Pesquisadores da USP descobrem proteínas no sangue que podem ajudar no tratamento da Covid-19

E a Ciência Brasileira não para de surpreender positivamente na contribuição para o combate ao novo coronavírus. Dessa vez, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) identificaram complicações da Covid-19 que podem ser melhoradas por meio de proteínas presentes no sangue.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os cientistas do Departamento de Ciências Biológicas da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP) descobriram que os pacientes apresentam várias proteínas no corpo e, em casos mais graves, desenvolvem outros tipos que agravam a doença. Com esse estudo, é possível pensar em terapias capazes de aumentar as proteínas benéficas no enfrentamento à doença e diminuírem as maléficas.

Já em casos leves, foi identificada a presença de moléculas que desregulam o sistema imunológico, mas também verificaram um alto grau de proteínas que inibem essas moléculas. O objetivo agora é identificar drogas capazes de aumentar a expressão das proteínas e reduzir as moléculas.

Com essa descoberta, é possível pensar em tratamentos terapêuticos com o uso de proteínas para combater os efeitos da Covid-19. Os pesquisadores analisaram o sangue de 163 pacientes do Hospital Estadual de Bauru.

São proteínas associadas à resposta imunológica, proteção do pulmão, prevenção a infecções e com efeito anti-inflamatório. “Alterações nos níveis de proteínas do plasma sanguíneo são bons indicadores de como ocorre o desenvolvimento das doenças, inclusive infecções virais”, disse a cientista que coordena a pesquisa, Marília Rabelo Buzalaf.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mulher de jaleco avaliando sangue em máquina de pesquisa
Foto: Arquivo pessoal

Proteínas sinalizam possíveis consequências futuras

“Trata-se de uma enfermidade com grande variação de sintomas e de gravidade, e proteínas relacionadas a diferentes complicações e estágios da infecção podem abrir caminho para a identificação de alvos terapêuticos e biomarcadores que auxiliem a tomada de decisão por parte dos profissionais de saúde”, disse Marília.

Além disso, é possível identificar previamente se um paciente poderá ter problemas futuros com a doença, analisando sua herança genética. “Essas proteínas têm influência direta no resultado clínico de uma variedade de patologias ligadas ao sistema imune”, finalizou.

O estudo é parte da tese de doutorado de Daniele Castro di Flora e conta também com a colaboração de Carlos Ferreira dos Santos, diretor da FOB-USP, Deborah Maciel Cavalcanti Rosa, diretora do Hospital Estadual de Bauru, e Virginia Bodelão Richini Pereira, do Instituto Adolfo Lutz de Bauru. Os dados preliminares foram publicados na plataforma Medrxiv.

Por falar em Covid-19, muitos pacientes de Manaus ainda precisam de oxigênio e, por isso, mantemos a vaquinha do VOAA para levar cilindros de oxigênio ao Amazonas. Clique e contribua!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,413,626SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cachorro Caju é encontrado após 9 dias desaparecido em Curitiba (PR)

Quem viu um vídeo do Caju circulando pelo Instagram na semana passada? Para quem não acompanhou a história, os tutores do Caju, Lurryan Nascimento e...

Mães “fora dos padrões” tomam conta da campanha da Melissa

A nova coleção da Melissa, batizada como FLYGRL, é inspirada no empoderamento feminino e na mulher. O destaque dessa temporada fica para as mães:...

Bebê cervo resgatado por lituano não quer abandoná-lo depois de recuperado

O lituano ajudou um bebê cervo que não ia conseguir sobreviver. Darius Sasnauskas teve a chance de testemunhar o nascimento de dois bebês cervos em seu...

Cães farejadores são treinados para detectar pessoas infectados com Covid-19

Cães farejadores estão sendo treinados por uma ONG em parceria com a Universidade de Durham, na Inglaterra, para detectar pessoas infectadas com o novo...

Hugh Jackman criou empresa que ajuda pequenos produtores de café a prosperarem

“Isso não é caridade, nós estamos no mercado de café.”

Instagram