Ação liderada por mulheres indígenas já plantou mais de 1 milhão de árvores no MT

As mulheres Yarang, aldeia indígena localizada próxima ao rio Xingu, no Mato Grosso, fazem um verdadeiro trabalho de formiguinha – gradual, coletivo e incessante -, causando um impacto positivo gigantesco no reflorestamento e na manutenção das nascentes dos rios Xingu e Araguaia, que se estendem por todo o território mato-grossense.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Assim como as famosas formigas cortadeiras, as mulheres do povo indígena Ikpeng se unem para coletar centenas de milhares de sementes de uma só vez, que posteriormente utilizam para reflorestar vastas áreas degradadas.

Elas conduzem seu trabalho cientes dos resultados que o trabalho constante e coletivo pode proporcionar. Trata-se de um movimento liderado apenas e tão somente por mulheres, para corrigir o estrago da ação do ‘homem branco’ – que já produziu, em 10 anos, mais de 3,2 toneladas de sementes, e possibilitou a plantação de mais de 1 milhão de árvores.

Ajuda para construir casa pra idoso que vive em condições desumanas

mulher indígena

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sementes palma mão mulher indígena

Algumas das mulheres Yarang

“Os brancos, responsáveis pelo desmatamento, não tem mais onde coletar sementes. Então usam nossa semente para fazer a floresta de novo”, diz Koré Ikpeng, uma das mulheres Yarang.

mulheres indígenas

O povo Ikpeng é formado por cerca de 500 pessoas e vive dentro do território do Xingu. Eles falam a língua Karib.

Em sua cultura, as mulheres também ocupam lugares de liderança, andando “ao lado dos homens – nem à frente, nem atrás”, dizem.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também:

O reflorestamento gradual conduzido com dedicação pelas mulheres Yarang visa recuperar as 22.500 nascentes nas cabeceiras do Rio Xingu e os mais de 150 mil hectares de mata que já estão degradados.

mulher indígena pintando rosto

Acima, as mulheres se preparando para a festa pelos 10 anos do projeto; abaixo, a festa em dança.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ajuda para construir casa pra idoso que vive em condições desumanas

mulheres indígenas dançando

“É preciso ensinar o valor das sementes, o valor das florestas”, diz Magaró Ikpeng. “É preciso garantir que meus netos e netas vão ter futuro.”

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Ciclo Vivo/Fotos: Reprodução/Instituto Socioambiental (ISA)

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,829,971SeguidoresSeguir
24,609SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mulher se muda para abrigo de cães para ajudar a divulgar pit bull que aguardava adoção há quase 2 anos

Kacey Widetich abraçou uma causa mais que justa: encontrar um lar para o Drools, um Pit bull de 4 anos, que foi abandonado há...

Dicas que podem te inspirar a ser mais feliz

Esses dias li em alguns blogs dicas sobre o que as pessoas felizes fazem para conseguir tal sentimento na vida. E coincidentemente, ou não,...

Mulher trans cuida de irmão deficiente como se fosse um filho: “Ele me chama de irmãe”

É tão bonito de ver uma relação de união entre dois irmãos, né? Mas a história que temos pra contar hoje vai muito além...

Ator dá lição sobre como os pais devem agir com seus filhos diante de birra

Pais que deixam uma criança espernear e gritar por birra em público sem interferir, podem ser considerados sem educação por grande parte das pessoas....

Instagram

Ação liderada por mulheres indígenas já plantou mais de 1 milhão de árvores no MT 2