorado.

Depois de 1 semana, ela conseguiu um emprego. Mas, como ele não trabalhava, Natália era a única responsável por sustentar a casa. Com brigas e mais brigas a todo momento, Natália decidiu terminar o relacionamento abusivo e voltar para BH.

Natália venceu um relacionamento abusivo
Foto: arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Às vezes as pessoas criticam quem está em um relacionamento abusivo, dizendo q eh só terminar, mas n eh tão simples assim. A tortura psicologia é algo que massacra e o homem consegue acabar com a autoestima da mulher, através do psicológico”, explica.

Vinte dias depois do término, ele foi atrás dela. Eles acabaram voltando, até que, em função de alguns problemas pessoais do rapaz, ele a pediu em casamento. Apesar de não querer, Natália aceitou o pedido.

Sabia que agora o Razões tem um livro? O Que Eu Aprendi Até Agora 50 Conselhos Inspiradores Para Uma Vida Cheia de Razões Para Acreditar! está em pré-venda até 15/08. Comprando o seu exemplar agora , ganhe um brinde especial + frete grátis, clique aqui

A gota d’água e o fim do relacionamento abusivo

Nesse meio tempo, ela conseguiu um novo emprego em um grande hospital de BH, como auxiliar administrativa. E, graças ao incentivo do seu gestor, ela começou a estudar e fazer uma faculdade a distância, para iniciar na área de RH.

Na volta do trabalho, um dia antes do Enem, que ela prestaria para tentar uma bolsa e não pagar mais faculdade, ela desmarcou a consulta que tinha no dentista e foi para casa estudar, enquanto ele saia para o bar.

Na madrugada, por volta das 4h da manhã, o marido voltou para casa bêbado, tentando acordar Natália. Ela se negou e disse que tinha que acordar cedo, por causa da prova do ENEM. Ouvindo a resposta da mulher, o homem começou a enforcá-la.

Com muito esforço, Natália conseguiu sair dos braços dele e correu para a cozinha. Após horas tentando acalmá-lo, ele surtou novamente e ela fugiu para a casa de seus pais. Ela foi embora, para nunca mais voltar.

Após dias isolada, Natália saiu de casa pela 1ª vez após a briga com o ex-marido. Foto: arquivo pessoal

“Ele não aceitou o meu ‘não’ naquele momento. Ele ainda disse que eu estava o traindo, por isso não quis acordar. Ele surtou de vez. Achou que eu tinha deixado de ir ao dentista para me encontrar com alguém”, conta.

E, no mesmo dia, chegando na casa de seus pais, ela se arrumou e… foi fazer o Enem. Apesar de tudo o que aconteceu, ela não desistiu. Fez a prova no sábado e domingo, com a cabeça a mil, e foi para casa aliviada. Mas, por 10 pontos, acabou não conseguindo a bolsa.

Em meio ao caos, um recomeço brilhante

Depois de viver o pesadelo que é um relacionamento abusivo, Natália começou a dar a volta por cima. Renegociou a divida da faculdade, fez estágio na área que mais amava e se formou em RH, sua área de atuação hoje em dia.

Em 2018, pensando em autocuidado, decidiu tirar um ano sabático. Foram 6 meses de sofrimento, para 6 meses de recuperação plena. Após esse período, as conquistas começaram a chegar.

Ela recebeu uma proposta de emprego para iniciar a área de carreiras da maior faculdade da cidade. Após mais alguns anos de muito estudo e dedicação, o reconhecimento chegou: ela se tornou mentora de carreira e especialista em recolocação.

O inicio de um sonho… 👀

auxiliar de rh
Foto: arquivo pessoal

Deu tudo certo… 💜

NS consultoria de carreira
Foto: arquivo pessoal

Hoje, Natália tem seu próprio escritório e começou a trabalhar ativamente nas redes sociais. São mais de 10 anos de experiência com R&S e T&D, ajudando mais de 900 profissionais a conseguirem um emprego.

“Essa batalha vencida foi o combustível para o início de várias outras vitórias. sem Deus, nada disso seria possível.”

Quer ver mais uma história inspiradora? Dá um play!

Sabia que agora o Razões tem um livro? O Que Eu Aprendi Até Agora 50 Conselhos Inspiradores Para Uma Vida Cheia de Razões Para Acreditar! está em pré-venda até 15/08. Comprando o seu exemplar agora , ganhe um brinde especial + frete grátis, clique aqui

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,786,495SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Menina realiza sonho de receber primeira comunhão em hospital enquanto espera transplante de coração

Gabriela Romanoski de Andrade, de 10 anos, sonhava muito com a sua primeira comunhão, mas um problema no coração a impediu de realizar a...

Irmãs indianas que nasceram cegas enxergam o mundo pela primeira vez

As irmãs Sonia e Anita, de 12 e 6 anos, nasceram sem a visão. Assim como milhões de indianos rurais, a família das irmãs não tinha...

Com casas de show fechadas, drag queens se apresentam em janelas de apartamento em Paris

Com a pandemia do coronavírus, casas de shows e espetáculos no mundo inteiro foram canceladas. Mas e as pessoas que vivem disso? Como a...

Fotógrafa recria “Pequeno Príncipe” em fotos encantadoras e bem brasileiras

A fotógrafa Mari Merlim resolveu recriar a famosa história "Pequeno Príncipe", do autor francês Antoine de Saint-Exupéry, em lindas imagens bem brasileiras. Quem nunca ouviu falar do "Pequeno Príncipe"? Seja...

Cãozinho transforma vida de garoto com paralisia que não conseguia sorrir

Johnny tem apenas 9 anos de idade e por conta de uma paralisia facial, quase perdeu a capacidade de sorrir. O garoto também é...

Instagram