Mulheres transformam guarda-chuvas em abrigos impermeáveis para pessoas em situação de rua de SP

0
1173

Cientes de que a população em situação de rua de Petrópolis (RJ) nunca esteve mais vulnerável em meio a esse rigoroso inverno, um grupo de mulheres da cidade embarcou em uma iniciativa para trazer o mínimo de conforto e dignidade para essas pessoas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nas mãos das voluntárias do projeto ‘Guarda-chuvas que acolhem’, esses objetos que iam para o lixo devido ao desgaste, ganham uma nova – e nobre – utilidade: o tecido é transformado em abrigo impermeável para moradores em situação de rua do município fluminense.

A ação social é liderada pelas petropolitanas Josélia Contage, Marisa Alves e Ana Maria Rattes. O objetivo delas é simples: aquecer e acolher o máximo de pessoas quanto conseguirem.

mulheres transformam guarda-chuvas em abrigos impermeáveis moradores rua

Professora há décadas, Josélia Contage, 74 anos, encontrou na costura dos tecidos de guarda-chuvas uma maneira de ajudar o próximo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Está muito frio e a gente fica pensando nessas pessoas na rua e sem nenhum conforto. Fazendo os abrigos encontrei uma forma de ajudar. Às vezes a gente acha que precisa de dinheiro para ajudar o outro, mas existem outras maneiras“, disse.

A idosa conta que não é costureira, mas transformar os tecidos em abrigo não é uma tarefa complexa. “A costura é reta e não tem acabamento”, afirmou.

mulheres transformam guarda-chuvas em abrigos impermeáveis moradores rua

Até aqui, o projeto já doou 44 abrigos impermeáveis a pessoas em situação de rua de Petrópolis. Todos eles são feitos na casa de Ana Maria Rattes.

De acordo com Ana, a entrega é realizada pelas equipes de abordagem compostas por agentes do Centro Pop e do Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) para as pessoas que se recusam a dormir nos abrigos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: Sou Petrópolis
Fotos: Divulgação / Projeto ‘Guarda-chuvas que acolhem’

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.