Por que religião não é uma boa desculpa para propagar o ódio

Religião e ódio são duas palavras que jamais deveriam ser conjugadas numa mesma frase. Mas, infelizmente, vivemos tempos em que algumas pessoas usam sua religião para disseminar o ódio contra determinados grupos, como os LGBTs e as religiões afros.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Um princípio básico que orienta quase todas as religiões é respeitar o próximo: ou, em bom português, não se meter na vida do outro por capricho. Se você parar para pensar só um pouquinho, isso não tem nada a ver com religião. Trata-se de um senso de comunidade, nada além disso. Em um mundo onde não houvesse religião, é assim que as pessoas deveriam se comportar.

Por isso mesmo, nunca é demais explicar que religião e ódio não se misturam. São valores ou orientações que se anulam mutuamente: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa!

Leia também: Mãe de santo faz carta agradecendo à mulher que passou óleo ungido em seu terreiro

Vídeos como o que você confere a seguir, compartilhado pela página do Facebook Tia Má, contribuem para que possamos viver em um mundo onde o respeito não é exceção, mas regra. Com bom humor, mas com a seriedade que a discussão exige, uma Mãe de Santo baiana vai te fazer entender direitinho:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Pastor lava os pés de gay, mãe-de-santo, ateu e outros que sofrem com o preconceito dos evangélicos

Foto: Facebook/Reprodução

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,844,630SeguidoresSeguir
24,858SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Fotógrafa capta antes e depois de transexuais em Cuba

Conheça o “Reassign”, projeto fotográfico da artista Claudia Gonzalez que tem como objeetivo a “liberdade, progresso, diversidade, o respeito.” Na obra, ela retrata como seria o antes...

Ela venceu o câncer de mama e aprendeu a ser feliz com o seu novo corpo. “Os seios não me definem como mulher”

O câncer de mama é o tipo de tumor que mais mata mulheres no mundo. Não é à toa que a campanha Outubro Rosa...

Projeto “Meu Amigo Refugiado” quer unir famílias brasileiras e refugiados na ceia de Natal

Um encontro de diferentes culturas e uma oportunidade para fazer novas amizades.

Sobrevivente do holocausto reencontra soldado que o libertou 70 anos depois

Joshua Kaufman, 87, um ex-prisioneiro no campo de concentração de Dachau, na Alemanha, encontrou-se com um de seus libertadores, veterano do exército norte-americano Daniel...

Bebê que nasceu sem a metade esquerda do coração ganha oportunidade de viver

O pequeno Charlie Douthwaite se tornou o paciente mais jovem na lista de espera para transplantes do Reino Unido.

Instagram

Por que religião não é uma boa desculpa para propagar o ódio 4