Para alertar sobre desaparecimento de crianças, campanha faz intervenção com obra de Renoir

0
1327

Difícil imaginar o que os pais sentem ao perceber que seu filho desapareceu. Tão complicado quanto se colocar no lugar de quem passa por isso, infelizmente, é encontrar a criança sumida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Geralmente, este tipo de tragédia só tem final feliz com a ajuda da própria população. “Mais de 9 mil pessoas estão desaparecidas no estado de São Paulo. Qualquer informação ajuda”, dizem em sua página oficial no Facebook.

Pensando nisso, o Ministério Público do Estado de São Paulo criou o PLID (Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos), que está usando as redes sociais para divulgar e pedir informações.

Além disso, desenvolveram uma campanha, junto com a agência VML, em que o famoso quadro “Rosa e Azul” (1881), de Pierre-Auguste Renoir, parte do acervo do MASP, aparece sem uma das meninas.

Leia também: Ação realizada na Argentina ajudou a divulgar crianças desaparecidas com QR codes

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Qual a sensação de se defrontar com um dos quadros mais famosos do mundo, porém, incompleto? Para chamar a atenção sobre a gravidade que é o desaparecimento de uma criança, o Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID), do Ministério Público do Estado de São Paulo, lança nova campanha em que uma das meninas do quadro “Rosa e Azul” (1881), de Pierre-Auguste Renoir, é apagada.  Com criação da VML, agência pro-bono do MP-SP desde 2014, a campanha também apresenta depoimentos de mães de crianças desaparecidas que compartilham seu sofrimento”, explicam na descrição do vídeo em seu canal oficial.

“Se uma criança faz falta em um quadro, imagine em uma família”, lê-se em seu post no Facebook.

quadro quadro2

quadro3

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: B9

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.