Mulheres se unem através de música e dança no projeto Cores de Aidê

Mulheres unidas, dançando e tocando instrumentos de percussão, esbanjando alegria ao ritmo de samba reggae. A energia é de sororidade e empoderamento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Assim é uma apresentação do Cores de Aidê, projeto que nasceu em 2015 no Morro do Quilombo, em Florianópolis, idealizado por Sarah Massí – atualmente regente e percussionista da banda.

O sonho de criar um espaço de troca entre mulheres, agregando as mais diversas personalidades, histórias, gerações e vivências se concretizou com êxito: em tão pouco tempo, o “Cores” já é um ícone cultural da cidade.

A arte feminina – e feminista – do grupo é contagiante, e suas letras nos inspiram a refletir sobre importantes temas como o racismo e o papel da mulher na sociedade.

Um abraço apertado entre as participantes do grupo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Origem do nome “Cores de Aidê”

Presente em cânticos de capoeira, Aidê é uma figura mitológica, representada por uma escrava africana, negra de olhos verdes e grande beleza. De grande coragem, ela teria escolhido fugir em vez de se casar com o “Senhorzinho” (mesmo em troca de liberdade). Em um quilombo,  ela encontra os negros irmãos e descobre um grande amor.

A escolha veio para simbolizar a força da mulher que não capitaliza valores e sentimentos nem teme ir contra a corrente. O termo “cores” traz vários significados: exclusões quando definimos as “cores de menina” e “cores de menino” e também quando definimos a cor de pele da “beleza padrão”.

Dança e ritmo contagiante na apresentação do grupo Cores de Aidê

Muito a oferecer

O ano de 2019 já veio com força total para o grupo. Foram diversas apresentações no Carnaval e apresentação-protesto no Dia da Mulher (aliás, esta que vos escreve esteve presente e pode dizer: foi lindo, de arrepiar!).

Mulheres com cartazes em protesto
Apresentação-protesto no Dia da Mulher

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ainda neste ano, teve início o Projeto Menina Aidê, com aulas de percussão, canto e dança para meninas. Levar a arte para a nova geração é mais uma contribuição positiva dessa iniciativa.

Fonte: Site Cores de Aidê e entrevista com a fundadora do grupo, Sarah Massí

Créditos fotos: Facebook e Felipe Carneiro/Diario Catarinense

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,646,211SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cachorrinha danadinha espalha purpurina na cama do dono e viraliza

Um vídeo hilário que circula nas redes sociais mostra o momento em que um dono flagra sua cachorra na cama após estourar um saco...

17 histórias maravilhosas por trás dos nomes que vão deixar seu dia melhor

Ah esse meu povo brasileiro, quanta criatividade! Cada nome tem uma história única e um significado peculiar para cada um de nós. Entre tantos...

Engenheira cria potes de comida retornáveis para reduzir lixo no delivery

Consternada com o desperdício enorme de embalagens usadas pelos aplicativos de entrega de comida a domicílio, uma engenheira de produção brasileira criou um projeto...

Um manifesto que conta algumas das verdades mais valiosas

Não estamos falando de vídeos motivacionais ou de auto-ajuda, esse aqui é uma compilação de pequenos-grandes ensinamentos, que de tão simples se tornam essenciais,...

Menininho de 2 anos recepciona coletores de lixo de sua cidade com garrafas de água gelada

*Alerta de fofura máxima! Na cidade de Navegantes, em Santa Catarina, coletores de lixo da empresa responsável pela coleta da região sempre são recebidos...

Instagram