Professores doam 100 dias de auxílio-doença para colega cuja filha luta contra o câncer

Quando os professores da Escola Secundária Mae Jemison, em Hunstville, no estado do Alabama (EUA), descobriram que um de seus colegas não tinha mais dias de auxílio-doença disponíveis para poder cuidar da filha recém-nascida diagnosticada com câncer, eles se uniram para doar o benefício para ele.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

David Green é professor de história e pai de uma menina de 16 meses diagnosticada com leucemia linfoblástica aguda (um tipo de câncer do sangue e da medula óssea que afeta os glóbulos brancos) há seis meses. Sua filha, Kinsley, está recebendo tratamento a 160 quilômetros de casa e precisa que alguém que esteja a todo tempo ao seu lado, lhe cuidando.

Os professores da escola se uniram então para doar mais de 100 dias de auxílio-doença à família de David.

Leia também: Professor faz dinâmica sobre empatia e inspira alunos a se ajudarem

“Ficamos impressionados – e agradecidos – pela doação que recebemos. Alguns amigos já haviam dito que doariam alguns dias para nós, mas cem dias realmente era impensável”, disse Megan Green, mãe de Kinsley, à CNN. “É uma grande bênção e não sabemos como devolver tamanha gentileza aos que nos ajudaram primeiro.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Professores, pedagogos e educadores de escolas próximas também se envolveram na história, e afirmaram que podem doar semanas inteiras de auxílio-doença para David e Megan caso eles precisem.

Professores doam 100 dias de folga para colega cuja filha luta contra o câncer
Foto: Megan Saindon Green / Facebook

Wilma DeYampert, diretora assistente da Escola Primária Lakewood, trabalha no mesmo distrito escolar de David Green. Ela viu a história dele no Facebook e doou dois dias, os únicos que ela tinha e poderia transferir, já que ela mesma foi diagnosticada com câncer de mama em fevereiro.

“Eu não consigo nem imaginar ter um filho em tais condições e não poder ficar perto dele no momento em que ele mais precisa”, disse. “Então, pensei que era a coisa certa a fazer. Minha mãe sempre dizia: ‘Você não precisa ser rica para poder abençoar alguém'”.

A Escola Primária Goldsmith Schiffman foi outra escola onde muitos professores se uniram para ajudar Green.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ao todo, ele tem até 180 dias de auxílio-doença que podem ser transferidos por colegas e amigos, e assim poder cuidar de sua filha.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Sunny Skyz

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,234,546SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Universitários estão estimulando a honestidade das pessoas com picolés (está dando certo!)

Estudantes da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Cornélio Procópio, estão estimulando a honestidade com picolés. Eles colocaram um freezer lotado de picolés em...

Repórter da Globo se declara ao vivo para marido e vídeo viraliza

Pedro, prepara o jantar, depois de uma declaração de amor como essa, na TV, ao vivo, acho justo! Haha Erick Rianelli é repórter do...

Estudantes de Santos criam sistema sonoro para ajudar deficientes visuais no transporte público

Tudo começou quando um grupo de estudantes da Escola Técnica Estadual (Etec) Dona Escolástica Rosa se deu conta das dificuldades de um colega deficiente...

Após ser alvo de ovadas músico de Sorocaba recebe apoio de internautas

Luiz tem 20 anos, é músico e toca violoncelo nas ruas, viajando de cidade em cidade, para sustentar o filho, Valentim, de 1 ano...

Startup desenvolve “relógio” que socorre idosos que moram sozinhos

Uma startup de São Paulo desenvolveu um produto para oferecer a esses idosos mais conforto e segurança: um botão à prova d’água que pode ser usado como relógio ou colar. Ao ser acionado, ele liga para os familiares ou amigos do idoso do outro lado da linha.

Instagram