Array

Netas se inspiram em matéria do Razões e criam mercado para avó fazer compras

Vontade de fazer compras no mercado, né minha filha? Era assim que Dona Dulcina Pereira, de 78 anos, estava se sentindo. Aí as netas dela encontraram a solução aqui no Razões.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dona Dulcina costumava ir todos os dias, absolutamente todos, ao supermercado Guanabara do bairro da Tijuca (RJ), pertinho de casa e estava sentindo muita falta de fazer umas comprinhas.

As netas, as gêmeas Carol e Juliana, viram o exemplo da família australiana que criou um “mercado” em casa para que a vovó com Alzheimer pudesse fazer as compras. Elas decidiram fazer o mesmo e deu super certo.

Vovó comprando produtos em mercado criado por família em casa durante a quarentena
Os produtos eram representados por rótulos em palitinhos e a vovó levou quase tudo. Foto: Arquivo pessoal

“Me arrumei, troquei de roupa e quando cheguei lá elas tinham preparado essa surpresa maravilhosa”, disse a vovó.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“A gente se inspirou na postagem do Razões. Ela mora embaixo da gente. Nós cortamos os rótulos, preparamos tudo, demos dinheirinho pra ela comprar e colocamos os produtos, foi bem legal”, disse a neta Carol.

“Até a música que toca no mercado elas colocaram”, disse a vó orgulhosa. Uma das netas ficou no caixa e a outra tinha até microfone com caixa de som para interagir com os clientes igualzinho na loja.

É como a ideia de uma família do México. Os pais criaram um cineminha em casa com direito a bilheteria, pipoca, anúncio de filmes e, claro, a tela de exibição. Tudo isso para entreter o filho que estava com saudades de ir ao cinema. Vale à pena ver essa história.

Casa com sacola de mercado improvisado por família para vovó fazer compras durante a quarentena
A entrada do mercado improvisado tinha propagandas e a sacola de compras. Foto: Arquivo pessoal

O Razões tem seu próprio podcast para espalhar boas notícias, ouça os episódios na sua plataforma favorita clicando aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu fiquei muito feliz, me diverti bastante porque estava bem chateada de não poder ir ao mercado e foi uma brincadeira muito boa”, disse Dona Dulcina.

Na família, apenas o pai da Carol e da Juliana está saindo de casa para fazer compras no mercado, farmácia, padaria. “A gente pergunta a ela pela janela o que ela tá precisando e ele vai lá comprar”, disse a neta.

Dona Dulcina gostou tanto da brincadeira que agora o mercado da casa vai ter que abrir todo dia, fidelizou a clientela. “Me distraí muito, me senti mimada pelas minhas netas. Bem que podia abrir sempre esse mercado”, brincou a vovó bem-humorada.

A criatividade para superar esses momentos não para de surpreender. Na Itália as pessoas estão arrumando um jeito pouco convencional de brindar à distância.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Avó abraçada com netas em praia e por do sol ao fundo
Avó e netas gêmeas são que nem carne e unha. Foto: Arquivo pessoal

Uma coisa tão simples e que provoca tanto sentimento legal, né?!

selo conteúdo original

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,096,298FãsCurtir
2,698,520SeguidoresSeguir
22,639SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Meninos de 6 anos vendem doces para ajudar vítimas da guerra e Angelina Jolie faz doação surpresa

Ayaan Moosa e Mikaeel Ishaaq, ambos de 6 anos, querem ajudar as vítimas da guerra no Iêmen. Os dois garotinhos então se uniram para...

Marvel autoriza fã com doença terminal a assistir Vingadores 4 antes da estreia

O ator australiano Chris Hemsworth, o Thor, foi o responsável pela resposta de um emocionante pedido levantado pela internet - uma comunidade online se...

Casal morre de mãos dadas com horas de diferença, após 60 anos juntos

Um casal de idosos que passou 60 anos juntos morreu de mãos dadas, com apenas algumas horas de diferença no início deste mês em...

Policiais cantam ‘Baby Shark’ para colher digital de menino autista: ‘criar vínculos’; assista

“Na hora a gente tem que dar uma improvisada, e tem que ir de acordo mesmo com cada criança. Tem que criar aquele vínculo com ele, para quebrar aquele gelo."

Colégio tradicional no Rio acaba com distinção de uniforme por gênero

O Colégio Pedro II é um dos mais tradicionais do Rio de Janeiro, mas acaba de extinguir uma tradição que não faz o menor...

Instagram

Netas se inspiram em matéria do Razões e criam mercado para avó fazer compras 1