O buffet francês que só contrata refugiados para cozinhar pratos típicos de seus países

Por Débora Spitzcovsky

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quase 20 mil. Esse é o número de refugiados que chegaram à França apenas em 2015, segundo o The New York Times. São homens, mulheres e crianças do Oriente Médio e da África que arriscaram suas vidas e atravessaram o oceano para fugir da violência dos conflitos armados que acontecem nas regiões onde moram – seja por motivos políticos, étnicos e/ou religiosos.

Retomar suas vidas quando chegam em “terra segura”, no entanto, não é facil. Faltamoportunidades. Ou faltavam, no que depender do buffet Les Cuistots Migrateurs (Os Cozinheiros Imigrantes, em português).

Fundada pelos chefs franceses Louis Jacquot e Sébastien Prunier, a empresa contrata apenas refugiados para trabalhar na cozinha. No cardápio, só comidas típicas dos países onde viviam. Assim, além de oferecer emprego, o buffet dá a essas pessoas a oportunidade de matar um pouquinho a saudade de casa e mostrar sua cultura ao povo francês – para, quem sabe, acabar com a xenofobia.

Por enquanto, o quadro de funcionários da Les Cuistots Migrateurs conta com sete chefs –de países como Etiópia, Sri Lanka e Síria -, que já serviram em dezenas de eventos franceses. O sucesso é tamanho que o Les Cuistots Migrateurs já tem até um foodtruck em Paris que vende aperitivos típicos da Síria.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Um pinguinho de oportunidade em meio a tanta desumanidade!

Texto originalmente publicado aqui.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,640,029SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Bloco de Carnaval para surdos leva inclusão para as ruas de São Paulo

Todos merecem curtir a folia, foi por isso que surgiu o Bloco de Carnaval para surdos. No Brasil o ano começa quando mesmo? Depois da...

Para não deixar seu idioma ser extinto, indígena de 81 anos aprende a usar o computador e cria dicionário

Já ouviu falar do idioma Wukchumi? Pois é, quase ninguém escutou, não se sinta menos culto por isso, afinal, só existe mais uma pessoa no mundo...

Alunos se mobilizam para construir biblioteca em bairro carente de Cotia (SP)

Um grupo de estudantes da Faculdade de Tecnologia (Fatec) de Cotia, em São Paulo, desenvolveu um projeto educacional voltado à comunidade do Jardim Nova Cotia, bairro...

Estudante humilhado por usar mesma roupa todo dia ganha roupas e sapatos novinhos de colegas

Depois de ser ridicularizado durante semanas, o calouro Michael Todd foi chamado para sair da sala de aula e 'congelou' com a surpresa dos colegas.

Em barco, menina de 6 anos salva tripulantes de forma heroica no Litoral

Enquanto um barco virou em alto mar, uma menina de seis anos salvou os tripulantes de forma inacreditável. O acidente aconteceu nas proximidades de...

Instagram