Organizar a vida é uma maneira de cuidar da saúde mental. Veja dicas!

Muitas vezes bagunça em casa ou na agenda parece invencível. Mas, com paciência e dedicação, é possível ordenar espaços e horários e, assim, ter uma rotina mais leve e com menos estresse. Conheça abaixo dicas para ter uma vida mais organizada – e mais feliz:

Comece com o que tem

Nem sempre você vai precisar de novos gaveteiros, divisórias ajustáveis ou separadores. Isso até pode ajudar, mas saiba que não é necessário adquirir novos itens para dar um basta na bagunça. É isso que a especialista em organização pessoal Marie Kondo destaca em seu livro A Mágica da Organização (2010): você pode usar o que já tem em casa para fazer sua arrumação, como caixas velhas para guardar roupas e livros. Primeiro termine todo o processo de organização e só depois avalie se um novo organizador faz falta.

Descarte o que não usa

Para organizar a casa, você pode seguir dois passos simples: decidir se vai jogar fora ou guardar cada item, e depois definir os lugares dos que ficaram. Para facilitar a triagem, Marie Kondo propõe que façamos a seguinte pergunta sobre cada objeto: “Isso me traz alegria?”. Se a resposta for positiva, guarde. Do contrário, livre-se. Essa é a primeira etapa para evitar que a bagunça volte: “Com o passar do tempo, acumulamos muitas coisas e, por mais que tenhamos arrumado tudo direitinho, a casa (ou o cômodo, o escritório, o quarto) acaba voltando a ficar como antes.”

Descubra o seu sistema

Thais Godinho, autora do blog Vida Organizada e de um livro com o mesmo nome, destaca que não existe um único jeito certo de se organizar: “É um processo construído aos poucos, de acordo com as características e as necessidades de cada um”, diz. Se você passa muitas horas no trabalho, arrumar uma parte da casa por dia pode ser menos cansativo do que deixar tudo para o fim de semana. Se você tem filhos e precisa organizar os compromissos da família, talvez um planejamento on-line ou um quadro branco funcionem melhor do que uma agenda.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Divida em etapas

Quando pensamos na montanha de coisas para arrumar é comum se sentir sobrecarregado. Por isso, separar cada tarefa em etapas menores pode ajudar a avançar. Para organizar a casa, você pode escolher fazer um divisão por categorias: começar pelas roupas, depois pelos livros, papéis, e assim por diante. Se está procrastinando escrever um relatório ou fazer um trabalho para a faculdade, isso também pode servir: comece pela pesquisa inicial, liste as fontes consultadas, e descreva o que vai em cada parte do trabalho.

Atenção à saúde mental

A desorganização pode afetar a nossa motivação. “Com a bagunça, perdemos a vontade de fazer as tarefas normais”, explica a psicóloga Laura César. Além disso, quem tem ansiedade, depressão ou TDAH pode ter sua condição piorada. “Quando a pessoa já está em um momento mais sensível, a desorganização pode levá-la a achar que não faz nada certo, que fracassou”, aponta a psicóloga. Por isso, fique atento aos sinais: bloqueios mentais, falta de energia ou excesso de bagunça podem ser indícios de que é hora de buscar a ajuda de um especialista.

Saiba pedir apoio

Talvez você já tenha tentado colocar ordem na sua vida diversas vezes e não tenha conseguido. Se esse for seu caso, não hesite em pedir ajuda. Pode ser um amigo que você considere mais organizado, um familiar que vive com a casa limpinha ou até um profissional da área. Caso a bagunça desperte muita ansiedade ou estresse a ponto de te paralisar, também não deixe de procurar atendimento psicológico. Esse pode ser o primeiro passo em direção a uma vida mais organizada e com mais autoconhecimento.

Use listas, apps, agendas…

Elencar as tarefas pendentes é um dos melhores recursos para planejar a rotina. E você só precisa de papel e caneta – ou, se preferir, de apps de organização. Na agenda, inclua os compromissos com data e horário, as atividades diárias por ordem de prioridade, os prazos de entrega, as contas a pagar e atividades pontuais, como consultas médicas. “Pessoas com TDAH, por exemplo, às vezes têm muita dificuldade em manter o foco. Então o ideal é organizar a tarefa com um corte de tempo: faz a tarefa, dá uma pausa e depois volta”, acrescenta a psicóloga Laura César.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Busque o bem-estar

Arrumar a casa ou os horários não deve ser um enorme sacrifício. E, principalmente, precisa fazer sentido para você e para quem for usufruir do novo arranjo. “Organização tem a ver com funcionalidade, não com beleza, aparência, limpeza, arrumação. Ser organizado é criar sistemas que facilitem o dia a dia. Precisa ser mais fácil que a bagunça”, explica Thais Godinho. Ou seja, não significa ter uma rotina perfeita ou uma casa sempre impecável, mas viver de uma forma mais tranquila, sem que o excesso (de ordem ou desordem) nos atrapalhe.

Texto: Juan Ortiz e Valentina Bressan, com colaboração de Mariana Alves e Caroline Guarnieri
Foto: Yasmin Galvão
Conteúdo extraído da reportagem “Organizar a vida”, publicada originalmente na Sorria #84, em abril de 2022.

Relacionados

Ela aprendeu a bordar com a avó e hoje ajuda a transformar a vida de presidiários

A empreendedora Milena Curado, de 46 anos, da Cidade de Goiás (GO), começou a se familiarizar com as técnicas do bordado aos 8 anos,...

Exercitar a gratidão é uma maneira de se fortalecer, veja como

Pode ser em silêncio, sozinho consigo ou em grupo, na companhia de pessoas queridas: enxergar em si e ao redor aquilo que te deixa...

+ DO CANAL

Ela se formou pedagoga aos 52 anos e decidiu dar aulas para idosos

Por ter trabalhado desde muito nova, Eunice dos Santos só se formou na faculdade aos 52 anos, em 2014. Com o diploma de pedagoga,...

Após precisar fechar o próprio negócio, ele criou um curso sobre empreendedorismo na periferia

Depois de perceber a dificuldade de acesso a informações sobre administração e negócios, Luis e a sócia, Jennifer, de São Paulo, criaram um curso...

Germana fundou uma associação para apoiar crianças com microcefalia. Conheça a história dela

Na União de Mães de Anjos (UMA), Germana Soares, de Recife (PE), se uniu a outras mães de criança com microcefalia, como seu filho,...

Ele fundou e mantém circo em homenagem a mãe, artista circense. Conheça a história de Círio

Filho de artistas circenses, Círio Brasil, de 47 anos, de Fortaleza (CE), tem paixão pelo picadeiro. Em 2002, sua mãe, famosa por seus números...

Ela fundou um projeto que incentiva crianças em abrigos a contar suas histórias para transformar a própria vida. Veja!

A psicóloga Cláudia Vidigal, de São Paulo (SP), criou o Instituto Fazendo História, em que crianças que vivem em abrigos são encorajadas a registrar...

Instagram