Com foco no acolhimento, ONG orienta pessoas trans que desejam fazer retificação de nome e gênero nos documentos (SP)

A falta de informação acessível e o medo do julgamento durante o processo são algumas das barreiras que dificultam ou impedem o acesso de pessoas trans e travestis à retificação de nome e gênero nos documentos oficiais.

A Casa Neon Cunha, organização não governamental que oferece serviços de assistência à população LGBTQIA+ em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, atua para transformar essa realidade, orientando, mas, sobretudo, acolhendo (!) essas pessoas. 

A instituição, inclusive, se dispõe a pagar taxas para aqueles que não possuem condições financeiras de arcar com os custos envolvidos. “Para além do processo, é um sonho dessas pessoas: autoreconhecimento por completo”, afirma Paulo Araújo, fundador e presidente da ONG.

A felicidade de quem realizou um sonho 😍

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

homem trans sorrindo segurando certidão de nascimento com retificação de nome e gênero
Foto: Reprodução/Instagram @casaneoncunha

mulher trans sorrindo segurando certidão de nascimento com retificação de nome e gênero
Foto: Reprodução/Instagram @casaneoncunha

Sonho sonhado junto

Realizar retificações é uma das atividades que Paulo mais gosta de fazer. Ao fim de cada processo, sente-se reenergizado e motivado a fazer mais, e mais!

“Eu acredito que a retificação é um processo humanizador que contribui para que as pessoas possam seguir em frente como desejam ser reconhecidas em nome e gênero. A gente sabe o quanto é difícil sobreviver numa sociedade machista, misógina e lgbtfóbica. Então, ajudar as pessoas a conseguir realizar esse sonho, é algo incrível!”, afirma Paulo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com foco no acolhimento, ONG orienta pessoas trans que desejam fazer retificação de nome e gênero nos documentos (SP) 2
Paulo é ativista do movimento LGBTQIA+ há seis anos. Foto: Reprodução/Instagram @casaneoncunha

Parceria com NIVEA

A ONG é uma das instituições apoiadas pelo projeto Toque Que Transforma, de NIVEA, que vem transformando vidas de pessoas esquecidas ou pouco lembradas.

A marca, em parceria com a ONG, ofereceu um curso de autonomia e autocuidado, incluindo oficina de manicure e atendimento psicológico, para população LGBTQIA+ em situação de rua.

Com foco no acolhimento, ONG orienta pessoas trans que desejam fazer retificação de nome e gênero nos documentos (SP) 3
Oficina de manicure oferecida em parceria com NIVEA. Foto: Reprodução/Instagram @casaneoncunha

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Muito mais do que essencial e necessário, é importante saber que as marcas têm essa preocupação. Saber que essas empresas têm esse toque pessoal, essa humanidade, de promover a dignidade dessas pessoas, é super importante. Acredito que são essas iniciativas que contribuem para um lugar melhor pra gente”, afirma o presidente da ONG.

Saiba mais sobre a ONG Casa Neon Cunha e apoie também clicando aqui.

Relacionados

“É um afeto que eu não tive em casa”, diz mulher trans sobre apoio para retificação de nome e gênero em documentos

“Sempre que conheço alguém, eu mostro meu RG novo”, diz Christine Vaz, que foi designada do gênero masculino no nascimento, mas se identifica com...

Na AACD, Helena, que tem poliomielite, foi acolhida e superou traumas causados pelo preconceito (SP)

A dona Helena Teodoro Michelon foi diagnosticada com poliomielite quando tinha um ano e dois meses. Da infância, passando pela adolescência, até a vida...

+ DO CANAL

“É um afeto que eu não tive em casa”, diz mulher trans sobre apoio para retificação de nome e gênero em documentos

“Sempre que conheço alguém, eu mostro meu RG novo”, diz Christine Vaz, que foi designada do gênero masculino no nascimento, mas se identifica com...

Lar de idosos promove roda de conversa e desmistifica preconceitos

Embora a sexualidade seja um tema cercado por mitos e tabus, é necessário abrir a conversa e com pessoas de todas as idades, incluindo...

Na AACD, Helena, que tem poliomielite, foi acolhida e superou traumas causados pelo preconceito (SP)

A dona Helena Teodoro Michelon foi diagnosticada com poliomielite quando tinha um ano e dois meses. Da infância, passando pela adolescência, até a vida...

Consultora de Imagem oferece ajuda para empreendedores negros serem mais autoconfiantes

“Recebo muitas mensagens de mulheres que empreendem, mas que têm vergonha de aparecer”, revela a Consultora de Imagem, Carla Domiciano. Carla atuou como facilitadora...

Fofas! Idosas se conhecem em projeto de inclusão social e tornam-se melhores amigas [VÍDEO]

Dizem que depois de uma certa idade, fazer novas amizades é cada vez mais difícil… Será mesmo, ou a velhice pode nos surpreender? A dona Tereza...

Instagram