Homem preso injustamente vira advogado para corrigir erros da Justiça

Ele conhece a dor de pagar por um crime que não cometeu e por isso decidiu ajudar réus condenados por erros da Justiça. Essa é a missão do advogado norte-americano Jarrett Adams.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Adams passou uma década atrás das grades, após ser condenado injustamente por uma acusação de estupro, aos 17 anos, em 1997. O ex-detento tinha acabado de terminar o ensino médio, em Chicago, e foi a uma festa na Universidade de Wisconsin, onde junto com mais dois amigos conheceu uma jovem com quem se relacionou sexualmente.

Leia também: Juíza perdoa dívida de pai que largou tudo para cuidar da saúde do filho

Na época, ele afirmou que foi um encontro consensual, mas três semanas depois, a jovem denunciou os rapazes por agressão sexual. Como não tinham condições de arcar com os custos de suas defesas, foram levados à Justiça – um defensor público foi nomeado para defendê-los, mas decidiu não os ajudar.

“Esse cara [o advogado] nos disse: ‘Sabemos que vocês não fizeram isso. Eles não provaram o caso e a melhor defesa é não ter defesa’”, contou Adams em entrevista para a NBC News.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Pareceu bom, porque não sabíamos de nada. Mas, na realidade, foi uma ideia horrível não chamar testemunhas, não ligar, e colocar o problema na frente de um júri todo branco, racialmente carregado. Não tivemos chance”, recorda.

A Justiça condenou Adams a 28 anos de prisão, um dos amigos, a 20 anos. O outro foi absolvido após ter conseguido um advogado particular, apesar de ser acusado pelo mesmo crime.

O mundo caía sobre as costas de Adams, mas ele começou a ler livros sobre leis e encontrou um artigo na Constituição que exigia a assistência de um advogado ao réu. Ciente do seu direito, ele recorreu ao projeto penal Wisconsin Innocence, da Universidade de Wisconsin, que ajudou a revogar sua sentença, em 2007.

Um mês depois, Adams entrou para a faculdade de Direito, formou-se em 2015 e hoje trabalha na instituição que lhe tirou da prisão, ajudando pessoas acusadas injustamente e investigando casos de inocência.

“O que eu mais queria era dar orgulho à minha mãe, para que quando ela fosse à igreja e as pessoas perguntassem sobre seu filho, ela não abaixasse a cabeça em sua bíblia e começasse a chorar”, desabafou o advogado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

crédito da foto: Reprodução/Facebook Jarrett Adams

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,836,848SeguidoresSeguir
24,779SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem faz apelo na web e desconhecidos doam US$ 84 mil para ambulante cadeirante de 94 anos

Tudo começou quando a jovem Kenia Barragan andava pelas ruas de Santa Ana, na Califórnia, e encontrou um vendedor ambulante de 94 anos em...

Campanha convida pessoas a compartilharem o lado positivo das cidades onde vivem

É claro que nas cidades existem muitas coisas negativas, como a violência, a poluição e até a falta de empatia entre as pessoas. Mas, não podemos esquecer, e sempre valorizar, seus pontos positivos, como os parques, teatros e toda a variedade de serviços oferecidos.

Em voo bem-sucedido, drone transporta rim a hospital e permite transplante nos EUA

Um voo experimental realizado nos Estados Unidos comprovou que drones não-tripulados podem ser uma ferramenta essencial para transportar órgãos humanos em tempo recorde até...

Mulher desiste de doar para criança com câncer por ter mães lésbicas, mas doações disparam após repercussão

Há alguns dias uma mulher voltou atrás de fazer uma doação depois que descobriu que a criança com câncer é filha de mulheres lésbicas.  A história...

24 cães e seus melhores amigos bebês

A partir de uma seleção feita pelo BuzzFeed, tomamos a liberdade de reunir imagens de crianças com seus amigos cães, ou vice-versa. O resultado?...

Instagram

Homem preso injustamente vira advogado para corrigir erros da Justiça 1