Professora substitui prova escrita por mapa mental e é um sucesso

Professora dos cursos de Tecnologia em Logística e Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Fatec de Guaratinguetá, em São Paulo, Célia Aparecida de Matos Garcia inovou na hora de avaliar os alunos da disciplina de Gestão de Equipes.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Para a principal causa de demência infantil, o diagnóstico precoce é tão importante quanto o tratamento

A professora substituiu uma prova escrita por um mapa mental. Ela percebeu que as avaliações tradicionais criam uma tensão desnecessária nos alunos, e que seria melhor adotar uma avaliação menos desgastante.

mapa-mental2

A ideia começou a ganhar forma no início do segundo semestre de 2015, quando ela falou para os alunos que poderia ter ou não uma avaliação no final da disciplina. No entanto, a professora ressaltou que o que seria mais valorizado seria a participação e a contribuição de todos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Também comecei propondo uma atividade individual para eles aprenderem a teoria do mapa mental. Levei um mapa pronto pra eles verem e, a partir daí, elaborarem um mapa próprio sobre gestão do tempo, para mostrar para eles mesmos o que precisam fazer para ter maior concentração, para deixar o celular de lado, entre outras atitudes.”, diz.

No final do semestre, Célia propôs aos alunos que eles formassem grupos de quatro a cinco pessoas, para realizar um mapa sobre Gestão de Equipes e avaliar o que eles aprenderam.

mapa-mental1

“Funciona assim: no centro do mapa vai o nome da disciplina, e aí os alunos vão puxando tópicos principais das aulas, como liderança, trabalho em equipe, feedback, entre outros. A partir desses, eles vão colocando outros itens que se relacionam com os conteúdos. Eu estimulei que eles usassem a criatividade, figuras, desenhos e outros elementos que achassem interessantes, tudo isso pra ficar uma produção mais atrativa”, explica.

Célia afirma que a prova escrita não mostra o quanto o aluno sabe, pois, muitas vezes, ele só estuda para a avaliação, sem conseguir absorver o conteúdo plenamente. “Eu acho muito mais produtivo quando ele participa ativamente durante o semestre todo”, finaliza.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia o relato completo da experiência aqui.

[Nota da Redação]

Projeto abre vagas para pessoas com mais de 50 anos voltarem ao mercado de trabalho. Assista o vídeo:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,849,393SeguidoresSeguir
24,900SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Messi envia camisas para menino afegão que improvisou camisa com sacola de plástico

Não foi dessa vez que o pequeno Murtaza, 5 anos, conheceu o seu grande ídolo no futebol, Lionel Messi. O menino afegão ficou conhecido no...

Grupo faz 195 mil tampinhas virarem cadeira de rodas

Ideia de juntar tampinhas contagiou todo o Rio de Janeiro: de catadores de lixo a dono de rede de restaurantes. Por Rio de Boas Notícias A...

Artesã transforma roupas de pessoas falecidas em ursinhos de pelúcia

Uma carinhosa e sensível forma de relembrar daqueles que não estão mais conosco!

Nesse bar, quanto mais você bebe mais você ajuda entidades beneficentes

O bar, chamado Shebeen, funciona em Melbourne e trabalha, entre outras bebidas, com cervejas de países em desenvolvimento. O fundador Simon Griffiths, diz que, por...

Lei Romeo Mion é sancionada e dará prioridade a autistas em serviços públicos e privados

Inclusão: nesta quarta-feira (08) governo sancionou lei que garantirá as pessoas autistas o direito de terem uma vida mais digna

Instagram

Professora substitui prova escrita por mapa mental e é um sucesso 4