USP cria plástico biodegradável feito de mandioca, transparente e resistente

Um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) desenvolveu um novo tipo de plástico biodegradável que tem como matéria-prima o amido de mandioca.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O composto foi produzido por duas unidades da USP: a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em Piracicaba, e a Escola Politécnica (Poli), a partir de uma técnica que utiliza o gás ozônio para processar o amido e melhorar as propriedades do plástico.

O produto final é transparente e resistente, podendo ser utilizado nos mais diversos tipos de embalagens. Segundo os pesquisadores, a patente já foi requerida, visando a transferência da tecnologia para a indústria.

“A busca por alternativas renováveis para a produção de plásticos biodegradáveis é crescente, sendo foco do estudo de diversos grupos de universidades no mundo inteiro”, explica o professor Pedro Esteves Duarte Augusto, coordenador do Grupo de Estudos em Engenharia de Processos (Ge²P) da Esalq.

“Uma das possíveis matérias-primas para a produção desses plásticos é o amido, ingrediente natural obtido de vegetais como milho, mandioca, batata, arroz, entre outros.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

USP cria plástico biodegradável feito de mandioca
Plástico biodegradável feito de mandioca

De acordo com o professor, houve a necessidade de formação de um grupo de pesquisa multidisciplinar porque a produção de plásticos a partir de amidos tem sido explorada há 15 anos pelo grupo da professora Carmen Cecilia Tadini, do Laboratório de Engenharia de Alimentos (LEA) da Poli e do Food Research Center (FoRC), um dos Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Leia também:

“Por outro lado, no Ge²P estudamos, desde 2015, diferentes tecnologias para modificação de amidos e possíveis aplicações”, afirma Duarte Augusto. O grupo já vem trabalhando com tecnologias de ultrassom e irradiação, além de estudos com modificação de amidos com ozônio, como a melhoria da expansão no forno e impressão 3D.

Ozonização e produção do plástico biodegradável

A pesquisadora boliviana Carla Ivonne La Fuente Arias, engenheira química e de alimentos, desenvolve seu pós-doutorado no Ge²P, em parceria com o LEA e com bolsa da Fapesp. Ela destaca o aspecto inovador do projeto, que consiste na modificação do amido de mandioca a partir da ozonização para a produção de filmes.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Trata-se de uma tecnologia verde, amigável com o ambiente. Esse é o foco, modificá-lo com o ozônio de maneira a melhorar suas propriedades na forma nativa. Produzimos assim esse plástico biodegradável e, mesmo ainda na etapa inicial, já obtivemos um produto de boa qualidade. A próxima etapa, a ser executada na Poli, é a produção em escala semi-industrial”, explica.

A fase final do projeto é realizada na Esalq, com as etapas de ozonização, secagem e caracterização das amostras de amido. Após isso, Carla leva o material até a Poli para preparar e caracterizar o plástico biodegradável.

USP cria plástico biodegradável feito de mandioca

O plástico biodegradável resultante é resistente, transparente e impermeável. “O processamento dos amidos com ozônio permitiu a obtenção de filmes plásticos mais resistentes e homogêneos, com diferente interação com a água e, em alguns casos, melhor transparência”, detalha Carla. “Essas são características de grande interesse industrial, demonstrando como a tecnologia de ozônio pode ser útil para a fabricação de plásticos biodegradáveis com propriedades melhores do que utilizando apenas o amido nativo.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nos próximos anos, com a sua produção em larga escala, o produto deve ser utilizado no mercado de várias formas. “As aplicações são inúmeras, já que embalagens mais resistentes e transparentes são desejáveis em grande parte das aplicações”, destaca. Um pedido de patente já foi depositado, visando à transferência de tecnologia para a indústria.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: USP/Fotos: Gerhard Waller/Esalq

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,845,820SeguidoresSeguir
24,881SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

24 fotos para quebrar os estereótipos da indústria de brinquedos

Enfrentamos um grande problema hoje e não é apenas a especificação de gênero no marketing dos produtos. Algumas empresas têm tomado esta estratégia ainda mais além, levando...

Mulher que nunca doou sangue organiza caravana para doação coletiva

Uma mulher que nunca havia doado sangue antes reuniu 24 pessoas em uma "caravana do bem" e viajou 340 quilômetros para fazer uma doação...

Conheça a família alemã que vive praticamente sem usar dinheiro

Raphael Fellmer, 29 anos, e sua família levam uma vida muito frugal, que os permite viver sem gastar quase nenhum dinheiro. Eles conseguem seus alimentos...

10 passos para transformar uma pessoa triste em uma pessoa muito feliz

Existem várias formas de lidar com a tristeza, e com certeza uma das mais eficientes é contar com o colo de amigos. A página no...

Jovem criado por duas mães faz discurso surpreendente e mostra o que família realmente significa

O jovem Zach Wahls, 23 anos, foi criado por duas mães, por isso ele sabe exatamente as consequências da lei que permitiu o casamento...

Instagram

USP cria plástico biodegradável feito de mandioca, transparente e resistente 4