Pernambucana cria time de futebol feminino para empoderar meninas por meio do esporte

Quebrando a barreira do acesso ao esporte, a pernambucana Karina Paz utiliza o futebol feminino para empoderar meninas da Comunidade do CSU, em Olinda. As Jogadeiras são apoiadas pelo Projeto Rexona Quebrando Barreiras, que quer fazer com que mais crianças tenham confiança e oportunidade de se movimentar cada vez mais.

Karina protege essas meninas de um ciclo de violência que ela mesma se viu exposta. Quando ainda brincava de bonecas, Karina foi assediada por um homem dez anos mais velho. Ela viveu um relacionamento abusivo durante 13 anos.

“Quando falamos de vulnerabilidade, a gente foca muito nos meninos, né? Essa mesma vulnerabilidade existe para as meninas, mas de uma forma silenciada, naturalizada, que só passando na pele para perceber suas nuances”, reflete Karina.

meninas de escolinha de futebol feminino formam círculo apoiando bola em suas cabeças
Meninas devem ser apenas meninas! Foto: reprodução/Instagram @pazearr

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mais do que um time de futebol feminino, a gente logo vê que o projeto funciona como uma rede de proteção, sabe? Contra a sexualização precoce do corpo dessas meninas e a gravidez na adolescência, por exemplo.

“A equipe tem uma psicóloga que traz todos esses temas e problemas que as afetam como menina e como mulher. Também faz um acompanhamento individual quando é identificado algum problema”, explica Karina.

fundadora de escolinha de futebol feminino apoia braço em trave de gol
Meninas devem ser apenas meninas! Foto: reprodução/Instagram @pazearr

Toda a gestão das Jogadeiras é formada por mulheres, inclusive a treinadora, além da assistente social, outra mulher negra.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Karina acredita que as Jogadeiras é uma conquista das próprias meninas.

Elas precisaram enfrentar o preconceito dos meninos que também frequentam a Escolinha Social de Futebol, coração da ONG Pazear, fundada por Karina junto com um grupo de amigas em 2015 e que utiliza o futebol como ferramenta de transformação da Comunidade do CSU.

“Hoje, eles super reconhecem o talento, a força, a garra e o direito delas de jogarem também. É um trabalho que fazemos dos dois lados. Ao mesmo tempo que geramos entretenimento pra eles, geramos respeito pra elas.”

menina chuta bola em quadra de escolinha de futebol feminino
Foto: reprodução/Instagram @pazearr

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

menina correndo em quadra de escolinha de futebol feminino com bola à sua frente
Foto: reprodução/Instagram @pazearr

Projeto Rexona Quebrando Barreiras

O resultado do seu trabalho é nada menos do que inspirador!

“Existe um antes e um depois do campo na nossa realidade. Posso falar com certeza que a violência reduziu 90%. O campo é usado por mais de 600 pessoas por semana. E a gente trouxe o olhar do Poder Público, que iluminou as ruas, colocou coleta de lixo”, diz Karina.

O campo onde a garotada treina foi construído em parceria com a love.fútbol, parceira de Rexona, que mobiliza comunidades carentes para a construção de campos de futebol como espaços de lazer e plataformas de desenvolvimento social.

Para transformar mais vidas através do movimento, a organização conta com a parceria do Projeto Rexona Quebrando Barreiras, que usa o esporte e a atividade física para capacitar jovens com confiança e oportunidade para superarem barreiras físicas e sociais. Isso se dá através de parcerias com ONGs que promovem inclusão social através do movimento físico, e com uma robusta grade de treinamentos projetados para mentores e professores, proporcionando ferramentas que precisam para continuar inspirando suas comunidades. Só no seu primeiro ano, mais de 180 mil jovens já foram beneficiados pelo projeto.

banner do projeto rexona quebrando barreiras
Karina quebrou a barreira do acesso ao esporte. Foto: divulgação. Foto: divulgação

“Quando a gente fala sobre trabalho social no Brasil, ainda tá muito ligado a um lugar de caridade e de assistencialismo. A gente precisa amadurecer esse pensamento, sabe? É entender que o trabalho social é parte de um todo. Principalmente quando diz respeito às crianças. Está na Constituição que a proteção da infância e da juventude é um dever de todos nós”, pontua Karina.

meninas de escolinha de futebol feminino
São elas! Foto: reprodução/Instagram @pazearr

“E começar a ter diálogo com empresas como Rexona, é abrir esse leque. Principalmente quando esse apoio se dá a partir da co-criação. É o que eles têm proposto. Co-criar é fazer junto. É entender o que realmente as pessoas lá na ponta estão precisando. Porque são pessoas que conhecem a realidade das comunidades”, concluiu.

Que aula, não é mesmo? 👏

Conheça essa e outras histórias de como o movimento pode transformar vidas clicando aqui.

 

Relacionados

Elas têm deficiência intelectual e quebraram as barreiras da exclusão e do julgamento por meio do esporte

Emanuelle Dutra e Ana Paula Loro são personagens da série Projeto Rexona Quebrando Barreiras, que mostra, em três episódios, histórias de brasileiros que quebraram...

Menos exigência, mais inclusão! Técnico quebra barreira e mostra que o esporte é para todos (RJ)

Fábio Cobolski é diretor das Olimpíadas Especiais Brasil (OEB), na Região dos Lagos do Rio. Como técnico, busca tirar o melhor de seus atletas...

+ DO CANAL

Em vez de buscar fama e dinheiro, b-boy escolhe ficar em comunidade ensinando break a crianças (RJ)

“Eu não tô aqui pra ser estrela. O céu já tá cheio delas”. Quem diz isso é o b-boy Bala Machine, que decidiu compartilhar...

Através da dança, professor de break quebra barreiras e ensina valores que transformam a vida de crianças da Rocinha (RJ)

Léo Klone é um dos personagens da série Projeto Rexona Quebrando Barreiras, que mostra, em três episódios, histórias de brasileiros que quebraram diversas barreiras...

Bi-campeão do mundo no futebol de areia usa o esporte para quebrar barreiras e transformar a vida de crianças da sua comunidade (RJ)

Bi-campeão do mundo com a seleção brasileira de futebol de areia, Daniel Souza, 34 anos, é uma prova de que o esporte pode transformar...

Menos exigência, mais inclusão! Técnico quebra barreira e mostra que o esporte é para todos (RJ)

Fábio Cobolski é diretor das Olimpíadas Especiais Brasil (OEB), na Região dos Lagos do Rio. Como técnico, busca tirar o melhor de seus atletas...

Elas têm deficiência intelectual e quebraram as barreiras da exclusão e do julgamento por meio do esporte

Emanuelle Dutra e Ana Paula Loro são personagens da série Projeto Rexona Quebrando Barreiras, que mostra, em três episódios, histórias de brasileiros que quebraram...

Instagram