Alemanha aprova plano nacional para equiparar direitos e tratamento entre homens e mulheres

0
1257

O governo alemão aprovou nesta quarta-feira (08) o seu primeiro plano nacional que tem como objetivo trazer mais progresso entre os direitos de homens e mulheres no país.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Esse é um grande passo e tem um significado muito importante para o posicionamento da mulher, principalmente na política e em altos cargos.

A porta-voz da boa notícia foi a ministra alemã da Família e das Mulheres, Franziska Giffey, que promoveu uma coletiva de imprensa em Berlim.

“Trata-se de um compromisso conjunto do governo alemão com a igualdade. E todos os departamentos têm se envolvido ativamente. Somente assim podemos garantir que a questão da igualdade não seja mais vista apenas como uma questão para o Ministério das Mulheres, mas uma questão para todos os ministérios”, disse Franziska.

Leia também:Instituto RME e Google lançam programa de capacitação e incentivo a mulheres empreendedoras

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O que é o plano?

São metas atualizadas, que trazem mais igualdade em questões como salário, tempo para aposentadoria, oportunidades no mercado de trabalho, etc.

Franziska disse que fez questão de incluir uma cláusula pedindo o aumento da participação feminina em cargos de gerência, assim como a inclusão de pelo menos quatro mulheres em conselhos executivos.

A nova lei prevê que pelo menos 30% dos cargos de conselhos de supervisão sejam ocupados por mulheres. Isso aumentaria a presença feminina em 600 empresas, diferente das 105 de hoje.

As cotas partidárias também sofreram alterações. A chanceler alemã Angela Merkel disse que a partir do próximo ano, 30% dos cargos de liderança partidária serão ocupados por mulheres. Esse número deve aumentar para 50% até 2025.

Sobre as exigências de qualificação, Franziska é muito direta.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Não estamos falando de colocar pessoas não qualificadas em posições de liderança. Estamos falando de desempenho e capacidade pessoal, o que obviamente vale para todas as pessoas. Mas também estamos falando do fato de que não se pode dizer que menos de 10% das mulheres são adequadas, eficazes e competentes. Não posso aceitar isso.”

Igualdade de gênero

O plano nacional trará mudanças importantes tanto para a política como para o social. Hoje, mulheres chegam a ganhara 20% a menos que os homens e ocupam apenas 15% dos cargos em conselhos executivos.

Na política, 90% dos prefeitos de cidades alemãs são homens. É uma taxa muito baixa e desigual.

FONTE: G1 – Mundo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.