Empresa nordestina cria órtese de milho e beterraba que já poupou 2.500 kg de gesso ao meio ambiente

Usando a tecnologia da impressão 3D, uma empresa potiguar desenvolveu um tipo de órtese de plástico biodegradável capaz de substituir o gesso utilizado em imobilizações de membros fraturados.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A ‘Fix It’ é uma startup nascida no Rio Grande do Norte que desde 2015 tem se tornado referência em soluções ortopédicas, neurológicas e reumatológicas construídas com plástico termomoldável e biodegradável.

As órteses criadas pela empresa nordestina trazem mais conforto para os pacientes, a essa altura cansados de sentir tanta dor (só quem já quebrou um osso sabe como é horrível!).

órteses biodegradáveis substituem gesso

100% biodegradáveis

Segundo os engenheiros da Fix It, as órteses são feitas de bagaço de cana de açúcar, beterraba e milho. Elas podem ser usadas em procedimentos envolvendo fraturas e casos pós-cirúrgicos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Também chamados de ‘imobilizadores articulares’, eles são indicados para membros inferiores e superiores, com um design que facilita a imobilização e limpeza da área.

órteses biodegradáveis substituem gesso

Ao contrário do gesso, as órteses não coçam, não esquentam e pesam bem menos, uma vez que são impressas em material fino 3D. Ah, e ainda são à prova d’água!

Após seu uso, elas se decompõem facilmente em uma composteira, virando adubo.

órteses biodegradáveis substituem gesso

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Redução do desperdício

Desde que passaram a ser licenciadas Brasil afora, mais de 1000 órteses foram impressas pela Fix It, atendendo 4 mil pacientes ao todo, o que significa uma redução de 2,5 toneladas de gesso!

“Temos em mente que os procedimentos utilizados em fraturas devem ser os mais práticos, eficientes e confortáveis. Nós aliamos novas tecnologias com a expertise de vários profissionais para liderar um novo caminho no tratamento de lesões e imobilizações”, explicou o fundador da Fix it, Felipe Neves, que é fisioterapeuta.

órteses biodegradáveis substituem gesso

O mais legal das órteses é que elas duram até 3 anos e podem ser remodeladas quatro vezes após a primeira aplicação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em outras palavras, elas são ótimas para pacientes, mas também para profissionais que atuam em clínicas e hospitais, pois agiliza a imobilização dos membros afetados.

Felipe garantiu que os imobilizadores têm um custo mais baixo em alguns cenários, como por exemplo em radiografias, já que são radiotransparentes e não precisam ser retirados – uma vantagem em relação ao gesso, que precisa ser tirado e reaplicado após o exame.

Expansão internacional

Cada vez mais consolidada no Brasil, a Fix It se prepara para chegar ao mercado estrangeiro, começando por nossos vizinhos da América do Sul.

Em março, a startup brasileira chegou ao Paraguai. Os próximos destinos são Uruguai, Venezuela e Chile.

Pensando mais adiante, Felipe espera alcançar Portugal e Moçambique até o final do ano. Tudo isso sem qualquer investimento em marketing no exterior. Afinal, um produto tão legal assim praticamente se vende por si só, né?

Nesse ritmo, não vai demorar muito para a Fix It conquistar a Europa e os EUA. “É o sonho de toda startup“, completou Felipe.

Saiba mais assistindo ao vídeo abaixo:

Fonte: Ciclo Vivo
Fotos: Divulgação / Fix It

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,575,137SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem encontra R$ 7 mil e espera dono voltar à agência bancária para devolver dinheiro

“Eu achei que devia devolver o dinheiro. Algumas pessoas falaram que eu não devia devolver porque dinheiro não tem dono, mas o dinheiro não era meu e eu queria dormir”, diz Milton.

Morador de rua em BH faz tricô e crochê com agulhas fabricadas por ele mesmo

Clayton é morador de rua em Belo Horizonte e costuma ficar na rua Timbiras, no centro da cidade. Ele já passou por vários momentos...

Projeto ‘De Braços Abertos’ reduz uso de crack em 65% na Cracolândia em SP

E se te dissessem quem com uma iniciativa simples seria possível reduzir mais da metade os usuários de crack em um grupo? É exatamente o que...

Projeto leva literatura e arte até as comunidades ribeirinhas de Manaus

A servidora pública Elaine Elamid se sensibilizou com a realidade do bairro onde morava em Manaus. E não se conformando com situações de exclusão,...

Instagram