Moradores criam ‘muro da gentileza’ para doação de roupas e calçados a pessoas carentes no RJ

No último sábado, 13 de novembro, foi comemorado o Dia Mundial da Gentileza.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Um ato gentil desarma até o mais insensível dos corações e é um remédio eficaz contra a indiferença e a falta de compaixão. Atitudes como um abraço, um sorriso ou uma palavra positiva são capazes de mudar completamente o dia de alguém.

Aproveitando a semana, duas boas ações sintetizaram o espírito gentil dos cariocas. No domingo (14), dois garis ajudaram uma mulher a dar à luz no calçadão de Copacabana.

No mesmo dia, em Botafogo, moradores criaram um ponto de doação de roupas na Praça Compositor Mauro Duarte, pendurando uma faixa com a mensagem: “Muro da gentileza: quem precisa, pega. Quem não precisa, deixa”.

Moradores criam 'muro da gentileza' para doação de roupas e calçados a pessoas carentes no RJ 2

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ali mesmo, pessoas que passam pela praça têm deixado roupas e sapatos para doação. Tudo fica exposto e qualquer um que precisa pode pegar, sem qualquer custo.

O Muro da Gentileza vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 9 às 18h.

Segundo moradores, as pessoas que se beneficiam das doações geralmente voltam para pegar mais roupas, seja para elas mesmas, seja para conhecidos.

No início desta semana, a faxineira Helena Maria Cabral, 55 anos, que trabalha na Zona Sul no Rio, estava passando pela praça quando viu o muro e decidiu levar algumas peças infantis.

As roupas serão para os netos (ela tem 16!). O mais novo tem 2 anos de idade. “É legal isso aqui, duas semanas atrás peguei até um carrinho de bebê para o meu neto”, relembrou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Moradores criam 'muro da gentileza' para doação de roupas e calçados a pessoas carentes no RJ 3

Dona Helena mora em Belford Roxo e ficou sabendo do projeto algumas semanas atrás. “Eu estava passando por aqui e vi o pessoal pegando as coisas. Então, peguei um sapatinho para mim”, lembrou.

Pouco depois da faxineira ir embora, foi a vez de Reginaldo da Silva, 59, pegar alguns itens de doação também. Ele, que vive em situação de rua, contou que esta foi a segunda vez que pegou roupas.

A iniciativa foi elogiada. “É uma ação legal, porque quem pode, faz a doação, e quem precisa, pega”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De acordo com o portal “Extra”, o Muro da Gentileza foi criado por uma moradora de Botafogo, a nutricionista Paula Souza.

Assista ao vivo os ganhadores do Prêmio Razões para Acreditar, dia 07/12 às 18h! Ative as notificações clicando aqui.

Ela afirma que além da doação de roupas, os voluntários também podem deixar itens de higiene, acessórios, alimentos, brinquedos e utensílios domésticos.

Há quase um ano, Paulo e o marido distribuem quentinhas para pessoas em situação de rua. Com a ajuda de amigos, eles investem em ações solidárias por meio de sua rede de solidariedade.

“A gente viu que essa iniciativa do Muro da Gentileza existe e é feita em alguns lugares e tivemos a ideia de fazer ali também, que é um ponto onde circula muita gente”, completou a nutricionista.

Fonte: NE10
Fotos: Hermes de Paula / Agência O Globo

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Motoboy adota cachorra abandonada e ela agora vai trabalhar com ele todos os dias

Coincidência ou destino? Um jovem peruano que trabalha como entregador de delivery se deparou com uma cachorrinha abandonada enquanto fazia uma de suas entregas...

Vídeo mostra momento em que avó conhece netinha adotiva pela primeira vez

Foi um processo longo, mas depois de um ano finalmente o casal estava com sua filha adotiva em casa. Mas faltava contar a novidade para...

Menino de 8 anos ajudou cerca de mil moradores de rua com kits feitos à mão e promete continuar

Zohaib Begg, 8, tem um propósito de vida: ajudar quem mais precisa. Ano passado, ele arrecadou mais de 6 mil equipamentos de proteção individual...

“Ela é minha luz”, diz pai solo e gay 4 anos após adotar menina com Down rejeitada por 20 famílias

A pequena Alba, hoje com 5 anos, nasceu com síndrome de Down. Infelizmente, seus pais biológicos não aceitaram sua condição e a abandonaram em...

Instagram

Moradores criam 'muro da gentileza' para doação de roupas e calçados a pessoas carentes no RJ 5