Página incentiva educação de meninos por meio da gentileza e da igualdade de gênero

Em pleno 2016, será que ainda existe “coisa de menina” e “coisa de menino”? Quando falamos em equidade, essa história fica pra trás e assim evoluímos. A página Já Falou Para Seu Menino incentiva a educação de meninos por meio da gentileza e de conceitos igualitários de gênero, mostrando que pequenas atitudes dos pais podem fazer toda a diferença no crescimento da criança.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O movimento surgiu das aulas de Empoderamento Infanto-Juvenil, do projeto Escola de Ser (que já falamos aqui), de Goiás, com um olhar para o cuidado com a educação dos meninos, que precisam empoderar-se da sua capacidade de empatia, sensibilidade, de dar e receber carinho e de respeitar os direitos humanos, numa perspectiva de equidade de oportunidades e vivências entre meninas e meninos.

Com posts bem humorados, a página apresenta reflexões a partir de situações cotidianas, como por exemplo o bom e velho questionamento sobre garotos fazendo tarefas domésticas, brincarem de boneca ou usarem a cor rosa. Reeducando os familiares e, consequentemente, a sociedade, projetos como este tem a chance de nos transformar em pessoas melhores, mais coerentes, sensíveis e que não carrega mais os “valores” machistas do passado.

Vamos falar com os nossos meninos?

ja-falou-para-o-seu-menino7

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

ja-falou-para-o-seu-menino2

ja-falou-para-o-seu-menino6

ja-falou-para-o-seu-menino

ja-falou-para-o-seu-menino5

ja-falou-para-o-seu-menino9

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

ja-falou-para-o-seu-menino4

ja-falou-para-o-seu-menino3

ja-falou-para-o-seu-menino8

ja-falou-para-o-seu-menino-destaque

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Escola cria programa para educar meninos fora da cultura do machismo

Fotos: divulgação

[Nota da Redação]

É cada vez mais visível a sensação de total falta de sentido. Desenvolvemos nossas habilidades para executar tarefas e ocupar um cargo, mas pouco fazemos em nome da melhor convivência e da vida em sociedade.

Ainda investimos muito em conhecimentos específicos, muitas vezes desconectados da realidade, com o único objetivo de se vencer etapas: passar de ano, passar no vestibular, entrar numa boa faculdade, conseguir um bom emprego… Tudo isso para quê?

Se você quer tentar encontrar respostas para algumas dessas questões, venha participar de mais um encontro do R:evolucione, no dia 26/07, com Priscila Alvim, consultora especialista em comunicação e que acredita na troca e no diálogo como meios verdadeiros de aprender e ensinar.

Garanta seu ingresso grátis aqui.
Página incentiva educação de meninos por meio da gentileza e da igualdade de gênero 1

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,836,848SeguidoresSeguir
24,755SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

30 fotos que provam que o mundo não é um lugar tão ruim assim

Muitas das histórias que vocês verão abaixo nós já postamos esse ano, mas vale rever algumas e descobrir algumas outras novas, vejam: 1. Essa foto...

Foca simpática brinca com surfistas na Inglaterra

Os surfistas, Matt Stanley e Andrew Flounders estavam pegando ondas em Northumberland, na Inglaterra, quando Flounders sentiu um empurrão no pé e descobriu que se...

Princesa Charlotte entrega marmitas para famílias carentes em seu aniversário de 5 anos

A princesa Charlotte, segunda filha do príncipe William com a duquesa Kate Middleton, foi fotografada na semana passada servindo refeições para famílias carentes no...

Alunos baianos chegam a final da 9ª Olimpíada Nacional de História

Depois de muito estudo e dedicação, três alunos do Villa Campus de Educação chegaram a final da 9ª Olimpíada Nacional de História do Brasil...

A reação dessa jovem albina à linha de maquiagem criada por Rihanna mostra que representatividade nunca é demais

“Repensando todas as vezes que eu fiquei laranja. É um novo mundo. Bom trabalho!”

Instagram

Página incentiva educação de meninos por meio da gentileza e da igualdade de gênero 3