Mulheres indígenas plantam 150 mil árvores nativas na Amazônia equatoriana

Mulheres indígenas estão liderando a regeneração de uma área importante da Amazônia equatoriana. A ação, que realizou o plantio de 150 mil árvores, cobre 100 hectares e é uma parceria entre a ONG Tree Planted e a Associação de Mulheres Sapara.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Antes da chegada da colonização dos europeus, os Sapara estavam entre as maiores populações indígenas que vivem na Amazônia. Hoje, contam com apenas 600 membros que, assim como seus ancestrais, convivem em harmonia com a natureza.

No entanto, a exploração descontrolada de petróleo na região ameaça seu modo de vida e um dos ecossistemas mais ricos do planeta.

mulher indígena sorrindo sentada segurando ferramenta plantio árvore
Associação de Mulheres Sapara foi criada em 2009. Foto: One Tree Planted

Regenerando a floresta

A Associação de Mulheres Sapara foi criada em 2009 para proteger os direitos de mulheres ameaçadas de violência e intimidadas na defesa de suas terras. Em 2020, a One Tree Planted firmou uma parceria com a Associação. Cerca de 120 funcionários e voluntários ajudaram a regenerar a floresta amazônica, ao mesmo tempo em que empoderam as mulheres Sapara como líderes em suas comunidades

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mulheres indígenas plantando árvores amazônia equatoriana
Foto: One Tree Planted

As árvores plantadas ajudam a prevenir a erosão do solo e a manter os rios limpos, facilitando a regeneração saudável da floresta tropical ao longo do tempo. Além disso, trará de volta o habitat e os recursos alimentares necessários para várias espécies de animais.

mulher indígena cortando mato facão
Foto: One Tree Planted

mulher indígena plantando semente árvores amazônia equatoriana
Foto: One Tree Planted

Muitas espécies de árvores plantadas também são importantes para fins espirituais e para a medicina tradicional dos Sapara. Em tempos de pandemia, nunca foi tão importante para a comunidade ter acesso a medicamentos locais e alimentos que não são encontrados em uma região remota. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mulheres indígenas seminário formação
Foto: One Tree Planted

Guardiãs da floresta

O apoio a grupos indígenas como os Sapara, para a One Tree Planted, é importante, porque redobra os esforços contra mudanças climáticas, pois, de pé, a floresta absorve grandes quantidades de dióxido de carbono e, ao evitar a exploração de combustíveis fósseis, impede a liberação de mais gases de efeito estufa. É importante, também, porque empodera mulheres como agentes de mudanças, maximizando seu impacto.

“Plantar árvores e restaurar as florestas ajuda a reverter os danos climáticos enquanto protegemos a insubstituível biodiversidade da Amazônia. Ao mesmo tempo, defende mulheres indígenas corajosas como as legítimas ‘guardiãs de suas terras’.”

rio e floresta amazônia equatoriana
Foto: One Tree Planted

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: ONG Tree Planted


Único passageiro sobrevivente de acidente aéreo com avião da Varig recebe ligação surpresa 47 anos depois. Confira esta história no Cafezoom!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,824,688SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Agora é crime: homofobia e transfobia podem dar até 5 anos de prisão

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) enquadra declarações homofóbicas e transfóbicas no crime de racismo.

Bebê fofo dá show de interpretação com música da Whitney Houston. Veja vídeo!

Sabe aquelas pessoas que nascem com dom musical? Pois é... o pequeno Matt aqui é exatamente esse tipo de pessoa, a única diferença é...

Jovem que vende água em sinal se emociona ao ganhar sapatos novos e isopor

O jovem é catador de latinhas e com dinheiro que ganha, compra água e vende no sinal vestido de garçom.

Vidraceiro assume guarda de filho ‘devolvido’ para abrigo

"Me chamam de louco por ter uma vida simples e adotar duas crianças."

Menina síria que o pai fazia rir das bombas escapa da guerra: ‘Não há mais explosões’

Duas semanas atrás, o sírio Abdalla Mohamed, 32 anos, pai da pequena Sawa, 3 anos, gravou um vídeo brincando com a filha tentando acobertar...

Instagram