Pai adota 5 irmãos que viviam em abrigos diferentes para que não se separassem

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO



Uanderson Barreto é um pai solteiro que adotou 5 irmãos com idades de 12, 14, 16, 17 e 19 anos e que viviam em abrigos diferentes. Barreto diz que adotaria 10 crianças e adolescentes se tivesse condições.

O morador de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, é servidor público e começou o processo das adoções em 2012. Em entrevista ao site Só Notícia Boa, ele contou como tudo começou.

Uanderson foi a um abrigo, conheceu João e o adotou. Acontece que o garoto tem um irmão chamado Daniel, que tem dificuldades de raciocínio e compreensão. Barreto sentiu-se mal por tê-lo deixado no abrigo. Então, ele retornou ao local e adotou Daniel também.

Leia também: Morador da Rocinha oferece cafezinho aos motoristas para que deem carona ao filho até a escola

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

pai solo adota cinco irmãos

Depois de João e Daniel, ele foi conhecendo os outros irmãos e, sem coragem de separar a família, acabou adotando todos: “Depois de uns meses recebi uma ligação de um outro abrigo [dizendo] que um dos irmãos dos meninos estava fazendo aniversário e se eu podia ir até lá pra eles se encontrarem. Fui e me sensibilizei muito por ele estar lá sozinho. Também dei entrada na adoção dele [Alexandre] e o trouxe pra casa”.

pai solo

O pai solteiro, de 38 anos, diz que eles estavam vivendo em abrigos por que os pais biológicos não tinham condições financeiras e psicológicas para criá-los e que atualmente vivem muito felizes.

Depois de Alexandre, foi a vez de Pedro, que passaria apenas o Natal na casa do servidor público, mas acabou ficando: “No Natal seguinte fui ao acolhimento, trouxe o Pedro para ficar na minha casa. Ele gostou e ficou. Aí tinha deixado Leonardo no acolhimento. Há uma semana a adoção dele aconteceu e eu busquei o Leonardo também. Hoje formamos a família mais feliz do mundo”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Bebê de 2 anos grita “papai” após fim de processo de adoção

Daniel, o filho com necessidades especiais, estuda em uma escola estadual que oferece tratamento adequado a ele. Os outros filhos estudam em escolas privadas. Uanderson diz que sempre soube que adotaria crianças, de preferência garotos mais velhos, que, infelizmente, costumam ficar por último na fila para adoção.

Fotos © Uanderson Barreto/Arquivo Pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,025,488FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
11,870SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Brasileira voluntária da 2ª Guerra Mundial é hoje voluntária na luta contra o Coronavírus

A dona Blandina era adolescente quando confeccionou luvas para os soldados brasileiros da FEB (Força Expedicionária Brasileira) que lutaram na 2ª Guerra Mundial. Lá se...

Batismo de bebê conta com bençãos de familiares católicos, espíritas, evangélicos e umbandistas

Quando completou três meses de vida, o pequeno Iago recebeu as bençãos de sua família, cada qual à sua maneira: uma avó é católica,...

Com 4 filhos pequenos, dona de casa abandonada por marido recebe apoio de internautas

A jovem mamãe Andreza Santos Araújo, 23 anos, mora e cria sozinha seus quatro filhos pequenos em Várzea Grande, Mato Grosso. Desde que o...

Em vídeo fofo, filho com paralisia cerebral conta para pai que está apaixonado. Veja!

Ai, socorrooo! O Biel tá apaixonado, esse sorriso não engana ninguém! 😍 Biel tem paralisia cerebral e ama um triatlo! Ele e o pai, o...

Jovens antecipam casamento após saber que um deles tem apenas 5 meses de vida

Se você, assim como eu, se acabou de chorar vendo "Um amor para recordar" lá em 2002, se prepare: essa história é real, e...

Instagram