Obrigado é a primeira empresa de coco no mundo a se tornar B Corp

Clique e ouça:

A Obrigado, marca baiana de água e produtos à base de coco, acaba de receber a certificação B Corp e passa a fazer parte da rede global de empresas e organizações que unem crescimento econômico à promoção do bem-estar social e ambiental.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Entre os principais fatores que levaram a companhia a obter este reconhecimento é a preservação da Mata Atlântica na maioria de suas fazendas de coco, parceria com as comunidades locais para desenvolvimento da região, a criação do Instituto Gente, que apoia projetos culturais e educacionais da comunidade de Pedra Grande, no Conde (BA), e o foco em uma produção com resíduo zero.

Para ser classificada como uma empresa B – “Benéfica”, a companhia é voluntariamente avaliada pela organização sem fins lucrativos B Lab (EUA) em mais de 180 fatores, que abrangem desde análise dos prédios corporativos – o quanto são ecologicamente corretos -, a forma como os colaboradores são tratados, até a transparência apresentada no relatório corporativo.

No que se refere ao cultivo, nas fazendas localizadas no litoral norte da Bahia (BA), cerca de 70% dos mais de 6 mil hectares do terreno é composto por Mata Atlântica intocada e preservada, com corredores ecológicos usados para expandir a flora e a fauna. A plantação em mosaico permite o cultivo de coco em áreas adjacentes à floresta original, garantindo que os animais e pássaros nativos não sejam prejudicados pelas atividades. Essa reserva natural é responsável por manter o equilíbrio para os 30% do terreno cultivado, contribuindo com um solo mais saudável, menos pragas e mais rendimento. A área cultivada ainda colabora com a redução de 34 mil toneladas de dióxido de carbono, equivalente a emissão de CO² de 4 mil lares por ano.

Além do respeito ambiental, a marca também valoriza a responsabilidade social mantendo, por meio de projetos sociais e incentivo à produção local, a comunidade do entorno com aproximadamente duzentas pessoas. Parte dos cocos utilizados na produção da empresa são adquiridos de produtores regionais, que são instruídos por técnicos da Obrigado sobre como obter maior produtividade. “A relação da Obrigado com os parceiros locais também é de extrema importância para o desenvolvimento da região, principalmente, pelo fato da companhia ter se instalado em uma área carente de indústrias – todas as empresas estão localizadas no lado oposto. E a criação do Instituto Gente, que apoia projetos educacionais e culturais, reforça ainda mais nossos laços e comprometimento com a comunidade Pedra Grande, no Conde”, explica o CEO.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

agua de coco

O Instituto Gente é o principal mantenedor da Escola Castro Alves, única na região, e que beneficia 120 crianças (entre 3 e 16 anos) e 40 adultos com aulas e atividades extracurriculares (música, capoeira e inclusão digital). Instalada em um prédio moderno, cedido pela companhia, a escola reúne quatro salas de aula, salas de informática, leitura, área de lazer, horta própria e fornece 5 refeições por dia para as crianças. Com o Instituto, as crianças não precisam mais se deslocar por 5km para poder ter acesso à educação digna e de qualidade. A escola, inclusive, foi instalada antes mesmo da indústria se estabelecer formalmente, pois a companhia visava o bem-estar da comunidade e o desenvolvimento humano da região.

Leia também: Fábrica da Jeep em Pernambuco com 95% de funcionários nordestinos muda milhares de vidas

B corp instituto gente

Zero Desperdício

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Um dos principais objetivos da companhia é ser uma empresa Resíduo Zero. Portanto, durante a produção, o foco é utilizar ao máximo todas as partes do coco. A partir do fruto jovem e verde, é produzida a água de coco Obrigado, famosa por ser a única totalmente natural, sem adição de açúcares e conservantes. Já a polpa branca do coco seco é usada para a extração do leite de coco. A casca do fruto é transformada em mantas e biorrolos biodegradáveis, que são usados para otimizar o processo de recuperação de áreas degradadas recuperando a vegetação de encostas e taludes.

A empresa conta com 52 aristas locais, empregando outras 220 pessoas em outras áreas do negócio e todos os funcionários recebem cerca de 60 horas de treinamento por ano sobre agricultura sustentável, irrigação e nutrição de plantas.

Com informações da assessoria / Foto: Divulgação / B Corp

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,074,695FãsCurtir
2,422,376SeguidoresSeguir
20,447SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Confeiteira é humilhada por cobrar taxa de entrega de R$2 e recebe apoio de internautas

A confeiteira Ângela Oliveira foi humilhada por uma cliente que se recusou a pagar a taxa de entrega do seu bolo de pote. Na troca...

Sogro anda de mãos dadas com genro para ajudá-lo a superar medo de sair na rua com o namorado

Fran guarda algumas memórias ruins de um passado recente, quando ele sofreu preconceito por ser homossexual. O jovem foi agredido fisicamente, além de ter passado...

Policial compra bolo de aniversário para jovem que chorava por terem esquecido a data

O que você faria se todo mundo que você conhecesse esquecesse de seu aniversário? Esta situação, hipotética para muitos, aconteceu com um garoto tailandês....

Após 8 anos presos em gaiolas, leões de circo são resgatados e pisam na grama pela primeira vez

Não é de hoje que percebemos uma mudança radical nos cuidados aos animais de circo. O público tem cobrado mais responsabilidade com espaço, alimentação...

Internautas impedem falência de camisaria de idoso e vaquinha arrecada mais de R$50 mil em menos de 24h

Genteee, conseguimos! Batemos a meta da vaquinha pro Seu Pedroso não perder sua pequena camisaria, que ele tem há 75 anos. A história do vovô...

Instagram

Obrigado é a primeira empresa de coco no mundo a se tornar B Corp 13