Pela primeira vez Doença de Alzheimer é revertida em paciente

A estimulação cerebral profunda está se tornando muito precisa. É uma técnica que permite aos cirurgiões implantarem eletrodos em quase qualquer área do cérebro e incrementá-las ou diminuí-las — como um sintonizador de rádio ou um termostato — para corrigir disfunções. Um olhar dramático em técnicas emergentes, em que uma mulher com mal de Parkinson para instantaneamente de tremer e as áreas do cérebro erodidas pelo mal de Alzheimer retornam à vida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No vídeo abaixo, Andres Lozano fala sobre a técnica aplicada e a solução de alguns casos, é espetacular:

A doença de Alzheimer foi revertida pela primeira vez no Canadá e com sucesso. Uma equipe de investigadores canadenses, da Universidade de Toronto, liderada por Andres Lozano, usou uma técnica de estimulação cerebral profunda, diretamente no cérebro de seis pacientes, conseguindo travar a doença. O estudo vem publicado na «Annals of Neurology».

Em dois destes pacientes, a deterioração da área do cérebro associada à memória não só parou de encolher como voltou a crescer. Nos outros quatro, o processo de deterioração parou por completo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nos portadores de Alzheimer, a região do hipocampo é uma das primeiras a encolher. O centro de memória funciona nessa área cerebral, convertendo as memórias de curto prazo em memórias de longo prazo. Sendo assim, a degradação do hipocampo revela alguns dos primeiros sintomas da doença, como a perda de memória e a desorientação.

Imagens cerebrais revelam que o lobo temporal, onde está o hipocampo e o cingulado posterior, usam menos glicose do que o normal, sugerindo que estão desligadas e ambas têm um papel importante na memória.

Para tentar reverter esse quadro degenerativo, Lozano e sua equipe recorreram à estimulação cerebral – enviar impulsos elétricos para o cérebro através de eléctrodos implantados.

O grupo instalou os dispositivos perto do fórnix – um aglomerado de neurónios que enviam sinais para o hipocampo – dos pacientes diagnosticados com Alzheimer há pelo menos um ano. Os investigadores aplicaram pequenos impulsos eléctricos 130 vezes por segundo.

Testes realizados um ano depois mostram que a redução da glicose foi revertida nas seis pessoas. Esta descoberta pode levar a novos caminhos para tratamentos de Alzheimer, uma vez que é a primeira vez que foi revertida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

[via]

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,269,708SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Adolescente de 15 anos se joga em frente de carro e salva irmã caçula de atropelamento

Só quem tem irmãos sabe como esta relação é especial, mas, neste caso, Davyd Henrique Ferreira da Silva, de 15 anos, é ainda mais...

“Só pensava nos meus cachorros”, diz empresário que perdeu casa após Ciclone bomba

O empresário Guto Galamba perdeu a casa após a passagem do 'Ciclone bomba' em Florianópolis (SC), mas sua maior preocupação era se seus dois...

Filha realiza casamento fictício para dançar com pai com câncer terminal

Na maioria das cerimônias de casamento, o pai da noiva está presente no momento mais importante: a hora de conduzir a filha ao altar. ...

Mulher dá pacote de cervejas para repórter que fazia matéria sobre o furacão Harvey ao vivo

Desde Katrina, em 2005, o furacão Harvey é o ciclone mais poderoso que chegou aos EUA, mais precisamente no Texas, na cidade de Rockport. No...

100 deficientes visuais acompanharam ‘ao vivo’ a vitória do Brasil contra a Sérvia

Cerca de 100 deficientes visuais assistidos pelo Instituto Benjamin Constant (IBC) acompanharam o jogo do Brasil contra a Sérvia, na quarta-feira (27).

Instagram

Pela primeira vez Doença de Alzheimer é revertida em paciente 4