Os melhores Harlem Shakes

Para quem é ligado no que acontece no mundo online, com certeza já assistiu algum vídeo do Harlem Shake ou ouviu falar sobre esse novo fenômeno.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Uma batida eletrônica, uma mulher falando em espanhol, pessoas fantasiadas ou mascaradas, uma voz grave anunciando “then do the Harlem Shake” e então danças bizarras tomam conta de toda a tela.

Esse é o fenômeno Harlem Shake, um meme que se espalhou rapidamente pela web e que usa como base a música do artista Baauer, postada no Soundcloud em 17 de maio de 2012. Depois de passar quase que despercebida por cerca de nove meses, a música virou o “novo Gangnam Style” e é hoje a mais vendida no iTunes em vários países do mundo.

Além disso, o vídeo original da dança, feito por um vlogger que não tem qualquer ligação com Baauer, já foi visto quase 14 milhões de vezes em pouco mais de duas semanas, dando origem à mais nova febre da internet. Enfim, origens esparsas e quase desconhecidas dão um ar de “meme genuíno” ao Harlem Shake.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nos quase 40 segundos de vídeo, Frank, com a fantasia cor-de-rosa, está acompanhado de outras três figuras fantasiadas de maneira bizarra, e todo eles fazem uma dança no mínimo curiosa. Postado em 2 de fevereiro, o vídeo conta atualmente com 13,9 milhões de visualizações e foi o primeiro a sugerir uma coreografia para o “Harlem Shake” de Baauer.

Está se perguntando o que é esse tal de Harlem Shake? Fomos pesquisar para você!

Essa pergunta é relativamente simples de se responder: segundo a página do jornal ABC News, esta é uma dança surgida no bairro Harlem, em Nova York, durante os anos 1980. O bairro é um dos centros afro-americanos mais conhecidos dos Estados Unidos e a coreografia tem origem em uma dança vinda diretamente da Etiópia e chamada “Eskista” (veja um vídeo da artista etíope Mahlet Wagnew dançando e outro do Harlem Shake “original”).

Enfim, uma série de outras influências foram transformando uma coreografia em um fenômeno da web: uma dança etíope no “balanço do Harlem”, que virou febre nos anos 80 e inspirou um grupo de rap, cuja música virou sample de outro artista nova-iorquino e, por fim, cá estamos nós (nós literalmente, porque até o pessoal da NZN fez a sua própria versão da dança) parodiando o vídeo de Filthy Frank.

Mais uma moda que veio da Internet e que tem movimentado rodas de amigos para se divertir e gravar vídeos mais engraçados ainda!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

É por isso que separamos aqui os 10 melhores Harlem Shakes até agora. Confiram:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E você, já fez algum com seus amigos? Manda pra gente! Vamos adorar conferir e colocar aqui pra galera se divertir. Afinal, essa é o nosso grande objetivo aqui no RPA! 😉

 

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,636,434SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

[VÍDEO] Ex-alunos arrecadam R$ 300 mil para quitar casa de cozinheira que trabalhou em república

A cozinheira Jessie Hamilton trabalhou mais de 14 anos na casa de fraternidade da Louisiana State University (EUA). Na época, ela era como uma...

Gêmeas dão à luz com 90 minutos de diferença e no dia do aniversário delas: ‘Duplique a doçura e duplique o amor!’

Amber Tramontana e Autum Shaw terão muito o que contar para as suas filhas, Charleston e Blakely, sobre o dia que elas nasceram. Gêmeas, as...

Solteiro adota menina com Down rejeitada por vinte famílias

O italiano Luca Trapanese, de 41 anos, sempre quis adotar uma criança. Após muito procurar, encontrou Alba, uma menininha de apenas 1 ano e...

[VÍDEO] Mulher adota cachorro com deformidades que foi ignorado e prova que a beleza está no amor

Ao contrário do que muita gente pensa, a beleza não é algo que vem de fora para dentro. Ela simplesmente está em tudo! Nos...

Brasileiros ajudam peruano que dorme na rua e não consegue voltar para seu país por conta da pandemia

Há mais de um mês o peruano está morando na rua da pequena cidade de Balsas, no Maranhão.

Instagram