Produtor acompanha Bibi Ferreira em seus shows há 19 anos e relata lindas histórias de amizade

Por Ricco Antony

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Há exatos 19 anos eu tenho o privilégio de acompanhá-la na maioria dos seus concertos em SP, são muitas histórias, muitos afetos, muitos conselhos…  Momentos vividos, escritos no livro das nossas vidas, inspirados pela divina força de Bibi, duas sílabas gêmeas, pequeninas, com a grandeza quem transcende ao tempo em sua magnitude.

Hoje é dia de Concerto. Está tudo pronto, o camarim, sua maquiagem, espelho, figurino… jujubas coloridas, seu café com manteiga, uma banana e uma Coca-Cola.

Tecnicamente o espetáculo é reconferido inúmeras vezes, som e luz repassados a orquestra aquece os instrumentos.

Uma luz toma conta de todo teatro, é Bibi e seu brilho, sempre no alto de um salto 15, que sustenta uma das mais incríveis carreiras do Brasil.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

1º sinal, os espectadores tomam ansiosos seus assentos. Na coxia do teatro, Bibi sempre comprometida com seu ofício, uma espécie de frio na espinha dela toma conta, a partir desse momento, nenhuma palavra é dita, a não ser um suntuoso: “EXPLODE”, que digo ao seu ouvido e imediatamente ouço: “Você me enche de alegria e entusiasmo”, retribui-me Bibi com carinho. Percebo suas mãos suadas, uma certa ansiedade, ouve-se baixo um simples vocalize conferindo se a voz está lá.

2º sinal, a plateia silencia, magia.

3º sinal, é a grande hora! Cai a luz da plateia dando licença aos professores da orquestra que já estão devidamente posicionados, seus passos acompanham os primeiros acordes fundindo-se aos aplausos do público em pé, adentram a sinfonia dirigida por Flávio Mendes. Bibi solta a voz e joga a todos contra as poltronas, rendidos ao seu impecável timbre. A atriz que canta, combina suas natas habilidades e faz renascer qualquer célebre repertório, Amália, Piaf, Sinatra, sambas, tangos, áreas de óperas… e tantos outros.

Holofotes iluminam o palco e no centro a maior de todas as estrelas dirige as emoções da plateia que é toda dela, ri seu riso, chora sua dor, brinca com sentimentos, nos cede seu veneno mais doce, contudo nos confunde.

Começa o show respondendo à pergunta que todos gostariam de fazer, na música de Raul Seixas: “Eu nasci há 10 mil anos atrás e não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A cabeça que já decorou 75 anos de textos e repertórios, combinados a lucidez e rigidez de seus 94 anos, escancara músicas do orgulho mundial como “La Vie en Rose”.  Assim está Bibi, não é só um patrimônio nosso. Sua sensibilidade para conduzir um show, está lançada ao mundo. Cantando a vida e as obras dos maiores artistas do planeta, ela emociona, ainda que sempre irreverente.

Juntos, Bibi, a orquestra e seu empresário também mestre de cerimônia Nilson Raman, desferem 4 grandes artistas pela noite. A incontestável filha de Procópio Ferreira exacerba sua voz e inunda o teatro como um inesperado tsunami. Não muito depois disso, as peças de Amália Rodrigues, Edith Piaf, os Tangos de Gardel e o Romance de Sinatra começam a aparecer no repertório do show “4 X BIBI”. Mais ao final, Paulo Pontes e Chico Buarque estariam de volta, o coração de Bibi é visivelmente mais retumbante neste momento. Como se rasgasse a garganta na fúria de Joana, o público em silêncio respira ofegante quando Bibi declama solilóquios de Gota D’Água.

Bibi se despede inúmeras vezes, sempre grata ao público presente, se retira do palco feliz e emocionada. Não me recordo de um dia se quer, que Bibi tenha terminado o show de outra forma. Imediatamente quer um “feedback” da apresentação perguntando: Como foi o show? Seguido de: “Onde iremos jantar?”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Como fez com todos seus outros espetáculos, e disciplinadamente sem intenção, Bibi sobe degraus que nenhum deles subiu. Sinatra foi “A Voz”. Piaf a “Cotovia da França”, Amália a “Rainha do Fado”, o “Ícone” do tango Carlos Gardel. Bibi é A voz, O texto e A cena!

O genuíno amor, ocupa todo o espaço do meu coração e se faz tão perto a longevidade do se querer.
Bibi se faz paixão na minha razão de viver e me ergueu fazendo-me um gigante na certeza dessa gratidão.

Trazendo-me tanto conhecimento que só consigo pensar uma única coisa… Você é a nossa Bibi e eu te amo cada vez mais.

14163850_10155474181658849_1438431235_o

Ricco Antony é Produtor Cultural em SP. Amigo, assistente, motorista e faz tudo pra Bibi.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,271,435SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Convento no centro de São Paulo abre suas portas para receber moradores de rua durante a noite

Com certeza, por existir desde 1642, o Convento São Francisco tem muitas memórias e histórias para contar. E este mês mais uma, e de um gesto...

Após 70 anos, livro ‘O Pequeno Príncipe’ ganha versão em braille

Lançado em 1943, O Pequeno Príncipe, do escritor, ilustrador e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry, é uma das obras literárias mais traduzidas no mundo:...

Mulher adota cão em terminal de ônibus e motorista permite que ela o leve para casa

Na quinta-feira passada (6), Thalia Rodrigues saiu de casa para resolver alguns problemas. Na viagem de volta, embarcou em um ônibus no Terminal de Pirituba,...

Projeto de Lei aprovado no Senado dá isenção de IOF para pessoas com deficiência

O Senado Federal, por meio da Comissão de Direitos Humanos, aprovou na última quinta, 25, o projeto de lei nº 1247/2019, que isenta de IOF...

Após vencer um câncer na infância, jovem escolhe a enfermagem para retribuir os cuidados que recebeu

Mayara Majevski, 25 anos, é enfermeira no Setor de Oncologia do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. A instituição recebe 100 novos pacientes com câncer...

Instagram

Produtor acompanha Bibi Ferreira em seus shows há 19 anos e relata lindas histórias de amizade 3