Fila enorme: centenas de pessoas se mobilizam e fazem cadastro de medula para ajudar menina com leucemia

banner reservaJúlia Abrame de Oliveira, de apenas 6 anos, de Tatuí (SP), foi diagnosticada com leucemia há quatro anos. Desde então começou a fazer o tratamento. Porém, com a quimioterapia e radioterapia, a medula da Júlia passou a não aguentar mais, e ela não tem conseguido mais recuperar o funcionamento da medula no pós-quimioterapia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Agora ela precisa do transplante de medula óssea para continuar com as sessões de quimioterapia e radioterapia.

“Nos informaram, então, sobre a necessidade do transplante e soubemos que a irmã mais nova, que tinha grandes chances de ser a doadora, não era totalmente compatível. Foi aí que começamos a incentivar o cadastro de doador de medula para achar alguém”, conta Adriana, a mãe da menina.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Uma amiga de Adriana se sensibilizou pela história da menina e organizou um mutirão no último sábado (28), no Centro Médico de Especialidades Médicas (Cemem), em Tatuí.

O número de cadastro ultrapassou as expectativas, e além das pessoas que se cadastraram, cerca de 400 pessoas foram dispensadas, pois havia acabado os kits para coleta de sangue.

A campanha estava prevista para terminar às 17h, mas os kits já haviam acabado antes desse horário, então as pessoas da fila foram dispensadas. Há previsão de uma nova campanha, mas ainda sem data definida.

Após o cadastro ser realizado, o sangue coletado vai para um laboratório, onde acontece os procedimentos necessários para inserir os voluntários no cadastro nacional de doadores.

Segundo a oncologista Luíza Milare, que acompanha o tratamento da garota no Hospital do Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil (Gpaci), em Sorocaba (SP), a chance de encontrar um doador fora da família é de 1 em 100 mil . Por isso, a importância de incentivar o cadastro de doadores de medula.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“A nossa esperança que nesse mutirão consigamos achar um doador. Temos fé que iremos achar e que tudo dará certo. Ela não pode esperar. Já está bem debilitada. Ela está em um banco nacional e também no internacional, mas nada até agora. O tratamento com quimioterapia pra ela já é inviável, já que a medula dela está cansada e há um excesso de droga no corpo. Temos que achar alguém”, diz a mãe.

Ainda de acordo com a mãe, Júlia também acredita que tudo dará certo. “Ela é muito forte e apesar de tão nova e inocente, ela tem muita fé. Em todos esses dias difíceis que temos vivido, sempre ela tira uma de dentro dela que me fortalece. Ela diz: ‘mãe, eu vou vencer porque eu tenho Jesus e Ele é o médico dos médicos’. Fala sempre isso”, ressalta Adriana.

Via

Fotos: arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

barra reserva

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,491,052SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Projeto transforma lama que destruiu Mariana em tijolos para reconstruir a região

“Tijolos de Mariana” não possui nenhuma ligação com o governo, nem empresas de mineração, e conta totalmente com o apoio da sociedade para acelerar o impacto positivo do projeto nas comunidades locais.

Mãe recebe diploma depois de ajudar o filho tetraplégico a se graduar

A ideia partiu do próprio filho, em reconhecimento ao apoio que recebeu nas aulas.

Documentário sobre homofobia no Congresso busca apoio e traz família de duas mães

"Em Defesa da Família" é um documentário sobre homofobia no Congresso idealizado pela Daniella Cronemberger, jornalista e editora da Agência de Notícias da Câmara dos Deputados,...

A reação sensacional de um senhor que descobre que vai ser avô

Sabemos que um futuro pai ou mãe receber a notícia de gravidez é absurdamente emocionante. Mas mais do que isso, só um futuro avô...

Instagram