Conheça a primeira brasileira com síndrome de Down a se formar em Fisioterapia

“Escolhi a fisioterapia porque amo as crianças e idosos, me identifico muito com cadeirantes, pessoas com síndromes, autistas e percebo que tenho a missão de tratar a saúde de todas as pessoas de uma maneira global”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Assim começa a discursar Luana Dallacorte de Moura, de 24 anos, jovem com síndrome de Down que se formou em fisioterapia pela Faculdade CNEC na última segunda-feira, 17.

Luana diz que deseja como fisioterapeuta manter um diálogo honesto e correto com a família dos pacientes especiais que atenderá, além de deixar de lado os velhos tabus de comunicação ao fazer um diagnóstico ou propor novos tratamentos.

“Não tenho nenhum preconceito de falar”, afirma com convicção.

Conheça a primeira brasileira com síndrome de Down a se formar em Fisioterapia
Luana Dallacorte Rolim de Moura. Foto: Reprodução / Marcos Demeneghi

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Meu trabalho de conclusão de curso focou no tratamento dos meus futuros pacientes”, conta Luana, ao comentar sobre seu TCC.

A jovem pensa em atuar na teoria e prática da “Gameterapia”, tratamento que consiste na utilização de videogames em sessões fisioterapêuticas, ortopédicas e neurológicas que, além de humanizar o tratamento muitas vezes doloroso e exaustivo, possibilita interatividade e acessibilidade para pacientes com deficiência.

Considerado inovador e recebido com louvor pelos professores, o tema do TCC era “O tratamento de gameterapia nos portadores de paralisia cerebral”.

Leia tambémJovem com Síndrome de Down se forma em Educação Física no RS

Luana conta que as pessoas com dificuldade de locomoção precisam ser incentivadas a mudar certos paradigmas mentais; por isso, ela considera fundamental exercitar o cérebro com ferramentas virtuais, como os jogos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Além disso, ela entende que muitos pacientes são limitados psicologicamente pelo medo, que os impedem de progredir. “Um cadeirante, por exemplo, pode sentir medo de caminhar,” afirma.

Desta forma, o uso da “gameterapia” pode potencializar as terapias físicas de pessoas com deficiência física.

Superação pessoal

A recém-formada fisioterapeuta disse que ao longo da graduação, nestes últimos quatro anos, passou por “muitos altos e baixos”, que exigiram dela força de vontade para superar as adversidades, e ainda uma dedicação extra para vencer os limites impostos pela síndrome.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Meu objetivo era passar com dignidade. Sou exigente comigo mesma e, de um modo geral, não olho para os meus limites. Meu pai é testemunha, fechava a porta do meu quarto para estudar”, completou a jovem.

Conheça a primeira brasileira com síndrome de Down a se formar em Fisioterapia
Foto: Reprodução / Marcos Demeneghi

A família é sem dúvidas a base de tudo, diz Luana. Para ela, o pai e a mãe representam um verdadeiro porto seguro, uma fonte de inspiração. “Sou uma vencedora igual a minha mãe. Sigo de cabeça erguida e não tive medo”.

Leia tambémMenina Down constrói carreira de sucesso como modelo

Ela tem sido lembrada como potencialmente a primeira brasileira com síndrome de Down a se formar no curso em todo o país.

Segundo a Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down, não há conhecimento “de outra pessoa com a síndrome que tenha se formado em Fisioterapia”.

Uma pioneira, sem dúvidas.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: JOM

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,498,345SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Neymar realiza sonho de garotinha que possui uma doença rara

Ana Clara, de 8 anos, possui uma doença rara, a Progeria, também conhecida como síndrome de Hutchinson-Gilford. A doença se caracteriza pelo envelhecimento rápido...

Homem com uma perna só mergulha no mar para salvar motorista preso no carro [VÍDEO]

O norte-americano Anthony Capuano tem uma perna só, mas não pensou duas vezes em mergulhar na Baía de Newark, Nova Jersey, para salvar um...

Mulher perde memória de curto prazo e marido a reconquista todos os dias, há 23 anos

Tudo começou em 1994, quando Michelle Philpots perdeu a memória de curto prazo após sofrer dois acidentes de trânsito, o que significa que, muitas...

Legado indígena do Norte do Brasil é foco de campanha da FARM com o Instituto Socioambiental

Muita gente ainda acha que os índios pararam lá nos anos 1.500, sem quaisquer direito à evolução. Imergindo no legado indígena do Norte do...

Conheça o artista que pinta e vende imagens de moradores de rua por um grande motivo

Brian Peterson é um artista da Califórnia que está mudando vidas. Em seu novo projeto de pintura, Faces of Santa Ana, Peterson pinta moradores de...

Instagram