Pai cria app para ajudar filho autista e outras pessoas com autismo a se comunicarem

O Wagner Yamuto, 43 anos, é CEO do Matraquinha, aplicativo de comunicação alternativa para ajudar crianças e adolescentes com autismo. O projeto foi idealizado em família, junto com sua esposa, Grazyelle, seu irmão, Adriano, e inspirado pelo filho, Gabriel.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O Wagner nasceu em São Paulo e conheceu a Grazy em uma sala de bate-papo na internet, em 1998. O casamento veio 4 anos depois, em 2002. O casal sempre sonhou em ter filhos e, para viver este sonho, eles adotaram o Gabriel, 12 anos, e a Thata, 3.

A adoção do Gabriel aconteceu em 2010 e a da Thata em 2018, época em que os dois tinham apenas 10 meses de vida. O desenvolvimento do Gabriel estava de acordo com o esperado para sua idade, exceto pelo fato do garotinho não falar nenhuma palavra.

Depois de meses de investigação, exames e consultas médicas, o diagnóstico chegou: autismo. As terapias com a Dr. Paloma Moreno, fonoaudióloga, começaram e ela apresentou ao Gabriel seu fichário de comunicação.

família Yamuto
Gabriel, Wagner, Thata e Grazy. Foto: arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas que é um fichário de comunicação?

“Esse fichário é um sistema de armazenamento de figuras para pessoas com autismo. Nele, existem ilustrações de objetos, alimentos e ações que deram a oportunidade do meu filho de se se comunicar com o mundo a sua volta“, explicou Wagner.

Por exemplo: se a família estiver em uma lanchonete e a figura do suco não estiver no fichário, o Gabriel não consegue dizer o que quer e fica extremamente frustrado, resultando em crises de choro, gritos e desorganização sensorial.

Porém, apesar de eficiente, o fichário começou a crescer e algumas figuras se perderam entre as páginas. Nesse momento, Wagner decidiu criar “alguma coisa” para ajudar o filho e outras pessoas com autismo a não se frustrarem com as dificuldades de comunicação.

Primeiro, ele tentou criar um site, mas a dependência do tablet ou celular estar conectado na internet inviabilizava qualquer chance de tirar o projeto do papel. E foi em uma conversa com seu irmão, Adriano, que a grande ideia começou a nascer.

O Adriano é analista de sistemas e, durante um almoço em família, comentou que estava realizando estudos para a criação de aplicativos. Imediatamente, Wagner percebeu que aquilo seria uma boa ideia para substituir o site que havia pensado da última vez.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Adeus, fichário querido! 👋

app ajuda pessoas com autismo a se comunicarem
Foto: arquivo pessoal

Olá, melhor app do mundo! 😍

app ajuda pessoasl com autismo a se comunicarem
Foto: arquivo pessoal

E foi assim que tudo começou! A Grazy, que é administradora e educadora parental, também aceitou o desafio logo de cara e começou os estudos de funcionalidades e usabilidade do aplicativo.

Ôoooooo, o Matraquinha chegou!

“Foi por causa de situações como esta que decidimos criar o app. O Matraquinha pode estar no bolso da família inteira e nenhuma figura será perdida. Assim, damos oportunidade destas crianças e adolescentes terem mais autonomia e independência”, conta Wagner.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Hoje, o aplicativo está disponível no Google Play e na Apple Store, e conta com a direção desses três incríveis empresários: Adriano Yamuto, COO, Grazyelle Yamuto, CFO, e o grande Wagner Yamuto, CEO.

Com ele, jovens com autismo conseguem transmitir seus desejos, emoções e necessidades através dos celulares. A comunicação é feita por meio de figuras que, ao serem tocadas, fazem com que uma voz reproduza o que a criança deseja falar.

O Gabriel já craque! Até batata frita ele pede com o app! 😋🍟

Um projeto criado por uma família e pensado em outras famílias. Quem convive com crianças ou adolescentes com autismo, terá uma nova oportunidade de vê-los superando suas dificuldades de comunicação.

Em conversa com Wagner, ele contou a história de uma garotinha com paralisia cerebral que, graças ao Matraquinha, pediu para fazer xixi pela 1ª vez. Antes, a mãe tinha que levá-la de 30 em 30 minutos ao banheiro, pois ela não conseguia se comunicar de outra forma.

Além disso, ele contou a história de outra garotinha que falou a frase “eu quero beber água” e também da mãe que se encantou quando descobriu que o filho ama pipoca, tudo graças ao incentivo do aplicativo.

app ajuda pessoas com autismo a se comunicarem
Wagner Yamuto, fundador e CEO do app Matraquinha – Foto: arquivo pessoal

“Usamos a tecnologia a favor da inclusão para que essas crianças possam dar todo seu potencial. É necessário dar suporte, seja com acessibilidade, adaptação de materiais e o principal: respeito para que eles possam viver com dignidade.”

Quer saber tudo sobre o Matraquinha? Clique aqui!


Quer conhecer mais pessoas que lutam por acessibilidade? Dá um play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,786,495SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

[VÍDEO] Vovô viúvo chora com tecnologia que faz sua amada ‘se mexer’ em foto

O senhor Papa Jake é um viúvo famoso na internet por contar suas histórias da época da guerra e de quando era mais jovem,...

Sem poder andar há 4 anos, homem mais alto do Brasil pede ajuda para compra de prótese

Joelison Fernandes da Silva, o “Ninão”, mora no interior da Paraíba em Assunção. O homem mais alto do Brasil tem 2,37 metros e 200...

Por causa de demência da mãe, trans precisa contar toda vez sobre transição; reação é sempre linda

Embora o mundo viva uma fase de transição, assumir-se trans pode ainda dar medo, pois eles podem ser vítimas de preconceito, rejeição e, em...

Iniciativa: Crianças limpam praia na Baia de Guanabara

Os número são alarmantes, cerca de 8 milhões de toneladas de lixo plástico são lançadas todos os anos nos oceanos. Nós já chegamos a mostrar...

Alguns esclarecimentos importantes sobre o boicote à novela Babilônia

Queridos leitores, independente de gostarmos ou não da novela ou mais especificamente, da TV Globo, toda essa história do boicote pra mim parece surreal...

Instagram