ONG oferece aulas de programação e robótica para meninas negras

Se o número de meninas que estão aprendendo a programar computador é pequeno em comparação com o dos meninos, o número de meninas negras é ainda menor. Isso por várias questões, mas a falta de recursos financeiros é com certeza a principal delas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Entenda mais sobre essa incrível iniciativa. Clique no play abaixo!

A organização Black Girls Code (BGC) surge para preencher esse vazio. A ideia é dar oportunidade a meninas negras que querem aprender a programar e, num futuro próximo, fazer carreira nesse universo dominado pelos homens. A BGC foi fundada em 2011, por Kimberly Bryant, uma engenheira elétrica.

Tudo começou depois que a filha de Bryant foi a um acampamento de verão para computação e não gostou muito do que viu. Diante da frustração da filha, Bryan disse que “gostaria de encontrar uma maneira de envolver e interessar a minha filha em se tornar uma criadora digital, ao invés de apenas uma consumidora e eu não encontrei nenhum outro programa que visava atingir garotas como ela, de grupos pouco representados”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A Black Girls Code oferece cursos de programação de computadores, código, criação de sites e até de robótica! A sede fica em São Francisco, mas a organização sem fins lucrativos possui filiais em outros estados americanos e em Johannesburgo, na África do Sul.

“O objetivo final da Black Girls CODE é proporcionar às jovens afro-americanas as habilidades para ocupar algumas das 1,4 milhão de vagas de informática que se espera estar disponível nos EUA até 2020 e treinar 1 milhão de meninas até 2040”, diz a organização em seu site.

A organização depende da colaboração de voluntários que elaboram e ministram workshops e de doações para financiar suas atividades. As alunas pagam uma mensalidade que cabe no bolso das famílias, mas 75% das estudantes são bolsistas. As aulas acontecem após o período em que as meninas estão na escola e duram o dia inteiro. A organização também oferece um curso extensivo no verão. Demais né? Para saber mais, clique aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fotos: Reprodução/Facebook

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

[Nota da Redação]

Acreditamos que a tecnologia pode proporcionar momentos inesquecíveis, como a realização de assistir uma apresentação de balé ou viajar para a Espanha, tudo isso é possível através da realidade virtual. Assista a experiência que levamos a uma casa de repouso de São Paulo:

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,758,975SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Filha se emociona ao encontrar diário da mãe já falecida, com cartas dedicadas à ela

A Paula tinha 4 anos quando a mãe dela começou um diário em que dizia o quanto amava a filha e o irmão mais...

Shopping de Aracaju presenteia família com ingressos do Toy Story 4 após ouvir história tocante

Sem nenhuma pretensão de que aquilo fosse dar certo, Enzor Caio fez um comentário em uma publicação da página do Shopping Jardins no Facebook....

Menino recria cena icônica de Toy Story para marcar seu primeiro dia de escola

Vinny Donnelly tem apenas 4 anos e é apaixonado pelo filme Toy Story. No seu primeiro dia de aula, ele teve a ideia incrível...

Mãe cria filho com paralisia cerebral sozinha e hoje ele é aluno de Harvard

Ela não seguiu o conselho dos médicos, e do marido, de abandonar o filho por causa da sua condição.

De doméstica a juíza: ela já morou na rua e estudava com livros recolhidos do lixo (MG)

A juíza Antônia Marina Aparecida de Paula Faleiros, de 60 anos, trabalha há 18 como juíza na Bahia, mas somente quem conhece sua história...

Instagram