Coletivo de mulheres doa centenas de mantas para idosos em asilos de Petrópolis (RJ)

Dezenas de pessoas, das mais diversas regiões do país, se uniram para produzir e doar mais de 200 mantas para idosos carentes em Petrópolis, no Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Essa corrente do bem começou em 2018, quando a mãe da artista plástica Renata Gam teve uma ideia simples, mas brilhante, de fazer quadradinhos de crochê (20×20 cm) para formar mantas e aquecer idosos que vivem em asilos.

A artista plástica levou a ideia para suas amigas, que toparam somar forças na produção das mantas, além de chamar outras pessoas para participar.

Coletivo de mulheres produz e doa mais de 200 mantas em Petrópolis (RJ)

O coletivo de mulheres acabou se tornando um grupo descentralizado e internacional: em um ano, foram enviados 8 mil quadradinhos de várias partes do Brasil e do mundo, suficientes para montar 235 mantas e dezenas de gorros.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Co-fundadora do coletivo, Marcia Coelho Netto conta que mais de 100 gorros já foram doados para a creche São Charbel, no Caxambu, Comunidade Menino Jesus, que cuida de crianças excepcionais, e para a APPO (Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos); mais de 39 mantas para o Hospital Vista Alegre (antigo SOC); e dezenas de mantas para casas de repouso de Petrópolis.

Coletivo de mulheres produz e doa mais de 200 mantas em Petrópolis (RJ)

Quem quiser contribuir para aquecer mais pessoas nesse inverno, precisa fazer um quadradinho de crochê ou tricô 20×20 cm (com oito carreiras) e mandar para a Rua do Imperador, 842 (Loja 1 – Morita Modas), no Centro de Petrópolis.

As “Crochemigas” fazem um encontro toda última quarta-feira do mês, das 14h às 18h, na Casa de Cultura Cláudio de Souza (Praça Rui Barbosa, 5 — Centro) para crochetear juntas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Muito mais do que confeccionar mantas ou gorros, essas mulheres uniram boas energias e disposição para um propósito maior: fazer o bem e criar conexões entre as pessoas. “Todo mundo deveria fazer isso uma vez na vida. Você entra no asilo de um jeito e sai de lá outra pessoa, muito melhor“, afirma Renata Gam, idealizadora do coletivo.

Leia também:

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Sou Petrópolis/Fotos: Reprodução/Marcia Coelho Netto

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,851,931SeguidoresSeguir
24,983SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Quem disse que eles não tem sentimento?

Chequita, um macaco capuchino bebê, abraça sua mamãe Cassia, enquanto ela passa por uma cirurgia em sua mão, na Austrália.

Alagoana aprovada para intercâmbio em Harvard agora quer ajudar outros jovens a ingressar na universidade

Orgulho do Nordeste, orgulho do Brasil! A alagoana Natália Cecília Carvalho Ribeiro foi aprovada para um intercâmbio na Universidade de Harvard, nada mais, nada...

Assista à tocante conversa entre um filho e o pai sobre os atentados terroristas de Paris

Em um dos atos de homenagem às vítimas dos ataques terroristas de Paris, na noite do dia 13 de novembro, o Le Petit Journal...

Após ser flagrado chorando pela moto quebrada, motoboy recebe ajuda de internautas

Debaixo de chuva, domingo à noite (28/06), em João Pessoa (PB), o jovem motoboy Mikael, 19 anos, chorava ao lado de sua moto quebrada. Criamos...

Instagram

Coletivo de mulheres doa centenas de mantas para idosos em asilos de Petrópolis (RJ) 1