Pediatra de 92 anos atende crianças gratuitamente em Pontal do Paraná (PR)

Todas as segundas e quintas-feiras, o pediatra Ivan Fontoura, 92 anos, caminha com a esposa, Eva, que é enfermeira, até um posto de saúde em Praia de Leste, um balneário de Pontal do Paraná (PR), para atender 30 crianças gratuitamente.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Eles sabem que o dia será cheio, e recompensador. O trabalho é inteiramente filantrópico, uma vez que ambos não receberão nada por isso. “Eu vou [trabalhar] até quando não poder mais”, diz Ivan.

“Eu quero morrer em pé. Fisicamente eu sofro, trabalhando sem parar, descansando só para tomar um café, mas ser médico é isso. Depois, a gente se recompõem e continua”, relata o pediatra.

“Eu já ganhei dinheiro que dá pra viver. Sempre estive ligado às crianças com necessidades, na parte social, e quis continuar. Havia necessidade de ajudar aqui, porque o povo me conhece e acaba pedindo. Agora então, com o apoio da Secretaria de Saúde, faço isso de forma organizada. Minha esposa me ajuda muito, é uma grande parceria”, contou.

Pediatra de 92 anos atende crianças gratuitamente em Pontal do Paraná (PR)

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O pediatra se formou em 1951, aos 24 anos, pela Universidade Federal do Paraná. Fez uma pós-graduação e, logo em seguida, Mestrado na Universidade da Califórnia, além de Doutorado na Sourbone, na França.

Leia também: Pediatra constrói posto de saúde para atender crianças carentes no Ceará

São 68 anos dedicados à Medicina, boa parte disso na Pediatria: o médico possui um carinho especial pelas crianças.

Ele mesmo quando criança, a partir dos quatro anos de idade, já sonhava em ser médico. “A verdade é que eu comecei a querer ser médico após receber uma visita de um cirurgião, há quase 90 anos. Eu vi o atendimento dele e aquilo foi mágico. Devagarinho, fui estudando e sempre pensando em ser médico. A Medicina deu muito trabalho, mas é uma fonte de muita alegria. Compensa muito”, destacou Ivan, que é irmão do ator global Ary Fontoura.

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Pediatra de 92 anos atende crianças gratuitamente em Pontal do Paraná (PR)

Ivan se aposentou em 2005. Seu último trabalho foi como diretor de hospital, onde buscou implantar um atendimento mais humanizado na instituição. “Aquilo foi sério e me cansou muito. Então, tive que sair meio rápido, porque percebi que ou tomava um pouco de ‘rivotril’ ou parava. Então, resolvi parar e, depois de um ano de descanso, comecei a trabalhar de novo, voluntariamente”, salientou.

Leia também: Pediatra dança com crianças para animá-las no seu tratamento: “Doutor Dançarino”

Os moradores de Praia de Leste tratam o senhor de 92 anos com muito respeito e admiração, devido mais à sua humildade do que seu trabalho voluntário de longa data. “Não houve dia na história da Medicina que não tenha aprendido algo diferente. A Medicina faz você aprender, viver momentos dramáticos e guardar tudo para sempre”, afirmou Ivan, que ainda pretender ter mais histórias para compartilhar e certamente vai ter!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Banda B/Fotos: Reprodução/Banda B

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,827,226SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Adolescentes em tratamento contra o câncer ganham festa de 15 anos

Com direito a dia de princesa do café da manhã até o baile.

Pesquisadora baiana encontra substituto de agrotóxico em folhas de eucalipto

Uma alternativa aos agrotóxicos, o óleo extraído das folhas de eucalipto é um defensivo natural, que não traz riscos ao meio ambiente e à saúde humana.

Projeto registra o cotidiano de sobrevivente de AVC e prova que a vida não está no fim

Há 13 anos, Lúcia Kopschitz Xavier Bastos, ex-professora da Unicamp, passou por uma situação que mudou o rumo de sua vida. Vítima de um AVCI...

Por que a Dona Nena não voltou para a escola?

Dona Nena, de 65 anos, seminalfabeta, foi proibida de voltar às aulas.

Após ter pulmão destruído pela Covid, empresário realiza 1º transplante bem-sucedido do Brasil

Após ter tido o órgão comprometido pela Covid-19, José Hipólito Correia Costa, 61 anos, comemorará três meses de um transplante de pulmão inédito no...

Instagram