Pai com Alzheimer inspira filha a fazer faculdade e conquistar o diploma em Campo Grande (MS)

Já faz cerca de 11 anos que o Sr. Nildo recebeu o diagnóstico de Alzheimer e demência alcoólica. De lá pra cá, sua filha, a professora de educação física Daniele Gome, 35, faz de tudo para ver o pai bem e feliz.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com o avançar da doença, Daniela viu o afeto que nutre pelo pai, carinhosamente chamado de “Tchutchucão”, ser multiplicado muitas vezes.

Em entrevista ao portal Campo Grande News, Daniele contou que entrou na vida do Sr. Nildo quando tinha 3 anos de idade. Na época, ela veio morar na capital sul mato-grossense após a mãe pedir o divórcio do primeiro casamento.

Pai com Alzheimer inspira filha a fazer faculdade

“Eu não tive contato com meu pai biológico, viemos para cá e minha mãe conheceu ele (Nildo). Ela trabalhava com vendas e ele na barbearia”, explicou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Não demorou muito para o padrasto ganhar o status definitivo de pai.

E, apesar das muitas dificuldades financeiras que a família enfrentou quando Daniele era criança, eles sempre encontravam uma forma de serem felizes e se apoiarem. “Aos 13 anos, passei a ser atleta profissional de futsal e futebol por incentivo dele. Éramos bem humildes e como não tínhamos condições, ele me colocava na garupa da bicicleta e me levava para os treinos até debaixo da chuva”, disse.

A família conseguiu se estabilizar financeiramente anos depois, quando Nildo recebeu uma premiação. Com uma boa quantia em mãos, ele investiu na primeira casa de alvenaria, passando a viver de forma mais confortável com a esposa e as filhas.

“Morávamos na casa de madeira, como se fosse um barracão. Depois dele ter ganhado a premiação, comprou nossa primeira casa, que foi a realização de um sonho”, explicou.

Pai com Alzheimer inspira filha a fazer faculdade

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Hoje, aos 19 anos, a professora de educação física se casou, teve a primeira filha e saiu da residência dos pais. De repente, Nildo virou vovô, que não se importava em cruzar metade da cidade de bicicleta para ver a pequena Ana Luiza. “Todo dia, ele pegava a bicicleta, comprava danone e levava para a minha filha. Mesmo que ele fizesse só dois cortes de cabelo, ele pegava o dinheiro e comprava”, disse Daniele.

O diagnóstico de Alzheimer veio pouco depois, com os primeiros sintomas se manifestando durante os passeios de bike do idoso. Ao longo do trajeto, era frequente ele ficar confuso e se perder no meio do caminho. “Ele esquecia os lugares para onde ele ia, começamos a notar que ele se perdia e tremia. Do dia para a noite, ele esqueceu de tudo e chegou a ficar internado várias vezes em clínicas”, desabafou a filha.

Nos anos seguintes, Nildo também foi diagnosticado com demência alcoólica. Enquanto o Alzheimer é de origem genética, a demência é resultado dos anos de consumo excessivo de álcool. “Ele bebia muito”, disse.

Pai com Alzheimer inspira filha a fazer faculdade

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com o agravamento do estado de saúde do idoso, a mãe de Daniele, que havia se separado dele dois anos antes, abriu mão de si mesma para cuidar do ex-companheiro. “Minha mãe é a fortaleza dele, ela é quem cuida, porque ele é acamado. Ele não anda, os músculos atrofiaram, ele usa fralda, então depende da gente pra tudo”, contou.

Nesse meio-tempo, Daniele decidiu focar nos estudos e na carreira profissional para garantir mais conforto ao pai. Ao decidir o curso que iria fazer, resolveu abraçar algo que sempre gostou – a educação física, – e também realizar um antigo desejo do Nildo.

“O sonho dele era que eu me tornasse professora de Educação Física. Quando criança, eu já queria ser professora, então, comecei a estudar para dar essa vida melhor para ele e a minha filha”.

Pai com Alzheimer inspira filha a fazer faculdade

Daniele se formou em 2018. No grande dia da colação de grau, seu Nildo esteve presente e não conseguiu segurar a emoção, especialmente quando a filha dedicou à ele o diploma de nível superior. “Ele ficou tão emocionado, que chegou a passar mal e teve que ir embora mais cedo”, lembrou.

Apesar da doença, os laços de afeto entre pai e filha nunca foram tão fortes. Dani visita Nildo todos os dias e, inclusive, optou por trabalhar em uma escola localizada na mesma região onde ele mora.

“Depois da doença, criamos um vínculo muito grande. O afeto triplicou, peguei um amor grande, tudo que faço é pensando nele. Eu o chamo de Tchutchucão e ele fala que sou o amorzão dele”, afirmou.

O Alzheimer afeta consideravelmente a consciência de Nildo, mas ainda assim ele consegue se lembrar de fatos e pessoas do passado, como amigos e familiares. “Ele esquece de coisas recentes e de momento. Ele lembra de mim, da minha mãe, irmãs, dos antigos amigos”, explicou.

Hoje, como os passeios de bike estão fora de cogitação, o “Tchutchucão” de Daniele adora passear de carro com ela. “E de som alto, viu?”, brincou a filha.

“Eu era filha dele, agora ele é meu filho. O amor que tenho por ele, é o amor que sinto pela minha filha”, concluiu a professora.

Fonte: Campo Grande News
Fotos: Arquivo pessoal

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,539SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Voluntária em abrigo de Sacramento (MG) adota 2 crianças e 3 adolescentes

“A maternidade através da adoção me fez a mulher mais feliz do mundo.”

Vídeo emocionante mostra momento em que enteada pede que padrasto a adote

Pausa para um vídeo que é puro amor e mais uma vez a comprovação de que pai não é quem faz, é quem cria...

Disfarçadamente, menina dá seu próprio churrasco para cachorrinho de rua faminto

Como sempre as crianças ensinando nós, os 'adultos', a sermos pessoas melhores! Em um vídeo compartilhado pelo Razões, um menina foi 'flagrada' dando seu próprio churrasco...

Mãe ainda amamenta aos 46 anos, depois de 22 bebês: “Família normal com mais filhos que o normal”

Aos 46 anos e amamentando seu 22º bebê, Sue Sadford, dona da maior família de toda a Grã-Bretanha, afirmou que finalmente "está pronta para...

Vaquinha para idosa humilhada por morar em barraco de madeira tem meta atingida

A dona Maria de Fátima, 57 anos, não poderia esperar o tamanho da ajuda que receberia de todos vocês! Até a publicação desta matéria,...

Instagram

Pai com Alzheimer inspira filha a fazer faculdade e conquistar o diploma em Campo Grande (MS) 3