O Boticário aumenta suas vendas mesmo após tentativa de boicote de alguns líderes religiosos

Após sugerir um boicote à marca O Boticário, que lançou uma campanha de Dia dos Namorados com casais gays, junto com outros líderes religiosos fundamentalista, Silas Malafaia viu as vendas da empresa terem alta.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E essa alta tem que ser duplamente comemorada, porque o comércio como um todo teve uma queda de 5% nas vendas em 2015. No entanto, O Boticário conseguiu superar esse entrave e ainda obteve um aumento de 3% na comercialização de seus produtos, em relação ao período anterior. De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista, as causas para o aumento podem ter sido a campanha em favor da empresa feita pela comunidade LGBT.

Nós mesmos aqui do RPA fomos um dos primeiros site no país a levantar a bandeira contra a campanha de “deslikes” ao vídeo da marca, e ainda enumeramos as outras 379 empresas que assinaram um documento apoiando o casamento igualitário, para que seus funcionários possam ter os mesmos direitos que qualquer outro casal. 

Leia mais: Diante da ameaça de boicote de campanha d’O Boticário, a marca dá a melhor resposta

Segundo um estudo elaborado pela SGC Conteúdo, mesmo com as críticas e pedido de boicote, a imagem do Boticário não foi abalada. A pesquisa mostra que a palavra “gostei” foi uma das mais repetidas no Twitter entre as 31 mil publicações com o termo “Boticário” de 2 a 6 de junho, à frente de termos como “gays” e “Malafaia”; e uma campanha no Facebook a favor do Boticário ganhou 190 mil adeptos. Para Sílvio Guedes Crespo, diretor geral da SGC Conteúdo, quem assume uma postura pioneira sabe que terá um custo e espera obter um benefício.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“No caso de O Boticário, as redes sociais ajudaram a empresa a reduzir o primeiro e a aumentar o segundo”, afirma. Para ele, a empresa foi muito inovadora e a longo prazo será reconhecida como uma organização com valores à frente do seu tempo. “A conquista de direitos por parte da população LGBT é uma tendência de longo prazo em sociedades ocidentais, embora no meio do caminho haja eventuais retrocessos”, explica.

“As empresas, especialmente as grandes corporações, tendem a acompanhar esse movimento, e a sociedade como um todo tende a aceitar cada vez mais essa diferença”, conclui.

Post originalmente publicado no Super Pride.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,838,442SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Após morte de vocalista, Linkin Park lança site de prevenção a suicídios

O mundo ficou triste com a morte do cantor Chester Bennington, de 41 anos, na semana passada. Segundo relatório divulgado pela polícia de Los...

Casal celebra 75 anos de casamento ‘vivendo o felizes para sempre’

Há exatos 75 anos, o casal Jardino e Apolônia fizeram seus votos de matrimônio na Igreja Nossa Senhora das Dores de Barra Fria, em...

Projeto de Lei do Romário torna crime a famosa carteirada

Confesso que o Romário tem sido uma das ótimas surpresas no cenário político atual. Ele tem se mostrado extremamente engajado em diversas causas, uma...

Garoto dá pedal de sua bicicleta para ciclista perdido e chora ao ganhar bike nova

O simples ato de um garoto de 12 anos de idade de dar um pedal de sua bicicleta para um ciclista terminou numa atitude...

Alunos se mobilizam para construir biblioteca em bairro carente de Cotia (SP)

Um grupo de estudantes da Faculdade de Tecnologia (Fatec) de Cotia, em São Paulo, desenvolveu um projeto educacional voltado à comunidade do Jardim Nova Cotia, bairro...

Instagram