Pesquisadores do Paraná criam membrana capaz de desenvolver pele e ossos

O futuro da medicina está cada vez mais próximo do presente. No Paraná, pesquisadores da Universidade Estadual de Londrina criaram uma membrana que é capaz de desenvolver tecidos de pele, ossos e cartilagem.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os pesquisadores criaram uma estrutura em plástico biodegradável na qual as células animais se desenvolvem e reproduzem no formato da estrutura biológica desejada.

Flavinho é uma criança de 8 anos que enfrenta câncer raro e precisa de ajuda para custear seu tratamento. Faça sua doação!

Ou seja, eles formataram uma membrana que pode ser desenhada em qualquer formato na qual as células vivem e se reproduzem. Essa membrana é formada a partir de celulose, portanto, de matéria natural, e utiliza pouco processamento químico para que o impacto ambiental e biológico seja o menor possível.

Membrana desenvolvida por pesquisadores que desenvolve pele e ossos
A membrana criada pelos pesquisadores é capaz de desenvolver tecidos de pele, ossos e cartilagem. Foto: Agência UEL

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Como teste, os desenvolvedores do projeto fizeram uma orelha em impressora 3D e aplicaram as células, que formaram uma orelha animal. Os estudos estão sendo realizados provisoriamente com células de ratos e os resultados foram positivos.

Em breve, os estudiosos acreditam que será possível utilizar as células dos pacientes humanos para recuperar partes de seu corpo, como pele, ossos e cartilagem.

Vaquinha para Nilson comprar próteses e realizar sonho de carregar seu filho nos braços. Faça sua doação!

O trabalho é desenvolvido por professores e estudantes do Departamento de Bioquímica e Biotecnologia do Centro de Ciências Exatas da UEL e coordenado pelo professor Cesar Tischer.

Pesquisadores em laboratório que criaram membrana capaz de desenvolver pele e ossos
Foto: Agência UEL

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A ideia é que futuramente essa mesma tecnologia seja utilizada para desenvolver órgãos como fígado, pâncreas e coração.

Os resultados projetados são muito positivos. Temos muito a oferecer com esses estudos, principalmente no quesito transplante porque diminui o risco de rejeição do paciente, uma vez que o órgão seria criado a partir das células do próprio paciente”, disse Cesar.

Leita também:

Compartilhe o post com seus amigos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

conteúdo original

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,780,571SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Escola inteira aprende língua de sinais para dar boas-vindas à primeira aluna surda

Os alunos de uma escola primária no estado norte-americano do Maine decidiram aprender a língua de sinais para receber adequadamente uma nova aluna. Morie...

O amor supera tudo, até o câncer

Em 2006, Gavin Snow descobriu que tinha um melanoma no estágio 3, uma doença geralmente encontrada em pessoas três décadas mais velhas. O tratamento começou,...

Designer cria fonte que facilita – e muito, a leitura para quem sofre de dislexia

A dislexia é um transtorno de aprendizagem que, apesar de não afetar diretamente a inteligência de uma pessoa, acaba dificultando a questão da linguagem...

Criança prodígio de 11 anos cria desenhos incrivelmente detalhados e cheios de vida

Dušan Krtolica tem apenas 11 anos, mas já é considerado um fenômeno das artes, ele possui a incrível habilidade de desenhar uma grande variedade de...

Num lindo gesto de amor, jovem realiza sonho da irmã gêmea ao doar todos os seus órgãos

A Karina passou 5 dias sendo “jogada” entre dois hospitais públicos de São Paulo aguardando uma cirurgia de aneurisma cerebral antes de falecer, no...

Instagram