Padaria deixa cesto do lado de fora com pães e salgados para quem precisa

Uma padaria da capital paranaense começou uma ação solidária que visa beneficiar moradores de rua e pessoas que passam por ali indo ao trabalho todos os dias.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Logo pela manhã, uma cesta é colocada do lado de fora do estabelecimento com pães e salgados que sobraram do dia anterior para quem passa pelo local.

Ajuda para campeão de jiu-jitsu que vende biscoitos para competir

Na esquina entre as ruas Mariano Torres e Comendador Macedo fica a Tradicionale Café & Panificadora. A ideia do estabelecimento surgiu após a constatação de que sobravam muitos alimentos.

“A gente viu que sobravam muitos pães dormidos de um dia para o outro e decidiu doar para moradores de rua. Como alguns clientes não se sentiam muitos confortáveis com a presença deles dentro do estabelecimento, colocamos a cesta com alimentos na frente”, relata a proprietária da padaria, Luiza Adriano.

Na cesta também são colocados pães de queijo e salgados dos mais variados tipos. Nas noites de frio, sopas são compartilhadas.

luiza adriano dona da padaria mostra cesto recheado de pães

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Existem regras para consumir os alimentos: cada pessoa só pode pegar um item. “Conseguimos ‘educar’ eles para quem cumprissem isso. Tem alguns que até mostram o pacotinho para gente que pegaram um só”, ressalta Luiza.

Infelizmente, não é todo mundo que aprendeu a respeitar a organização feita pela padaria: pessoas que não precisam da doação também acabam levando algum alimento. “As pessoas que não necessitam acabam passando e pegam mais, levam para o trabalho. Quem precisa não faz isso, porque sabe o que é passar fome e sabe o que o outro passa”, destaca a administradora.

Ajuda para campeão de jiu-jitsu que vende biscoitos para competir

Padaria beneficia catadores e moradores de rua

Próxima à panificadora, passa uma ciclovia, na qual trafegam catadores de recicláveis durante todo o dia. Eles são um dos principais beneficiados da ação, ao lados dos moradores em situação de rua.

“A gente sabe que eles saem cedo de casa, fazem força e muitas vezes não conseguem comer ao longo dia. Então a doação é importante para eles”, comenta.

Leia também:

A ação é reforçada com a ajuda e solidariedade dos clientes. “Eles ficam contentes e comovidos. Quando o cesto está vazio e alguém chega pedindo, algum cliente sempre compra um lanchinho, falando que prefere dar alimentos do que dinheiro”, conta a dona da padaria.

No fim, a gratidão é o sentimento de Luiza e de quem trabalha na panificadora. “Ver que a nossa ação está ajudando alguém é muito recompensador. Sabemos que hoje existem várias pessoas passando fome e, ajudando um pouco delas, já nos faz seres humanos melhores”, ressalta.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Gazeta do Povo/Fotos: Aniele Nascimento / Gazeta do Povo

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,750FãsCurtir
1,764,109SeguidoresSeguir
8,643SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram