Conheça as histórias de 4 mulheres que superaram barreiras e se tornaram profissionais que inspiram outras pessoas

0
2408

Georgia Ferreira, Letícia Drumm, Laura Soares e Mariana Salustino possuem histórias de vida parecidas. No caminho para se tornarem as profissionais que são hoje, precisaram superar muitas barreiras. Elas também têm em comum o ponto de chegada: a Corteva Agriscience.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E é na empresa 100% agrícola, que tem como foco prioritário possibilitar uma cultura de inclusão, diversidade e equidade, que elas podem continuar se desenvolvendo e, assim, inspirar outras pessoas. Para isso, contam com o apoio dos grupos de afinidade – os Business Resource Groups (BRGs)

A seguir, conheça um pouco mais a história de cada uma delas e o BRG do qual fazem parte.

“Não botavam fé em mim. Hoje eu lidero pessoas”

Um dos primeiros empregos da Geórgia foi em uma fábrica. Sendo um ambiente majoritariamente masculino, ela precisava se impor para que não a diminuíssem por ser mulher. E assim, Georgia construiu sua carreira, mostrando que lugar de mulher é onde ela quiser.  Atualmente, Georgia é líder de produção da unidade da Corteva, em Franco da Rocha (SP), e atua no BRG WIN, grupo de afinidade que capacita e conecta mulheres em toda a empresa para permitir a colaboração e o desenvolvimento de lideranças femininas.

“Não deixei a paralisia cerebral me limitar”

Letícia tem paralisia cerebral, mas nunca deixou a deficiência limitá-la. Pelo contrário, ela se dispôs a viver da melhor forma. Formada em Administração, ela faz estágio na Corteva e participa do grupo de afinidade DAWN, que capacita funcionários com deficiência pra aprimorar seus talentos e atingir seus objetivos.

View this post on Instagram

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A post shared by Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar)

“A Corteva tem sido exemplo de inclusão e diversidade”

Mariana tinha dificuldades nas aulas de matemática no colégio. Mas graças ao apoio de um professor após tirar uma nota ruim, descobriu a paixão pelos números e hoje é cientista de dados. Esse mesmo apoio ela encontrou na Corteva, através do BRG GAHA, grupo de afinidade que visa transformar os locais de trabalho e comunidades em ambientes inclusivos, onde pessoas negras (pretos e pardos) são valorizadas por seus talentos e capacitados para alcançar seu potencial.

View this post on Instagram

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A post shared by Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar)

Muito bacana, não é mesmo?

Por mais empresas comprometidas em criar um ambiente onde as diferenças sejam acolhidas e utilizadas para melhor atender às necessidades dos clientes e o bem estar de seus funcionários. 💚 

Para conhecer mais a atuação dos BRGs, clique aqui.

Conheça as histórias de 4 mulheres que superaram barreiras e se tornaram profissionais que inspiram outras pessoas 2

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.