Após 4 anos em lista de espera, pai solteiro em MT adota bebê e afirma: ‘Muito feliz e realizado’

Foram 4 anos na fila de espera até o servidor público Wellington Corrêa, 46 anos, conseguir a guarda provisória de uma bebê de 3 meses, em Cuiabá (MT).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Wellington teve a guarda de seis meses concedida no início deste mês pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que também autorizou a licença paternidade para estar mais próximo da filha durante esse período.

De acordo com o Tribunal, esta é a primeira vez que uma licença paternidade é concedida a um servidor solteiro e adotante.

pai solteiro adota bebê em mato grosso

Como afirma nossa Constituição Federal, a licença para pais e mães devem ser iguais, obedecendo o “princípio da dignidade da pessoa humana e da igualdade entre filhos biológicos e adotados”, sem distinções entre pai e mãe adotante.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Desde que conseguiu a adoção temporária, Wellington, que mora sozinho, tem pedido ajuda e conselhos de amigos e familiares para prover os melhores cuidados à bebê.

“Pedi dois dias para o juiz para poder me organizar e comprar as coisas para ela. Foi uma correria. Algumas amigas e mães me deram dicas valiosas, pois pai de primeira viagem e ainda solteiro não tem a mínima noção do que comprar”, disse.

As noites de sono têm sido tranquilas, uma vez que a menininha dorme bastante. De dia, no entanto, há trabalho de sobra.

pai solteiro adota bebê em mato grosso

“Minha vida mudou completamente. É um cansaço prazeroso. Estou muito feliz e realizado. Toda a minha família está com a atenção voltada para a Ana. Apesar de não estarem perto, porque não moram na cidade, sempre ligam para saber como ela está”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Wellington conta que sempre quis adotar uma criança – foram anos de preparação psicológica até acolher a pequena Ana.

“Isso sempre foi muito formado na minha cabeça desde meus 20 anos. Na época, vi que não tinha maturidade, estrutura física e financeira para isso, mas amadurecendo a ideia e me preparando para entrar com o processo de adoção e finalmente esse tempo chegou”, afirmou.

Em 2016, sentindo-se pronta para adotar, o servidor entrou no site do Tribunal de Justiça e enviou a documentação para ser habilitado à guarda. Também fez um curso preparatório que ensina sobre adoção, criação, entre outros cuidados necessários para o bem estar dos pais e da criança.

Após 4 anos em lista de espera, pai solteiro em MT adota bebê e afirma: 'Muito feliz e realizado' 2

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Às vezes as pessoas pensam que adoção é pegar uma criança e pronto, mas não é bem isso. Você não sabe o histórico, o tamanho, os problemas que cada uma carrega. Geralmente, o histórico de crianças colocadas para adoção não é bom, mas você precisa encarar aquilo”, pontuou.

Ao final do curso, o servidor ficou habilitado na lista de espera municipal, estadual e nacional. Nesse-meio ele era acompanhado por uma psicóloga, até receber a notícia de que havia uma bebê disponível para a adoção.

Após 4 anos em lista de espera, pai solteiro em MT adota bebê e afirma: 'Muito feliz e realizado' 3

“Foi uma surpresa quando soube que poderia ser pai de uma bebê. No processo de habilitação informei que queria uma criança de até 5 anos, pois desejava estar perto nesse período da infância. Mas, quando fui conhecer a Ana, senti algo que não dá para explicar. Senti que era a minha vez”, disse.

Para Wellington, os próximos seis meses de convivência serão essenciais para ele conseguir a guarda definitiva de Ana.

A adoção é prazerosa. O processo é difícil, mas o interessante é esse desafio que enfrentamos. As pessoas deveriam conhecer mais sobre, se animar mais, pois há muitas crianças precisando de apoio e há muitos lares que podem recebe-las“, concluiu.

Veja também:

Fonte: 1News (iG)
Fotos: Wellington Corrêa/Arquivo pessoal

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM








Após 4 anos em lista de espera, pai solteiro em MT adota bebê e afirma: 'Muito feliz e realizado' 4

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
5,144,541SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Contra bullying, professora corta cabelo igual ao de aluna excluída por colegas

A professora de jardim de infância Shannon Grim resolveu dar o exemplo e cortar o bullying pela raiz na Escola Elementar Meador, estado do...

Organização abre crowdfunding para melhoria da educação na comunidade Pavão-Pavõzinho, no RJ

A Organização Solar Meninos de Luz, que fica na comunidade do Pavão-Pavãozinho, na zona sul do RJ, tenta arrecadar recursos para a climatização das...

Ele ajudou o pai a se livrar do vício nas drogas e comoveu os internautas

Uma verdadeira inspiração para pessoas que têm parentes dependentes químicos.

Homem resgata casal em Petrópolis que estava prestes a se afogar dentro de carro

Os heróis do cotidiano são pessoas comuns, que podem não ter capa, nem superpoderes, mas não pensam duas vezes em transformar ou mesmo salvar...

Instagram

Após 4 anos em lista de espera, pai solteiro em MT adota bebê e afirma: 'Muito feliz e realizado' 5