Professora cearense dá aulas na calçada para alunos com deficiência durante a pandemia

Noadias Novaes é professora e criou um projeto lindão para não deixar nenhum estudante com deficiência de Itapipoca (CE) sem acompanhamento educacional durante a pandemia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O Atendimento Educacional Especializado (AEE) vai até a casa de cada aluno, pelo menos duas vezes por semana, para ensinar atividades de grafomotricidade, relacionada às habilidades gráficas e de escrita, e dinâmicas lúdicas.

Noadias ajuda, principalmente, os estudantes da comunidade Betânia do Cruxati, e região, onde o acesso a internet é limitado.

Noadias ensinando
Reprodução: Diário do Nordeste

Eu montei o projeto e eu sou orientada por um amigo microbiologista que me ensina como fazer a esterilização das apostilas, como manter a distância, para que não aconteça nenhuma contaminação”, conta a professor. Ela também tem a ajuda de agentes de saúde, que levam ações educativas para os bairros, pelo mesmo projeto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Professora percorre 70 km para dar aula em libras à aluno que não tem internet (ES)

Noadias ainda prepara apostilas e outros materiais para os estudantes. Ela faz doações de tintas, lápis de cor e outros materiais que são essenciais para as atividades. Todo o material foi recebido de parceiros do projeto.

Trabalho com estudantes com Síndrome de Down

Antes da pandemia, Noadias já trabalhava com estudantes deficientes. Ela é professora na Escola Alonso Pinto de Castro e tinha 13 alunos com Síndrome de Down e paralisia infantil.

Eles estudam na sala regular e no contra turno eles vem para minha sala de recursos onde eu faço atividades para estimular a aprendizagem”, explica Noadias.

Noadias abraçada com alunos
Registro anterior à pandemia mostra professora e alunos reunidos em sala da aula. | Reprodução: Diário do Nordeste

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mesmo recebendo o reconhecimento de toda comunidade e, principalmente, das famílias dos estudantes, Noadias conta que enxerga o que faz como uma obrigação.

As famílias ficam muito agradecidas de ver que os filhos não estão desamparados. Eu, sinceramente, eu vejo como uma obrigação. Eu sei que é difícil, é árduo, mas é como se fosse o meu dever. Eu agradeço muito as pessoas que me mandam mensagens, mas eu me vejo como uma das professoras que estão se doando para que se otimize esse ensino que nem todos tem acesso”.

Darlen, de 12 anos, é um dos alunos de Noadias. Ele tem um pouco de dificuldades de acompanhar as aulas online, pois não tem uma boa conexão de internet em casa. Ana Maria, que é mãe de Darlen, diz que o filho não ficou sem estudar por isso e a razão é a professora.

Não pega direito o aplicativo e fica sem área, mas ele não deixa de fazer as atividades não. Assim que volta eu mando ele fazer. A Noadias ajuda muito porque ela foi a primeira que começou a fazer isso aqui em casa, a gente nem fazia as coisas pelo Whatsapp e ela já vinha”, conta Ana.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Professora adapta seu carro e cria sala de aula móvel para ajudar cada um de seus alunos

Noadias mantém todos os cuidados para o isolamento social

Todas as atividades propostas por Noadias estão dentro da segurança necessária na pandemia. Ela usa todos os equipamentos como luvas e máscara, além de um jaleco protetor.

Noadias mostra cartaz
Reprodução: Diário do Nordeste

Que exemplo de professora! Parabéns Noadias!

[VEJA TAMBÉM]

Acha normal esquentar comida no micro? Vem ver seu Roberto fazendo isso e fique preso nesse vídeo 😍

FONTE: Diário do Nordeste

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,575,137SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Aplicativo Be My Eyes “empresta” a visão para pessoas cegas

O "Be My Eyes" é daqueles daqueles projetos que de tão simples, nos perguntamos como ninguém pensou em algo parecido antes. O aplicativo para celulares...

UFBA transforma óleo recolhido nas praias do Nordeste em carvão

O maquinário do Instituto de Química da UFBA é capaz de transformar 50 kg de óleo em carvão diariamente.

Mulher reforma bonecas do lixo e doa para crianças carentes

Para as crianças, o dia em que Antônia entrega as bonecas é como um “Dia das Crianças” ou “Natal” fora de época.

Pai solteiro faz curso para aprender a fazer penteados para a filha de 3 anos

Esse homem com certeza é um forte concorrente a melhor do pai do ano! Conheçam o Greg Wickherst, um pai solteiro que que há...

Haja coração! Making of das filhas lendo as cartas para suas mães

É sempre muito emocionante vermos pessoas se declarando para outras. E foi exatamente esse princípio que usamos para criar esse projeto bastante especial. Em comemoração...

Instagram