Nadadora cega redescobre o amor pelo esporte graças ao seu cão-guia

Os animais são companheiros mais que fiéis para todos nós e estão do nosso lado, mesmo nos piores momentos. A história da nadadora Anastasia Pagonis, prova isso. Ela redescobriu o amor pelo esporte graças ao seu cão-guia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Anastasia na piscina e cão-guia fazendo carinho

Anastasia mora em Nova York e perdeu a visão aos 14 anos. Foi justamente nesta mesma época, que ela descobriu a natação como esporte. Quando ficou cega, a jovem achou que toda a sua vida estava perdida e seus sonhos seriam impossíveis de serem realizados.

Após um período ultrapassando a depressão, Anastasia resolveu fazer algo para sair da rotina. E foi quando o Radar apareceu na vida da jovem nadadora. Ele foi adestrado com um time profissional de hóquei, o que o deixou muito esperto e totalmente hábil para ser cão-guia.

Anastasia adotou Radar e o treinou para a sua rotina durante 10 dias. Nesse mesmo tempo, os dois criaram uma relação de amizade muito linda e fiel.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

cão ajuda nadadora cega em treinos

E foi com a ajuda do Radar, que Anastasia decidiu voltar para a natação. Ele a orienta nos treinos e parece que os dois foram uma dupla e tanto. A jovem já conquistou vários títulos, incluindo duas medalhas de ouro no World Para Swimming World Series.

Agora Anastasia – e Radar, claro – quer ir para as Paralimpíadas de Tóquio, em 2021. E a gente vai torcer para ver os dois disputando as medalhas olímpicas!

FONTE: Ninja Journalist

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,444,158SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Marcas & Causas: fazer o bem faz bem pra quem?

Com o planeta dando sinais claros de que algo precisa mudar, até pouco tempo atrás, sustentabilidade era a palavra da vez. Na mídia ou...

Médica faz festinha de aniversário para garoto durante troca de sangue

Sem a troca de sangue, o garoto corre o risco de ter um AVC isquêmico.

Ex-refugiado que escapou da guerra desenvolve games pela paz

Nascido no Sudão do Sul, Lual Mayen precisou caminhar centenas de quilômetros até a Uganda fugindo da guerra civil na região. Nesta jornada, ele...

Cooperativa de detentas lança loja virtual para vender produtos na internet

Formada por mulheres sob custódia da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), em Ananindeua, no Pará, a Cooperativa Social de Trabalho Arte Feminina...

Filho de terrorista, Zak Ebrahim optou pela paz e hoje é ativista pacifista

Segundo ele, 99% das situações podem ser resolvidas sem uso da violência, afinal, não se combate guerra com guerra.

Instagram